Categories
Estude e trabalhe no exterior Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio

SISU 2022: use sua nota do ENEM para estudar fora do Brasil

Fala, galera! Chegou a usar de usar sua nota do ENEM mas ainda está em dúvida entre estudar no Brasil e estudar fora? Hoje trouxemos algumas instituições ao redor do mundo que aproveitam a nota do ENEM para estudantes brasileiros.

Você verá nesta postagem:

  1. Quando abre o SISU 2022?
  2. Como usar sua nota do ENEM 2021 para estudar fora?
  3. Universidades no exterior que aceitam a nota do ENEM

Quando abre o SISU 2022?

O SISU é o Sistema de Seleção Unificada de todas as universidades e instituições públicas do Brasil. Todo ano suas inscrições são abertas no primeiro e segundo semestre, permitindo que estudantes do país inteiro estudem em instituições federais ou estaduais.

As inscrições para a primeira edição do SISU 2022 abrem dia 15 de fevereiro e vão até dia 18. Ao longo desses dias os alunos devem acompanhar a nota de corte em seu curso e instituição de escolha através do site e aplicativo oficial do MEC.

Como usar a nota do ENEM 2021 para estudar fora do Brasil?

Desde 2014 o Inep tem feito acordos com instituições ao redor do mundo, facilitando a entrada de brasileiros nas mesmas.

A nota do ENEM é utilizada, normalmente, como um substituto dos exames normalmente aplicados em países como os Estados Unidos e Portugal. O ideal é que o estudante brasileiro tenha uma pontuação média acima de 600, mas isso pode variar.

Muitas instituições também pedem a realização de um exame de proficiência e outras documentações que você pode conferir aqui.

Universidades no exterior que aceitam a nota do ENEM

Existem diversas universidades e faculdade no exterior que aceitam a nota do ENEM como parte do processo de ingresso do aluno. Lugares como os Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Irlanda, Portugal e França utilizam a nota do exame. Abaixo você pode ver uma tabela com alguns dos países e instituições que fazem parte da lista:

InstituiçãoLocalTeste de proficiência
Universidade do Algarve Faro e Portimão, Portugalnão
Universidade do MinhoBraga e Guimarães, Portugalnão
Oxford UniversityOxford, Inglaterrasim
Bristol UniversityBristol, Inglaterrasim
Universidade de AveiroAveiro, Águeda e Oliveira de Azeméis, Portugalnão
Universidade de CoimbraCoimbra, Portugalnão
Universidade de LisboaLisboa, Portugalnão
Universidade do PortoPorto, Portugalnão
Universidade da MadeiraFunchal, Portugalnão
Toronto UniversityToronto, Canadásim
University College CorkCork, Irlandasim
Universidade da Beira InteriorCovilha, Portugalnão
Universidade dos AçoresPonta Delgada, Portugalnão
Universidade Autônoma de LisboaLisboa, Portugalnão
New York University (NYU)New York, EUAsim
Northeastern UniversityBoston, EUAsim
Temple UniversityPhiladelphia, EUAsim
Universidade PortucalensePorto, Portugalnão
Universidade LusíadaPorto, Portugalnão
Universidade de MorónBuenos Aires, Argentina
Instituto Politécnico de ViseuViseu, Portugalnão
Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias Lisboa, Portugalnão
Universidade EuropeiaLisboa, Portugalnão
Universidade Católica PortuguesaLisbia, Braga, Porto e Viseu, Portugalnão
Instituto Politécnico de CoimbraCoimbra, Portugalnão
Instituto Politécnico de PortoPorto, Portugalnão
Instituto Politécnico de BejaBeja, Portugalnão
Instituto Politécnico de LeiriaLeiria, Caldas da Rainha, Peniche, Marinha Grande e Torres Verdes, Portugalnão
Instituto Politécnico do Cávado e do AveBarcelos, Portugalnão
Instituto Politécnico PortalegrePortalegre, Portugalnão
Instituto Politécnico da MaiaMaia, Portugalnão
Instituto Politécnico da Guarda
Guarda e Seia, Portugal
não
Instituto Politécnico de BragançaBragança, Portugalnão
Instituto Politécnico de Castelo BrancoCastelo Branco, Portugalnão
Instituto Politécnico de Setúbal Setúbal, Portugalnão
Instituto Politécnico de SantarémSantarém, Portugalnão
Instituto Politécnico de Viana do CasteloViana do Castelo, Portugalnão
Instituto Politécnico da LusofoniaLisboa, Portugalnão
Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da VidaLisboa e Cascais, Portugalnão
Instituto Universitário da MaiaMaia, Portugalnão
Instituto Superior Dom DinisMarinha Grande, Portugalnão
Instituto Superior de Gestão e Administração de GaiaVila Nova de Gaia, Portugalnão
Instituto Superior de GestãoLisboa, Portugalnão
Instituto Superior de Gestão e Administração de SantarémSantarém, Portugalnão
Instituto Superior Manuel Teixeira GomesPortimão, Portugalnão
Escola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha PortuguesaOliveira de Azeméis, Portugalnão
Instituto Leonardo da VinciLisboa, Portugalnão
Instituto de Estudos Superiores de FafeFafe, Portugalnão
Instituto Português de Administração de Marketing (Ipam) do PortoPorto, Portugalnão
Instituto Português de Administração de Marketing (Ipam) de LisboaLisboa, Portugalnão
Instituto Universitário de LisboaLisboa, Portugalnão
Escola Superior de Enfermagem de CoimbraCoimbra, Portugalnão
Escola Superior de Saúde do AlcoitãoAlcoitão, Portugalnão
Escola Superior Artística do PortoPorto, Portugalnão

É importante lembrar que se seu desejo é estudar fora mas o ENEM não é muito sua praia, diversas universidades e colleges no exterior possuem processos seletivos próprios que não necessitam da nota do ENEM.

E em alguns países, como o Canadá, não é necessário a realização de testes de aptidão, outras coisas são avaliadas, como seu histórico escolar, participação em programas extracurriculares e portfólio.

Você também pode gostar:

Como estudar no exterior: passo a passo para graduação fora do Brasil
Graduação no Exterior: conheça 4 exames de proficiência em inglês
Como viver viajando: 10 ideias para trabalhar enquanto viaja

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.
Categories
Estude e trabalhe no exterior Graduação e Pós no Exterior Vistos e documentações

Estudar Fora: checklist com 10 itens pra estar em dia antes de estudar no exterior

Fala, galera! Pode preparar a mala que a hora de embarcar está cada vez mais perto! Aqui você verá tudo que precisa deixar prontinho antes de entrar no avião, então pega o papel e a caneta e vamo nessa!

  1. Exames de proficiência
  2. Documentação de ingresso
  3. Application: solicitar cartas de recomendação
  4. Application: preparar a essay
  5. Provas de admissão (ENEM/GRE/GMAT)
  6. Passaporte e visto
  7. Seguro viagem
  8. Como levar dinheiro para o exterior?
  9. Confirmar estadia
  10. Certificado de vacinação

Como estudar fora: tudo que você precisa para ingressar em um college no exterior

Planejar uma viagem pode parecer uma missão impossível, e a responsabilidade triplica quando nossos planos são emigrar.

Nesta postagem você terá uma checklist completa para te guiar em todo o processo de entrada em uma instituição no exterior, assim como mínimos detalhes que precisam ser resolvidos ainda no Brasil.

Agora, se você ainda está em dúvida sobre estudar no exterior ou no Brasil, se liga nesse post super explicadinho sobre como fazer uma graduação (ou pós) fora.

Checklist: como estudar no exterior

Cada instituição no exterior tem seu próprio processo de ingresso e documentação necessárias – e tudo isso você pode conferir no site oficial. Porém, separamos o que costuma ser pedido pela maioria, se liga:

1. Exames de proficiência

Se você planeja estudar em um college ou instituição cujo idioma principal não é sua língua materna, provavelmente vai precisar comprovar seu conhecimento no idioma.

E pra te ajudar nessa missão de comprovar seu nível de conhecimento existem os exames de proficiência.

Na língua inglesa os mais pedidos pelas instituições são o IELTS e TOEFL e você pode conferir aqui nosso guia onde explicamos tudo sobre eles.

2. Documentação de ingresso

Estudar fora é muito mais fácil do que parece, e eu vou te provar! Em instituições do Reino Unido, Canadá e EUA as documentações solicitadas pelas instituições de ensino no exterior não são muito diferentes das pedidas por universidades no Brasil.

Tenha em mãos seu histórico escolar, certificado de conclusão do ensino médio, currículo, certificado de proficiência, cartas de recomendação, essay e portfólio (se solicitados). Simples, né?

Observação: a maioria das instituições pede que as documentações sejam traduzidas, então é bom conferir no site oficial (ou mandar um e-mail!) todos esses mínimos detalhes.

3. Application: solicitar cartas de recomendação

Apesar de não ser uma prática comum aqui no Brasil, em colleges e universidades no exterior é comum que sejam pedidas cartas de recomendação de seus professores e orientadores.

É interessante solicitar que sejam escritas o quanto antes, para não comprometer o prazo de inscrição da instituição.

4. Application: preparar a essay

Seu Personal Statement é uma grande parte de sua aplicação. Se a instituição solicitar essa redação, você deve se preparar para conquistar a vaga através dela.

A essay é o lugar onde você vai se diferenciar e mostrar porque merece estar ali. Por isso, fizemos um passo a passo pra uma essay de sucesso.

5. Provas de admissão

Provas de admissão tem como objetivo nivelar o conhecimento dos alunos sobre temas básicos e gerais, como matemática, história e o idioma falado (aqui no Brasil, o português).

No Canadá essas provas/vestibulares não são um requisito de entrada. Mas em outros países como EUA e Alemanha são bem importantes.

Fique atento: alguns colleges e universidades aceitam o ENEM como prova de admissão. Exemplo: New York University, Universidade de Lisboa e em algumas universidades do Reino Unido e França.

Checklist: o que fazer antes de sair do Brasil

Agora que você já sabe tudo que precisa para sua application, vamos separar as documentações e deixar tudo nos “trinques” pra sua viagem?

Pra não perder essa lista que fizemos, você pode salvar a página em seus favoritos. Inclusive, fica a dica: faça uma pasta nos favoritos do navegador (Google, por exemplo) com tudo que você achar importante pra sua viagem.

6. Passaporte e visto

Pode parecer óbvio, mas é sempre bom lembrar: seu passaporte precisa estar atualizado para viajar. Então corre para conferir se ele ainda está na data de validade.

Organize-se para tirar seu visto com antecedência, assim sua viagem não será comprometida por essas documentações.

7. Seguro viagem

A pergunta mais comum que recebemos é: vale a pena fazer o seguro viagem? E sim, o seguro é essencial.

Sejam amenidades como gastos com atrasos de voos até questões de saúde, um bom seguro viagem irá cobrir qualquer imprevisto que possa surgir.

E apesar do gasto “extra”, será uma dor de cabeça a menos no futuro. Principalmente se o país de destino não oferecer acesso gratuito aos serviços de saúde, como é o caso dos EUA e algumas províncias do Canadá.

8. Como levar dinheiro para o exterior?

Existem 4 formas principais de levar dinheiro na sua viagem: em cash (dinheiro vivo), cartão de crédito e débito, cartão pré-pago e remessa para o exterior.

Pra entender melhor como cada um funciona e seus prós e contras, dá uma olhada nesse post aqui.

9. Confirmar estadia

Não dá pra viajar pra outro país sem saber onde vai dormir, né?

Caso não tenha familiares ou amigos em seu destino, você pode procurar um lugar para ficar em plataformas como Booking e Airbnb, que contam com bons preços e opções diversas. Você pode alugar desde um quarto de hotel até um apartamento privado.

10. Certificado de vacinação

Apesar de ter ficado mais popular agora, durante pandemia, muitos países já pediam o cartão de vacinação para seus viajantes e imigrantes.

Confira no site oficial do país se alguma vacina é solicitada e já corre no postinho mais próximo. No caso do certificado da vacina da COVID-19, você pode tirar aqui.

Bônus: conheça o país de destino e a cultura da instituição onde vai estudar

Conhecer a cultura do local onde você vai ficar vai te salvar de muitas vergonhas e ainda te deixar mais apaixonado pelo lugar!

Tire um tempo para pesquisar sobre o clima, cultura, alimentação, hábitos, lugares para conhecer, gírias e expressões mais usadas. Tudo isso vai te preparar para sua imersão, além de ser super divertido, né?

Vai viajar? Se liga nesses posts que separamos pra você:

Custo de vida na Espanha em 2021: economize enquanto estuda no país

British Columbia: tudo sobre salário, imigração e as cidades

Custo de vida em Orlando: more na cidade dos sonhos

Curtiu o conteúdo? Fica mais um pouco e não deixe de conferir nossas redes sociais para estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.
Categories
Canadá Dicas de viagem Irlanda Tudo sobre intercâmbio

9 melhores países para imigrar em 2022

Fala, galera! Tudo certinho? Aqui vai mais um post pra te ajudar a escolher seu próximo destino. Separamos os 9 melhores países para imigrar – e no final vamos te contar qual a melhor forma de entrar nestes destinos! Bora lá?

Você verá neste post:

  • Melhores países para imigrar em 2022
  • Qual o caminho mais fácil para imigrar

Melhores países para imigrar em 2022

Cada vez mais brasileiros tem saído do Brasil em busca de uma melhor qualidade de vida.

Segundo um artigo da CNN o número de brasileiros no exterior ultrapassou 4 milhões – ou seja, temos mais pessoas no exterior do que no Espírito Santo, dá pra acreditar?

Pensando nisso, hoje trouxemos os melhores países imigrar – principalmente para quem deseja estudar e trabalhar – assim você já pode ir se preparando para o intercâmbio!

Usamos como parâmetro de comparação os seguintes critérios:

  • Empregabilidade
  • Qualidade de vida
  • Salário mínimo (em relação ao custo de vida)
  • Facilidade de entrada no país

Preparado para conhecer o país dos seus sonhos?

1. Canadá

O Canadá é um país acima da média quando o assunto é bem-estar e segurança da população.

Com paisagens naturais bem preservadas, educação inovadora e de alta qualidade, – principalmente nas áreas de tecnologia – o Canadá conta com cinco universidades entre as 100 melhores do mundo de acordo com a Times Higher Education de 2019. Não é atoa que o Canadá é um dos destinos favoritos de pessoas do mundo inteiro, né?

Desde dezembro de 2021 foi estabelecido um novo salário mínimo no Canadá de CAD$15,00 por hora. Para um estudante que trabalha meio período, o valor acima resulta numa receita média de 300,00 dólares canadenses por semana – que bate perfeitamente com o custo de vida atual no país.

2. Nova Zelândia

Para quem busca qualidade de vida e paisagens deslumbrantes, a Nova Zelândia é um paraíso em terra firme.

As duas ilhas no oceano Pacífico abrigam belíssimas praias e montanhas, cenários ideias para quem curte esportes radicais, trilhas e trabalhos de campo!

Morar na Nova Zelândia é como viajar o mundo.

A Nova Zelândia tem uma das taxas de criminalidade mais baixas do mundo, universidades de alto nível e uma população amigável e receptiva, servindo de destino principal para estrangeiros do mundo inteiro, em especial da Ásia.

Se você fala inglês ou quer aprimorar seus conhecimentos na língua inglesa sem abrir mão de uma prainha, a Nova Zelândia é o seu destino!

Veja também:

Montreal Canadá: conheça a maior cidade de Quebec

Morar na Austrália é viver em um dos melhores países do mundo

3. Austrália

Com vinte Patrimônios Mundiais da UNESCO, a Austrália tem muito a ser explorado.

O país de dimensões continentais ocupa o quinto lugar no ranking da Numbeo, competindo pelo primeiro lugar em qualidade de vida, poder de compra, segurança, saúde e custo de vida com países como Dinamarca e Finlândia.

É referência nas áreas de Meio Ambiente e Conservação, e frequentemente a Austrália abre vagas para a entrada de mão de obra qualificada em cidades que estão com grande demanda. E pode ir sem medo, viu? Apesar de a Austrália ser conhecida pelos seus animais exóticos, quem vai morar lá não se arrepende.

4. Alemanha

A Alemanha oferece estabilidade e estrutura para seus moradores, pontos importantíssimos na hora de escolher entre tantos países para imigrar!

Com oito universidades entre as 150 melhores do mundo, a Alemanha é um paraíso para estudantes do mundo inteiro.

A Alemanha oferta cursos de graduação e pós-graduação em suas instituições públicas.

5. Irlanda

A Irlanda é de longe um dos países para imigrar mais buscados por brasileiros que buscam mudar de vida.

Com um mercado de trabalho com grande demanda, a Irlanda está de portas abertas para estrangeiros.

Para estudar e trabalhar no país basta se organizar direitinho. E se você ainda não domina o inglês, nem precisa se estressar! Dá pra estudar o idioma e ainda trabalhar meio período no país.

Gostou da ideia? Comece a planejar seu intercâmbio com a gente clicando aqui. Já consegue se imaginar recebendo em euro e viajando pela Europa, né?

More em Berlim: tudo sobre uma das cidades mais divertidas do mundo

Vantagens e desvantagens de fazer o intercâmbio em Dublin

6. Holanda

Morar na Holanda é uma experiência única. De todos os países para imigrar que foram citados aqui a Holanda é encantadora pela belíssima paisagem urbana e suas noites inesquecíveis.

Se você busca um lugar seguro, com boas condições de trabalho e qualidade de vida, sem deixar de lado a badalação das cidades grandes, a Holanda pode ser o destino perfeito para você.

Suas cidades são conhecidas por ruas cheias de bicicletas e flores, e também pela postura progressista em relação a comunidade LGBTQI+ e pautas como legalização do aborto e maconha, tornando-o dos melhores países para imigrar.

As universidades holandesas são referência mundial com sua didática que utilizada o método “problem-based-learning” em que o aluno é estimulado a resolver problemas com o objetivo de aprender.

E apesar de o idioma principal do país ser o holandês, é possível estudar inglês em cursos excelentes como British Language Training Center e o UVA Center.

7. Espanha

O espanhol é a quarta língua mais falada no mundo, e é considerada a segunda língua internacional mais importante, atrás somente do inglês.

Para quem deseja aprimorar o espanhol ou morar em um país europeu ensolarado e com excelentes faculdades, a Espanha é um excelente país para imigrar!

Os espanhóis são pessoas simpáticas e acolhedoras, e contam com um excelente sistema de saúde e educação no país.

Localizada na Europa, a Espanha ainda permite fácil acesso a outros países do continente, e com um bônus: brasileiros que residem no país podem adquirir a Cidadania Espanhola após 2 anos de moradia contínua na Espanha. É isso mesmo: você com cidadania europeia com apenas dois anos!

8. Uruguai

Sim, é possível viver bem na América Latina em 2022! E o Uruguai é o melhor país em qualidade de vida, segurança e economia do nosso continente.

A moeda principal do Uruguai é o dólar americano – além do peso uruguaio.

Além da alta qualidade de vida, um grande ponto forte do país é a facilidade de entrada de brasileiros, que não precisam de visto para residir no Uruguai – graças ao acordo entre as Repúblicas.

O ensino também não deixa a desejar, sendo o sistema público e universal. A Universidade ORT do Uruguai está entre as melhores do mundo segundo o ranking da THE.

E como consequência, a taxa de desemprego no país está bem equilibrada: cerca de 10% – no Brasil essa mesma taxa ultrapassa 13% – e o mercado de trabalho promete para 2022!

9. Malta

Malta é um paraíso na Europa localizado entre o sul da Sicília, na Itália, e o nordeste da Tunísia.

O arquipélago situado no Mar Mediterrâneo tem o maltês e o inglês como línguas principais e é um destino interessante para quem deseja imigrar ou fazer um intercâmbio.

O país ainda permite que estudantes estrangeiros trabalhem no país em cursos de mais de 3 meses de duração. Você pode conferir mais benefícios sobre morar em Malta aqui.

Qual o caminho mais fácil para imigrar

Existem diversas formas de imigrar para os países acima, porém a maneira mais efetiva de conseguir um visto para residir é através de um intercâmbio de estudo e trabalho.

Se você pensa em fazer uma graduação, pós ou até mesmo cursos profissionalizantes ou de idiomas, o intercâmbio é o melhor momento para isso.

Além de facilitar o processo de entrada no país, o visto de estudante facilita o ingresso no mercado de trabalho desses países – seja em estágios ou trabalhos de meio-período.

Por que você deveria estar fazendo um intercâmbio na Holanda

Como é morar em Barcelona: Descubra a Espanha 

Malta: Conheça a história e vida noturna [VÍDEO]

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Estude e trabalhe no exterior Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio Vistos e documentações

Estudar fora do Brasil: passo a passo pra graduação no exterior

O primeiro passo pra estudar fora é o planejamento. Entenda quais as documentações necessárias, melhores instituições e como se planejar pra realizar esse sonho nesta postagem.

Você pode conferir nesta postagem:

  • Como estudar fora: planejamento para estudar no exterior
  • Como fazer graduação fora do Brasil
  • Application: passo a passo da sua inscrição

Como estudar fora: planejamento para estudar no exterior

Estudar no exterior é uma missão mais simples do que pode parecer. E com planejamento e paciência seu sonho pode ser realizado mais rápido do que imagina.

O primeiro passo é o planejamento. Para isso, separamos algumas perguntas para te auxiliar na preparação:

  1. Por que você quer estudar no exterior? Quais suas maiores motivações?
  2. Qual seu perfil acadêmico? Analise seu desempenho escolar e suas preferências. Talvez a universidade que você procura seja menos ou mais conservadora, com foco em artes ou ciência.
  3. Em qual idioma você pretende estudar? Você tem o nível de conhecimento adequado para estudar nesse idioma?
  4. Qual seu orçamento? Quais cursos e instituições estão dentro do seu orçamento? Ter em mente o custo de vida dos destinos também é importante.
  5. O que é importante para você? Você tem preferência de clima ou hábitos alimentares? Faça sua pesquisa sobre seus destinos preferidos e elimine aqueles que não fazem sentido.

Melhores cidades dos EUA: 5 locais pra morar durante seu intercâmbio

Como fazer graduação fora do Brasil

Existem vários caminhos para estudar no exterior, hoje vamos apresentar os três caminhos mais comuns para conseguir seu diploma em uma universidade ou college fora do país.

Pathway Program

Se você sonha em fazer um curso superior em países como Canadá, Estados Unidos e Austrália mas não tem um bom domínio da língua inglesa, o “Caminho para a Universidade” é o programa ideal para você.

Pathway no Canadá: curso que facilita a entrada em universidades no exterior

O Pathway é um curso de inglês desenvolvido para preparar estrangeiros que desejam ser aceitos em instituições de ensino superior. Escolas como a ILAC são atestadas pelos Colleges e Universidades locais e promovem aulas para quem sonha em estudar no exterior.

E funciona assim: você faz um intercâmbio para aprimorar seu inglês, e quando atingir o nível necessário para a instituição que escolheu é só mostrar a certificação do Pathway! Nada de estresse com provas de proficiência, bom demais, hã?!

Grau de Associado (Associate Degree)

O Diploma de Associado é apenas mais um caminho para estudar no exterior. Com uma duração mais curta que um bacharelado, essa formação busca desenvolver seus conhecimentos técnicos, focando em habilidades práticas para te inserir no mercado de trabalho – bem parecido com o que chamamos de curso técnico aqui no Brasil.

É possível conseguir um Associate Deegre em países como EUA, Canadá, Austrália e Holanda. No Reino Unido é conhecido como Foundation Degree (diploma de base).

O diploma de associado é um bom caminho para se preparar para seu diploma de bacharel ou para ingressar rápido no mercado de trabalho. As mensalidades dessa modalidade também são mais baixas e os processos seletivos menos competitivos pra estudar no exterior.

SISU 2022: use sua nota do ENEM para estudar fora do Brasil

Bacharelados e pós fora do Brasil

Para quem deseja fazer bacharelado ou pós no exterior as possibilidades são infinitas.

Caso você queira cursar apenas uma parte da graduação no exterior, por exemplo, existem programas de intercâmbios internos – sua instituição de ensino fará a ponte entre você e a instituição no exterior.

No caso de uma pós-graduação o processo é mais “competitivo”, contando com cinco etapas de documentos: histórico escolar ou currículo, prova de proficiência no idioma, provas como GMAT, personal statement e a entrega/análise das cartas de recomendação. Os programas podem pedir um plano de pesquisa dos alunos, além de entrevistas.

Estudar na Europa: conheça as 5 melhores universidades da Inglaterra

Application: passo a passo da sua inscrição

Quando tiver em mente o que você quer e precisa para estudar no exterior, é hora de fazer uma lista com instituições e cursos. Se possível, prepare uma lista ou planilha com as informações principais.

As próprias instituições liberam todas as etapas e documentações da application. Anote tudo e crie um plano – você vai precisar de um tempo para preparar suas documentações e estudar.

Estudar Fora: checklist com 10 itens pra estar em dia antes de estudar no exterior

Separe as documentações

Nos processos de inscrição do Reino Unido, Canadá e EUA as documentações que costumam ser pedidas são:

  • Histórico Escolar
  • ENEM (algumas universidades exigem, outras deixam como opcional – para ser usado no lugar de testes como SAT)
  • Certificado de conclusão do Ensino Médio
  • Certificado de proficiência
  • Cartas de recomendação (de seus professores, orientadores ou/e chefes, colegas de trabalho)
  • Currículo (histórico profissional, atividades extracurriculares e prêmios)
  • Personal Statement

O tempo médio de preparação das documentações e realização de provas é de pelo menos 3 meses.

Ao longo do processo de application (e organização) você pode contar com a ajuda de consultorias e assessorias – que vão te direcionar durante todo o percurso e resolver burocracias.

Estude para as provas

Prepare seu idioma para as provas de proficiência e estude para sua essay – e provas de entrada da instituição que deseja estudar.

Graduação no Exterior: conheça 4 exames de proficiência em inglês

Uma boa forma de começar a estudar é fazendo simulados das provas – assim você já consegue perceber melhor seus pontos fracos e dar um foco maior a eles.

Muitos simulados e planos de estudo para essas provas estão disponíveis no Google, de graça!

Você também pode gostar:

Por que estudar na Alemanha: 5 motivos que fazem o país tão incrível

Como estudar na Austrália em 2022

Estudar inglês em Malta: tudo sobre seu intercâmbio no país

Curtiu o conteúdo? Fica mais um pouco e não deixe de conferir nossas redes sociais para estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.
Categories
Dreamers pelo mundo Tudo sobre intercâmbio

Como funciona o Intercâmbio: tudo que você precisa saber pra se planejar

Fala galera! A gente sabe que viajar e morar em outros países é o sonho da maioria dos brasileiros e hoje trouxemos todas as informações que você precisa saber antes de dar o primeiro passo para seu intercâmbio.

O que você verá nessa postagem:

  • O que é intercâmbio?
  • Como o intercâmbio funciona?
  • Como fazer um intercâmbio?
  • Quais os tipos de intercâmbio e quem pode fazer?
    • Intercâmbios de Idiomas
    • Intercâmbios Missionários e Voluntários
    • Intercâmbio High School / Ensino Médio
    • Intercâmbio em família
    • Winter e Summer Camps
    • Intercâmbio Profissionalizante e vocacional
    • Graduação e Pós-graduação no exterior
  • Quanto custa fazer um intercâmbio?

O que é intercâmbio?

O intercâmbio é uma prática que se iniciou no século XIX, na Europa, com o objetivo de ampliar a visão de mundo e tornar mais independentes os jovens da época. De lá pra cá, ele vem se moldando a diferentes realidades e sonhos.

Entendemos que o intercâmbio é uma chave que abre portas para novos mundos: empregos melhores dentro e fora do Brasil; aprendizados mil com pessoas do mundo inteiro; e habilidades que apenas um intercâmbista conseguiria desenvolver. Sabe aquele primo que fez um intercâmbio e voltou de viagem mais aberto, maduro, cheio de história pra contar? Não é à toa, viu!? Pode confiar e continuar lendo que hoje nós vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e te ajudar a se planejar.

Viajar sozinha: 5 melhores destinos ao redor do mundo

Como o intercâmbio funciona?

Tudo vai depender dos seus objetivos. A ideia principal é que exija uma troca cultural. Seja um intercâmbio de trabalho, estudos ou férias, você voltará pra casa com a mala cheia de memórias e aprendizados únicos.

Mas, pra matar a curiosidade, um passo a passo bem padrão para um intercâmbio educacional seria:

Estudante se matricula em curso no exterior através de uma agência no Brasil.

Categories
Estados Unidos Estude e trabalhe no exterior Tudo sobre intercâmbio

Intercâmbio para os Estados Unidos: descubra como estudar no país

O intercâmbio nos Estados Unidos é uma das melhores experiências que você pode ter na vida. Por isso, preparamos um post completo sobre como é o intercâmbio nos Estados Unidos e o que você tem a ganhar com ele.

Os tipos de intercâmbio nos Estados Unidos

Para fazer um intercâmbio, primeiramente, você precisa saber qual tipo se adequa a sua realidade atual e também aos seus objetivos do futuro. Além disso, escolher o seu tipo de intercâmbio determina quais caminhos e decisões você terá que tomar para ter uma vida mais tranquila na terra do Tio Sam.

Idioma

O intercâmbio de idioma é indicado para aquelas pessoas que buscam aprender inglês ao mesmo tempo que podem desfrutar do que os EUA tenha de melhor para oferecer como um dos maiores países da Américas.

Um dos maiores benefícios desse tipo de intercâmbio é a sua praticidade ele se propõe, já que você quer aprender inglês, em um país que fala inglês, com costumes diferentes e cultura cotidiana diferente da nossa aqui no Brasil, aproveitando o entretenimento e também os seus pontos turísticos.

Community College

O college é o tipo de instituição de ensino que mais tem crescido entre os intercâmbistas de todo o mundo, pelo simples fato de que ele nos EUA equivale a um ensino técnico aqui no Brasil. Com um curso técnico, o estudante consegue “colocar a mão na massa” ao mesmo tempo que já consegue se inserir no mercado de trabalho.

Os colleges nos Estados Unidos duram até 2 anos e costumam ser a porta de entrada para estudantes que desejam imigrar para os Estados Unidos, sendo uma ótima escolha para quem deseja ingressar no mercado de trabalho de forma direta, pois logo depois, você pode ingressar na universidade, diminuindo muito o preço que será pago a longo prazo.

Universidade

As universidades são a “menina dos olhos” dos Estados Unidos. Responsáveis pelas graduações, mestrados, doutorados e projetos de pesquisa, que fazem dos Estados Unidos uma grande potência educacional, o que resulta em um país cada vez mais desenvolvido por meio da educação.

Os Estados Unidos tem as melhores universidades do mundo. E se você quiser ver com seus próprios olhos, confira esta postagem sobre a Ivy League.

Já pensou em ter um diploma credenciado por uma universidade de um dos melhores países do mundo? O seu eu do futuro já está agradecendo por ser um profissional muito bem sucedido.

Intercâmbio nos Estados Unidos: Universidade de Cambridge

Os benefícios de um intercâmbio nos Estados Unidos

Conhecer os EUA é o sonho de muita gente que cresceu assistindo filmes e séries que retratam a vida no país, mas fazer um intercâmbio nos Estados Unidos, além de permitir que você viva a experiência dessas produções, traz benefícios que você com certeza não deve deixar de lado. Confira abaixo:

Qualidade de vida

A qualidade de vida é um fator super importante, que nós, aqui na Dreams, gostamos de destacar para todo mundo que tem o sonho de estudar em um país desenvolvido. Com uma qualidade de vida melhor, você terá acesso a segurança, saúde, educação, transporte e muitos outros itens de extrema importância.

O seu currículo no topo

O mundo todo reconhece os Estados Unidos como um país que é referência em diversos setores, sendo alguns deles a educação e o desenvolvimento das suas indústrias e mercado de trabalho. Caso o seu plano seja se graduar, trabalhar para reunir uma boa renda e voltar para o Brasil ou morar em algum outro país ao redor do mundo, a sua vida profissional será muito mais fácil com um diploma americano.

Viva o sonho americano

Como citamos acima, tudo aquilo que você sempre viu nas grandes telas ou na sua TV, pode ser vivido por você na terra do Tio Sam, basta que você tome a primeira decisão importante: fazer um intercâmbio nos Estados Unidos

Lá você pode fazer parte do sistema de ensino ao mesmo tempo que troca experiências com os alunos nativos, além de conhecer alunos de outras partes do mundo, que também estarão na mesma condição que você, um aluno estrangeiro que busca crescer profissionalmente dentro dos EUA.

Você estará em contato com as maiores empresas do mundo

Independente da cidade em que você more no Brasil, o comércio regional ou até mesmo os shoppings podem não oferecer tudo aquilo que você precisa.

Nos Estados Unidos, as redes de alimentação e varejo estão presentes em cada esquina, com serviços de delivery para atender a alta demanda populacional. Empresas como a própria Amazon, costumam fazer entregas de qualquer produto em menos de 12 horas.

Então, se você tiver algum desejo, basta pegar o celular e tudo estará na palma da sua mão, com uma entrega sem demoras e com grande variedade de produtos.

Por que fazer um intercâmbio nos Estados Unidos?

Para ter uma vida fora do Brasil, não basta apenas comprar a passagem, pois existem políticas rígidas para cada país e como ele lida com cada pessoa que deseja se tornar um habitante. Um visto de turista pode fazer com que você coloque os pés nos Estados Unidos, mas além de não permitir certos benefícios, expira a validade antes mesmo de você começar a se divertir no país.

O melhor caminho é por meio do visto de estudante, mostrando que você deseja se tornar um cidadão que visa a evolução acadêmica e também profissional. Um estudante que pode investir na economia estadunidense e se tornar um cidadão muito rentável no futuro. 

Você também pode gostar:

SISU 2022: use sua nota do ENEM para estudar fora do Brasil

Estudar fora: checklist com 10 itens para estar em dia antes de estudar no exterior

Nova York: 11 lugares que você precisa conhecer no seu intercâmbio

Curtiu o conteúdo? Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Austrália Estude e trabalhe no exterior Tudo sobre intercâmbio

Como trabalhar na Austrália em 2022: profissões em alta no país

Fala, galera! Trabalhar na Austrália é o sonho de quem deseja imigrar para o maior país da Oceania. Por isso, vamos te mostrar o melhor caminho para se destacar no mercado de trabalho australiano. Bora conferir?

Você verá nesta postagem:

  • Profissões em alta demanda na Austrália
  • O salário mínimo na Austrália
  • Como se destacar no mercado de trabalho australiano

Profissões em alta demanda na Austrália

As fronteiras da Austrália foram abertas para estudantes e trabalhadores qualificados, e por isso, não existe hora melhor para começar a se planejar do que agora!

Confira: Imigrar para a Austrália em 2022: novas regras de entrada no país

O governo da Austrália divulgou em site oficial as profissões que estão em alta demanda em 2021 e que ainda não tiveram as suas vagas preenchidas pelo teto máximo permitido para estrangeiros. Confira abaixo algumas delas:

Descrição da vaga/área
Gerentes de construção
Gerente de engenharia
Gerente de creche
Gestores de serviços de saúde e bem-estar
Outros gestores especialistas
Atores, dançarinos e outros profissionais do entretenimento
Profissionais da música
Diretores artísticos e produtores de mídia
Contadores
Auditores, secretários de empresa e tesoureiros corporativos
Atuários, matemáticos e estatísticos
Economistas
Economistas e avaliadores de terras
Consultor de gerenciamento
Arquitetos e arquitetos paisagistas
Cartógrafos e agrimensores
Engenheiros Químicos e de Materiais
Profissionais de Engenharia Civil
Engenheiros Elétricos
Engenheiros eletrônicos
Engenheiros industriais, mecânicos e de produção
Engenheiros de mineração
Outros profissionais de engenharia

São muitas vagas em diversas áreas e caso você queira conferir todas as elas, basta clicar neste link e ter acesso a toda a lista disponibilizada pelo governo australiano.

Trabalhar na Austrália é uma realidade possível
A casa da Ópera de Sidney

O mercado de trabalho australiano continua em pleno funcionamento.

Ser um estrangeiro na Austrália significa que você terá que ir em busca dos seus objetivos com maior vontade, pois além de ter um bom nível de inglês, é importante que você aprimore as suas “Skils”, pois o governo australiano valoriza os profissionais que são experts no que fazem. Assim, basta manter o seu currículo atualizado e as suas habilidades afiadas para que as suas chances sejam ainda maiores no mercado de trabalho.

O salário mínimo na Austrália

O salário mínimo da Austrália é ótimo para o poder de compra

O salário mínimo australiano se encontra no valor de A$ 19,84 por hora, o que em caso de 8 horas de trabalho diárias, você poderá adquirir em uma semana A$ 793,60, o que em reais equivale a R$ 3327,23 atualmente. Uma diferença enorme, né? Por isso muitas pessoas sonham com a vida na Austrália, que além de ter um ótimo salário, disponibiliza uma ótima qualidade de vida.

E não só isso, o poder de compra no país também é muito alto, segundo plataformas especializadas e que monitoram o custo de vida em diversos setores básicos da sociedade.

Sendo assim, o salário que você conseguir em um mês não será jogado fora apenas no pagamento de contas, mas também será possível investir em outras coisas do seu interesse como a compra de produtos ou lazer no país.

Como se destacar no mercado de trabalho australiano

Estudante fazendo anotações
Estudar é o melhor caminho para conseguir trabalho em outros países

Existe uma certa dificuldade de ingresso no mercado de trabalho australiano, já que os recrutadores geralmente procuram pessoas que tenham uma certa “experiência australiana”, fazendo com que o seu currículo muito valioso aqui no Brasil, não tenha tanta validade na Austrália, pois para eles é muito importante que você demonstre uma certa experiência com a cultura do país.

Assim, uma ótima alternativa acaba sendo o visto de estudante. Com um visto de estudante você consegue ingressar no país, conseguir um diploma australiano e ainda arrumar um emprego de meio-período na Austrália, o que facilitará a sua contratação tanto para meio-expediente, quanto para o futuro como um empregado já contratado para a sua área de interesse.

Enquanto estuda na Austrália você terá direito a trabalhar 20 horas semanais durante o período de aulas, ficando livre para trabalhar quantas horas quiser em seu período de férias. Legal, né?

Chegando até aqui eu aposto que você se interessou por trabalhar na Austrália, melhor ainda se quiser estudar no país para seguir o caminho dos seus sonhos.

Postagens que podem te interessar:
Custo de vida na Austrália em 2022: compare as principais cidades
Intercâmbio ou curso de inglês: como atingir a fluência mais rápido | Prós e Contras
Estudar na Austrália: conheça as 3 melhores escolas de inglês pra você

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Canadá Estude e trabalhe no exterior Graduação e Pós no Exterior

Profissões em demanda Canadá em 2022

Fala, galera! Está pensando em morar no exterior? Então se liga nas profissões em demanda no Canadá em 2022 e qual o perfil buscado pelas empresas canadenses – e como você pode melhorar seu currículo pra alcançar a posição dos seus sonhos.

Você verá nesta postagem

  • Canadá procura profissionais qualificados
  • Meios para migrar para o Canadá
  • Profissões em demanda no Canadá

Canadá procura profissionais qualificados

Na contramão do desemprego, o Canadá está em busca de profissionais qualificados para compensar o déficit de 2020.

Por essa razão, o país se prepara para receber até 2023 cerca de 1,2 milhão de imigrantes, incluindo brasileiros.

Uma oportunidade assim pode parecer difícil, mas com o intercâmbio certo dá pra ficar de olho nas profissões em demanda no Canadá.

Pathway no Canadá: curso que facilita a entrada em universidades no exterior

Sendo assim, e você estava se preparando para um intercâmbio, o Canadá pode ser uma ótima chance de retorno a curto prazo.

Isso porque, além de ser extremamente receptivo com estrangeiros, sua população idosa tem aumentado. A consequência é a escassez na força de trabalho, por isso a alta demanda por mão de obra.

Pressa nas contratações

Pessoas em reunião de contratação

Anualmente, o Canadá define uma quantidade média de imigrantes que deseja receber, geralmente em torno de 340 mil.

Com a pandemia do novo coronavírus, essa expectativa foi por água abaixo, fazendo com que os planos fossem adiados para os anos seguintes.

Porém, a recuperação econômica do país está diretamente ligada à força de trabalho estrangeira. Inclusive, um terço dos negócios canadenses têm donos estrangeiros.

Por essa razão, existe uma certa urgência para atrair novos imigrantes, mesmo em meio à pandemia.

Há cerca de um mês, o governo divulgou um novo relatório de imigração com os números alcançados e os que desejam alcançar até 2023. Tempo de sobra para você organizar seus estudos e garantir um emprego em um dos países com melhor qualidade de vida do mundo.

Custo de vida no Canadá em 2022: saiba como será a sua vida no país

Meios para migrar para o Canadá

Visto e passaporte para imigração

Estudo e trabalho são as duas formas de migrar para o Canadá, e a maior vantagem é que uma coisa leva a outra.

O país geralmente facilita a permanência dos estudantes ao final do curso, principalmente se fizerem parte da lista de profissões em demanda.

Caso você já tenha proficiência na língua e um diploma, há também a possibilidade de já chegar no país com um emprego.

Seja por meio de uma oferta do empregador ou visto de trabalho. Isso porque cada província (ou estado) tem suas próprias regras de imigração que podem ser oferta de trabalho para profissões em alta no Canadá, proficiência na língua, idade, experiência de trabalho e comprovação financeira.

Alguns programas de imigração podem te ajudar a facilitar essa busca. São eles: Provincial Nominee, Startup Visa Program, Self-Employed Program, Caregivers ou Rural and Northern Immigration. Você pode conferir mais sobre esses programas no site oficial de imigração do Canadá aqui.

Áreas com mais demandas no país

Setor de saúde é um dos mais valorizados

Antes de falarmos sobre as profissões em demanda para quem imigrar para o Canadá, é interessante destacar também as áreas com mais demanda no país.

Apenas nos setores de Saúde, Tecnologia e Serviço Social foram mais 30 mil novos empregos só no mês de setembro de 2019. E se você pensar na lógica do país, essas áreas são mais valorizadas, pois saúde e qualidade de vida são prioridades por lá. 

Mas o que é preciso para se candidatar a uma dessas vagas? Se você já tiver formação nessas áreas, vale a pena ficar de olho nas oportunidades e nas seguintes exigências:

  • Provar que possui condições financeiras para sustento individual e/ou familiar após a chegada no país
  • Ter um diploma de graduação na área de interesse
  • Possuir experiência profissional mínima de 1 ano em período integral no país de origem
  • Atender aos requisitos mínimos de proficiência em um dos idiomas oficiais do país (inglês ou francês).

Confira:
Como estudar e trabalhar no Canadá
Toronto ou Vancouver: entenda a diferença entre as duas cidades

As profissões em demanda no Canadá em 2022

Profissionais diversos no Canadá

Para o ano de 2022, a multinacional de Recursos Humanos, Randstad, listou as 15 profissões com alta demanda no Canadá. Apesar do déficit deste ano, ainda há necessidade de mão de obra nas áreas e espera-se que nos próximos três anos haja uma alta no preenchimento de vagas.

Algumas delas são mais simples, para pessoas que buscam estudar a língua e receber um retorno financeiro ao mesmo tempo. Mas também demandas específicas que exigem diploma e formação superior. São elas:

CargosGrau de escolaridade/experiênciaSalário (média anual)
Gerente de contas estratégicas (KAM)Pleno e sêniorCAN$ 80.000,00
Desenvolvedor (DEV)Pleno e sêniorCAN$ 71.071,00
Gerente de marketingPleno e sêniorCAN$ 72.453,00
Enfermeiro(a)Graduado (e autorizado a praticar no país)CAN$ 81.152,00
MotoristaPreferível experiência de +4 anosCAN$ 45.373,00
Representante de SACPreferível experiência de +1,5 anosCAN$ 36.749,00
Soldador(a)Com experiência comprovada na áreaCAN$ 61.669,00
Engenheira(o)Com experiência comprovada na áreaCAN$ 54.368,00
Contador(a)CAN$ 57.000,00
Arquiteto de Nuvem (TI)Pleno e sêniorCAN$ 121.555,00
Gerente de RHCAN$ 84.011,00
EletricistaCom experiência comprovada na áreaCAN$ 54.368,00
Gerente de projetos de TISêniorCAN$ 91.300,00
Engenheiro MecânicoCAN$ 74.562,00
Responsável pela contabilidade (account clerk)Júnior e plenoCAN$ 45.128,00
Salário está de acordo com dados disponibilizados pelo Glassdoor

Fique ligado: em plataformas como LinkedIn na hora de procurar vagas no exterior.

Intercâmbio para o Canadá

Globo com pin marcando o Canadá

Como o momento ainda requer cuidados, esta é a hora de se planejar para conquistar o tão sonhado emprego em um país de primeiro mundo. Portanto, se você ainda não tem fluência na língua ou não sabe quais as melhores universidades na área que deseja estudar, conte com a Dreams.

Se quiser saber um pouquinho mais sobre o destino é só entrar em contato com a gente no link abaixo!

Você também pode gostar:
Províncias do Atlântico: saiba uma das melhores maneiras de imigrar
7 lugares para conhecer no Canadá em 2022
9 melhores países para imigrar em 2022

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Austrália Estude e trabalhe no exterior Estude um idioma fora do Brasil Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio Vistos e documentações

Visto australiano: tudo que você precisa saber antes de aplicar

Fala, galera! O visto faz parte das documentações essenciais de um intercambista e, por isso, preparamos esse guia completo sobre como tirar o visto australiano, com foco no de turismo e estudante.

Aqui você poderá conferir os valores envolvidos na aplicação, tempo de duração e dicas pra que suas chances de aceitação sejam ainda maiores.

Você verá nesta postagem:

  1. O que precisa para tirar visto australiano?
  2. Quanto custa para tirar o visto australiano?
  3. Quanto tempo demora para tirar o visto australiano?
  4. Quais os tipos de vistos para Austrália?
  5. Como funciona o visto de estudante na Austrália?
  6. Quanto tempo dura o visto australiano e quanto tempo posso ficar na Austrália?‍
  7. Como aumentar suas chances de ter o visto aprovado?

O que precisa para tirar visto australiano?

Desde dezembro de 2021 as fronteiras da Austrália estão abertas para estudantes e profissionais qualificados que possuem ao menos 2 doses da vacina de COVID-19.

Isso, somada a outras medidas que vem sendo tomadas, significa que o país está investindo em migrantes que podem trazer benefícios para a Austrália.

Enquanto estudante de graduação ou pós, um imigrante na Austrália contribui para o sistema educacional e desenvolvimento de pesquisas, crescendo profissionalmente em conjunto com sua área de estudo.

Já os profissionais qualificados que desejam entrar na Austrália e ocupar vagas que estão com alta demanda, contribuem diretamente para o crescimento e manutenção da economia.

Visto Australiano: lista de requisitos básicos

A aplicação do visto australiano para brasileiros é feita inteiramente online através do site da imigração, que você pode conferir clicando aqui.

Antes de iniciar o processo de aplicação do seu visto australiano, organize as documentações e possíveis requerimentos, bem como:

  1. Foto: uma foto 5×7 tirada nos últimos 6 meses;
  2. Passaporte: cópia colorida do passaporte, válido durante todo o período que você deseja ficar no país;
  3. Cartão de vacina: com a vacina de febre amarela e COVID-19 em dia;
  4. Carteira de trabalho: no caso de aplicação para trabalhar no país;
  5. Seguro de viagem: é obrigatório que você tenha a cobertura de um seguro durante todo o período que pretende ficar no país;
  6. Comprovação de renda (falamos um pouco mais no próximo tópico da postagem);
  7. Certificado de cursos subsequentes: técnicos, graduação ou pós (no caso de visto de estudante)
  8. COE e LOA: confirmação de matrícula no curso e carta de aceitação (necessário apenas para visto de estudante – em cursos com mais de 14 semanas de duração)
  9. Carta de intenção: carta onde você explica as intenções por trás da sua entrada no país
  10. Comprovante escolar ou/e carta de licença do trabalho: comprovando seu vínculo com o Brasil.

Estudar na Austrália: conheça as 3 melhores escolas de inglês pra você

Quanto custa para tirar o visto australiano?

Os custos básicos do visto australiano são referentes as taxas, que podem variar de acordo com o tipo de visto.

Lembrete: Caso você precise fazer ou renovar seu passaporte ou prefira ter o suporte de uma assessoria especializada em vistos australianos durante a aplicação, esse custos extras devem entrar na sua planilha de gastos.

As taxas consulares para a aplicação do visto de turismo e estudante na Austrália são, respectivamente, AUD$ 140 e AUD$ 638. No caso da aplicação para visto de estudante, também é necessário pagar uma consulta médica (com um médico indicado pelo consulado), que fica entre R$700 e R$900 reais.

No próprio site da imigração australiana existe um simulador dos custos envolvidos no visto, que você pode conferir aqui.

Comprovação de renda para visto

Além das taxas consulares, também é necessário comprovar a sua renda – e de quem mais for com você. Mas, calma! A comprovação de renda é apenas uma maneira do governo de garantir que você tem condições de permanecer no país durante o intercâmbio.

A famosa “proof of funds” é pedida por diversos países, como o Canadá, outro queridinho de intercambistas. Para o visto de estudante é necessário que o estudante tenha AUS$ 17753.42 para cada mês que for ficar no país – se você pretende fazer uma graduação, por exemplo, só precisará comprovar para o primeiro ano.

Além do valor mensal, o aluno precisa ter o valor de seu curso em mãos e das passagens aéreas. E caso você esteja planejando levar acompanhantes com você, como filhos ou cônjuge – saiba que é super possível! O valor da comprovação sobe um pouco, de forma a sustentar todas as pessoas envolvidas.

Documentos para Proof of Funds na Austrália

A melhor documentação para comprovação de renda é o imposto de renda. Porém, outras documentações podem ser utilizadas, como:
1. Extratos bancários dos últimos 3 meses, incluindo investimentos;
2. Contracheques dos últimos 3 meses;
3. Extrato do cartão de crédito dos últimos 3 meses.

Caso seu intercâmbio esteja sendo custeado por outra pessoa, como seus pais, esposa ou outro familiar, esses documentos deverão comprovar a renda do seu Sponsor. Além disso, você precisará de uma Carta de Custeio.

Apesar dos valores envolvidos serem altos, é importante lembrar que em pouco tempo trabalhando no país esse valor será ressarcido. No link abaixo falamos um pouco mais sobre o salário mínimo na Austrália, que é atualmente o maior do mundo, vale a pena conferir!

Custo de vida na Austrália em 2022: economize no seu intercâmbio

Quanto tempo demora para tirar o visto australiano?

O tempo de resposta do visto australiano pode variar bastante. O ideal é que o estudante comece a contar após a realização da consulta com o médico indicado pelo consulado – você recebe as instruções após a aplicação. Atualmente o tempo médio de resposta do consulado australiano tem sido de 6 a 8 semanas.

5 Melhores cidades da Austrália para seu intercâmbio

Quais os tipos de vistos para Austrália?

Antes de aplicar para seu visto australiano, você precisa saber qual o melhor visto para você.

No site oficial do Governo Australiano estão disponíveis todos os vistos e requisitos, por isso, abordaremos aqui apenas os vistos mais comuns e procurados por brasileiros.

NomeCategoriaPerfilTaxas Consulares
Student Visaestudo+6 anos de idade,
cursos de +14 semanas e menos de 5 anos
AUD$ 630
Student Guardianestudoresponsável por menor de 18 anos (depende do visto do estudante)AUD$ 630
Training Visaestudopessoas com objetivo de fazer treinamento corporativo/profissionalAUD$315
eTAturismopara quem tem passaporte canadense, europeu ou americano
Visitor Visaturismoquem pretende ficar até 12 meses no país, sem trabalhar ou fazer curso subsequenteAUD$145

Como estudar na Austrália em 2022: entenda o Sistema Educacional do país

Como aumentar suas chances de ter o visto aprovado?

Ufa! É muita informação, né? A verdade é que todo o processo burocrático pode ser meio confuso, mas com este guia temos certeza de que você conseguirá ter uma boa noção do que você precisa para aplicar pro seu visto australiano.

Pra evitar receber uma recusa do consulado, você precisa estar com todos os documentos em dia, além de ter uma boa carta de intenção. Por isso, procure conhecer bem todo o processo e o que o consulado tem visto nas última aplicações como algo positivo ou negativo.

Além disso, evitar atrasos na entrevista, faltar com respeito com algum dos envolvidos ou solicitar um visto que no qual você não se encaixa não irá te ajudar em nada – claro, né?

Uma boa maneira de evitar dores de cabeça durante o processo é buscar suporte de especialistas que estão preocupados com seu futuro e sucesso.

Aqui na Dreams Intercâmbios, contamos com um time especialista em vistos que atua em todo o processo, desde a estratégia de aplicação do visto, até o momento da sua viagem. Entra em contato com a gente e tira suas dúvidas! Esperamos por você!

Você também pode gostar de conferir:
Anzac Day: conheça o feriado histórico da Oceania

Países que não precisam de visto para brasileiros

9 melhores países para imigrar em 2022

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Austrália Estude e trabalhe no exterior Tudo sobre intercâmbio

Como estudar na Austrália em 2022: Guia Completo

Fala, galera! Nesta postagem te contaremos tudo que você precisa saber sobre estudar na Austrália, desde o sistema educacional do país até como você, enquanto imigrante, pode aproveitar ao máximo essa experiência única que é a Austrália!

Você verá nesta postagem:

  • Como estudar na Austrália em 2022
  • Como funciona o sistema educacional da Austrália

Como estudar na Austrália em 2022

A Austrália tem sido cada vez mais buscada por estudantes brasileiros que desejam mudar de vida.

Seja por conta das instituições australianas, a qualidade de vida na Austrália ou o fato de que o salário mínimo australiano é o maior do mundo, morar nessa país do futuro é um grande divisor de águas na vida dos estudantes – e você pode realizar esse sonho também!

Vale a pena saber: Segundo o QS Best Students Cities 2022, as cidades de Sydney e Melbourne ocupam o 6º e 8º lugar no ranking mundial – superando Boston e Montreal.

Outro ponto que destaca a Austrália atualmente é a alta taxa de aceitação de estudantes internacionais em suas instituições.

A Universidade Nacional da Austrália, por exemplo, tem uma taxa de 35% de aceitação de candidatos, enquanto Oxford, no Reino Unido, aceita apenas de 20 a 25% dos candidatos.

Por isso, investir em estudar na Austrália é dar um tiro certeiro em direção à sua realização profissional e pessoal.

Requisitos pra estudar na Austrália

Em qualquer instituição de ensino superior existem requisitos para o ingresso de estudantes.

Enquanto estudante internacional na Austrália, alguns dos requisitos básicos pra aplicar nas instituições australianas são:

  1. Inglês: você precisa ter um nível de inglês que te permita assistir as aulas e se comunicar bem com colegas, normalmente comprovado por um exame de proficiência;
  2. Visto: além do visto de estudante, é importante que você cumpra todas as exigências, como comprovação de renda suficiente pra se manter no país;
  3. Exames de admissão: alguns cursos podem pedir exames de admissão ou que você tenha cursado matérias específicas na escola/faculdade – com a finalidade de conseguir acompanhar o curso;
  4. Cobertura de Saúde para Estudantes Estrangeiros: a Austrália possui um sistema especial de saúde para estudantes internacionais, e por isso, pra que você entre no país, será necessário adquirir essa cobertura pra você e qualquer familiar que esteja te acompanhando. Isso você pode conferir aqui.
Não falo inglês fluentemente, posso estudar na Austrália?

Sim! Se você busca fazer um curso subsequente no país, você pode optar por um preparatório de inglês como o Pathway – que prepara estudantes internacionais pra instituições de ensino superior.

Ensino superior na Austrália

Nesse período pós-pandemia a Austrália, bem como outros países ao redor do globo, vem abrindo suas fronteiras para profissionais estrangeiros qualificados e estudantes que desejam contribuir com o crescimento do país.

Inclusive, fica a dica: o Governo Australiano criou uma plataforma cheia de informações para que estudantes internacionais saibam mais sobre os benefícios de estudar no país do futuro. Você pode conferir o site aqui.

[YouTube] 10 motivos pra estudar na Austrália

Como é o sistema educacional da Austrália

Estudar na Austrália é algo de primeiro mundo

Agora que você está dentro da Austrália, vamos entender melhor sobre o sistema educacional de lá.

Mas antes de partirmos direto para o ensino superior, vamos estabelecer a base de que o sistema educacional da Austrália é dividido em primário, secundário e superior. Confira o caminho que um estudante nativo percorre até chegar até o ensino superior:

Formação escolar (primária e secundária)

NívelDuração
Escola primária sete ou oito anos, começando no Jardim da Infância/Preparatório até os Anos 6 ou 7.
Escola secundária três ou quatro anos, dos Anos 7 a 10 ou 8 a 10.
Escola secundária sênior dois anos, Anos 11 e 12.

Formação superior

A formação superior inclui o ensino superior com todas as suas universidade e também o VET (Ensino e Treinamento Vocacional).

VET: O que é e como funciona?

O Ensino e Treinamento Vocacional é basicamente um ensino técnico aqui no Brasil, nele o estudante aprende na prática todas as vertentes do seu curso, sendo muito escolhido pelos Australianos e também por estrangeiros que procuram socializar com os nativos.

O VET permite que o estudante trabalhe 40 horas quinzenais ou 20 horas semanais.

Instituições de ensino superior

Estudante usando computador

As instituições de ensino superior e também as de ensino técnico da Austrália têm um nível acima da média mundial por atenderem a um sistema criado dentro da própria Austrália em 1995, o AQF.

Australian Qualifications Framework ou AQF, é o sistema que determina padrões de qualidade educacional na Austrália. Neste sistema temos 10 níveis que vão interferir nas suas qualificações para o mercado. 

[Post] Como estudar na Austrália: Você sabe o que é AQF?

Esses diferentes níveis realmente interferem em como o mercado e as instituições observam o nível profissional dos seus alunos, sendo necessário que o estudante esteja em constante evolução dentro do sistema.

O ensino superior na Austrália ganha destaque pelo simples e incrível fato de que as instituições de ensino trabalham diretamente com a indústria, o que promove um mercado de trabalho mais aquecido para os alunos.

O próprio AQF é administrado diretamente pelo Departamento de Indústria do Governo Australiano, o que indica a forte atenção que os órgãos federais têm com o nível educacional do país.

Estudar na Austrália: próximos passos

Como mostramos acima, a Austrália é um país com diversos caminhos para crescimento profissional.

E por acreditar na Educação Superior Internacional como um caminho pra melhores e novos futuros, nós aqui na Dreams trabalhamos com todo o processo de intercâmbio: como vistos, escolha das escolas, assessorias, acomodações e mais!

Se você quiser saber mais sobre como você pode estudar na Austrália, continue no nosso blog ou clique no link abaixo para falar com nossos especialistas.

Postagens que podem te interessar:
Como morar na Austrália em 2022: estude e trabalhe no país
Estudar na Austrália: conheça as 3 melhores escolas de inglês pra você

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Canadá Estude e trabalhe no exterior Graduação e Pós no Exterior

Como trabalhar no Canadá em 2022: saiba como imigrar da maneira adequada

Fala, galera! Trabalhar no Canadá não é uma coisa tão difícil como você imagina, existem várias maneiras de ingresso no país,

Neste post, vamos falar um pouco sobre o Canadá e como imigrar através do PGWP. Confira:

Por que trabalhar no Canadá?

Sendo o maior país das Américas, o Canadá conta com 10 províncias totalmente distintas e com culturas peculiares, tendo até mesmo a língua francesa como idioma além do inglês tradicional.

Caso queira viver a cultura francesa, você pode optar por uma vida em Quebec, por exemplo.

Mas, a Columbia Britânica pode ser a escolha perfeita para você que prefere falar inglês e aproveitar o lado britânico do Canadá.

Vista de horizonte na cidade de Toronto
Horizonte em Toronto

Como já dito acima, o Canadá é um dos países com maior índice de educação, ficando até mesmo na frente de países como Reino Unido e França, que já foram responsáveis pela colonização do país.

Assim, fica muito mais fácil entender o porquê do Canadá ser um dos melhores países para se imigrar através da educação, um item muito valioso para a população canadense.

O custo de vida no Canadá é baixo quando falamos sobre o dólar canadense e o poder de compra nas cidades e províncias.

É possível manter um bom nível da qualidade de vida enquanto estudante dependendo da província em que você decidir se estabelecer, e não esqueça: você estará recebendo em dólar canadense, vivendo em um país com altos índices de segurança, saúde e educação, precisa de mais alguma coisa?

Como trabalhar no Canadá por meio da educação

Trabalhar no Canadá é possível graças a educação
Trabalhar no Canadá é uma realidade possível

Trabalhar no Canadá é possível através de alguns meios específicos e totalmente legalizados, sendo o mais famoso deles o Express Entry, onde você pode se qualificar por meio de uma pontuação e se encaixando em uma das profissões exigidas pelo National Occupational Classification (NOC).

Outra possibilidade é o Labour Market Impact Assessment (LMIA), que acontece quando uma empresa realiza a contratação de um trabalhador estrangeiro por conta da falta de profissionais qualificados no mercado para uma determinada função.

Porém, mesmo estando no Canadá por meio deste método, o seu visto fica totalmente vinculado à empresa que lhe contratou, sendo finalizado assim que você for demitido por ela, o que não se torna uma opção muito estável para quem deseja imigrar.

E por último, mas com certeza não menos importante, é o ingresso no país por meio do visto de estudo para a realização de um College Privado (Quebec) ou Público, que além de disponibilizar o study permit, permite que você trabalhe 20h semanais no horário contrário ao seu turno de estudo, gerando uma renda importante para você. Após terminar o College, você terá acesso ao PGWP – Post-Graduation Work Permit.

Como funciona e quais os requerimentos para o PGWP?

O PGWP é um programa disponibilizado pelo Canadá para estrangeiros formados em algum curso de graduação que tenha vínculo com o programa, permitindo que você trabalhe o tempo equivalente aos seus estudos no país. Por exemplo: Se o seu curso teve 2 anos de duração, você poderá trabalhar por 2 anos após o término dele.

Requisitos para o PGWP no Canadá

  • Concluir um programa de treinamento acadêmico, vocacional ou profissional em uma instituição qualificada no Canadá com pelo menos 8 meses de duração, levando a um grau, diploma ou certificado;
  • O status de estudante em tempo integral no Canadá durante cada sessão acadêmica do programa;
  • Ter uma transcrição e uma carta oficial do DLI (Designated Learning Institution) elegível, confirmando que cumpriram os requisitos para completar seu programa de estudos.

O estudante tem até 180 dias para entrar com o pedido de PGWP após o término do seu curso.

Caso você perca o tempo limite, você pode adquirir um visto de visitante para que a sua estadia seja prolongada. Ou em caso de não conseguir a prolongação, é possível dar entrada no PGWP estando fora do Canadá.

Curtiu o conteúdo? Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Estude e trabalhe no exterior Estude um idioma fora do Brasil Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio

Melhores países da Europa pra fazer intercâmbio em 2022

Fala, galera! Fizemos uma lista dos melhores países da europa para fazer um intercâmbio em 2022, com base em cultura, custo de vida e instituições de ensino de alta qualidade para brasileiros.

Você verá neste post:

  1. Melhores países da Europa
  2. Custo de vida na Europa
  3. Estudar e trabalhar na Europa

Melhores países da Europa

Viajar pela Europa é um sonho comum entre brasileiros. A história, cultura, cozinha e beleza natural do continente atrai pessoas do mundo todo, mas não só isso.

Para muitos brasileiros, conhecer a Europa é reviver a história de sua família – até porque o Brasil foi colonizado e até hoje é povoado por diferentes nacionalidades europeias.

Curiosidade: Cerca de 68.1% da população possui ascendência europeia, segundo pesquisa.

Pensando nisso, separamos os países da Europa que se destacam em valor histórico, cultura, receptividade com estrangeiros, poder de compra e, claro, melhores instituições de ensino para quem busca crescer profissionalmente.

Países que não precisam de visto para brasileiros

Intercâmbio na Espanha

A Espanha é um país belíssimo, com uma arquitetura e história muito ricas. Os idiomas mais falados no país são Espanhol, castelhano (uma variação local do espanhol europeu), catalão e galego.

Um intercâmbio para a Espanha é o momento ideal para aprender espanhol, a quarta língua mais falada do mundo atualmente.

Como já citado antes, a história e cultura espanhola é encantadora, porém, as cidades não se resumem a museus e restaurantes! Se você busca curtição, a vida noturna nas grandes cidades não deixa a desejar, principalmente nos períodos de férias das universidades.

Além disso, as universidades espanholas possuem boas avaliações de seus alunos e reconhecimento internacional.

Custo de vida na Espanha em 2022: economize enquanto estuda no país

Inglaterra: intercâmbio no país da rainha

Um grande número de estudantes internacionais escolhe a Inglaterra como destino, isso porque as universidades inglesas estão entre as melhores do mundo – sem falar no inglês britânico, que é considerado por muitos o mais charmoso e mais fácil de estudar.

Outro razão para a Inglaterra ser tão buscada por estudantes estrangeiros é por conta dos cursos de graduação (undergraduate courses) terem uma duração mais curta do que nos Estados Unidos.

A grande maioria dura em média 3 anos, havendo a possibilidade de acelerar esse processo para dois anos de duração. Além disso, a “tuition” no Reino Unido é consideravelmente mais barata.

Estudar na Europa: conheça as 5 melhores universidades da Inglaterra

O mercado de trabalho na Inglaterra também tem estado com demanda para estrangeiros.

Profissionais da área de saúde e gestores com experiência possuem facilidade maior em encontrar emprego no país.

Porém a maior demanda é por profissões mais operacionais e com baixo nível de especialização, como garçons e esteticistas.

Intercâmbio na Alemanha

A Alemanha é um país seguro e estável, com custo de vida mais acessível que grande parte dos países europeus.

Com universidades famosas pela excelência na formação de profissionais, muitas oferecem cursos por um valor mais baixo de “tuition”, buscando incluir mais alunos no ensino superior.

Além disso, o país possibilitada que estudantes cursem suas graduações ou pós em inglês, com a opção de aprender a língua alemã (para estudantes internacionais).

Também é possível trabalhar até 20h/semanais durante seu intercâmbio no país. E pesquisas indicam que cerca de 60% dos estudantes internacionais trabalham meio-período enquanto estudam.

Por que estudar na Alemanha: 5 motivos que fazem o país tão incrível

França: como é morar no país

A França possui mais de 3.000 instituições de ensino superior espalhadas por todo o país.

Com paisagens inesquecíveis e comidas deliciosas, a cultura francesa é conhecida e amada ao redor do mundo.

A língua oficial no país é o francês, tornando a experiência do intercâmbio ainda mais enriquecedora: você estará em contato com pessoas do mundo inteiro e terá a chance de desenvolver a fluência em um dos idiomas mais românticos!

Mas não se preocupe, se você ainda não fala francês, existe a opção de estudar o idioma enquanto se prepara para estudar nas instituições de ensino superior do país, o Programa Pathway.

Se quiser saber mais sobre o Pathway e como você pode tirar seu visto de estudante para a França, fale com nossos consultores aqui.

Como funciona o ensino superior na França

Intercâmbio em Malta: como é morar na ilha europeia

Apesar de não ser tão conhecido como os outros países da Europa citados aqui, Malta é o destino ideal pra quem busca conhecer o continente e estudar inglês sem gastar muito.

Com uma boa qualidade de vida e possibilidade de trabalhar em intercâmbios de média duração (a partir de 90 dias), Malta é um país inesquecível.

Saiba mais sobre Malta aqui

Custo de vida na Europa

O custo de vida na Europa pode ser um pouco elevado para quem recebe em reais.

Porém, a partir do momento que você está inserido no mercado de trabalho dos países da Europa citados abaixo, seu estilo de vida ficará bem mais confortável do que no Brasil, por exemplo.

Abaixo, trouxemos uma tabela com o custo de vida nos melhores países da Europa para seu intercâmbio, confira:

País da EuropaCusto de vida (sem aluguel)Salário mínimo mensal
Espanha619.89€1000€
Inglaterra658.01£1520£
Alemanha801.80€1621€
França849.47€1603€
Malta732.24€792.3€
Todas as moedas acima são o Euro, com exceção da Inglaterra, que utiliza a Libra.

Se a gente comparar a Malta com o estilo de vida em São Paulo, podemos ter uma noção melhor do poder de compra na Europa (sendo a Malta o país com custo de vida mais alto quando comparado com salário mínimo):

Europa (média dos países)São Paulo, Brasil
Salário Mínimo (40h/semanal)792.3€R$1212
Custo de vida (sem aluguel)732.24€R$2,929.37
valores retirados da plataforma Numbeo, em Maio de 2022

Como planejar seu intercâmbio: 5 passos pra tirar seu sonho do papel

Estudar e trabalhar na Europa

Como você deve ter percebido, a Europa é um continente cheio de possibilidades pra quem busca estudar fora do Brasil.

Além disso, o mercado de trabalho está cada vez com mais demanda por profissionais qualificados nas áreas de saúde, tecnologia, comunicação e engenharias.

Por isso, é importante estar preparado para as vagas ofertadas nos países: seja estudando um novo idioma (francês, inglês ou espanhol), seja fazendo cursos superiores ou profissionalizantes no país – colocando seu currículo nos padrões europeus.

Se você deseja morar na Europa, comece agora a planejar seu intercâmbio nos melhores países do continente. Entre em contato com nossos especialistas e descubra qual o melhor destino pra você.

Postagens que você também pode gostar de ver:

Intercâmbio e mochilão pela Europa: como conciliar?

Intercâmbio de 1 mês: dicas pra aproveitar as férias no exterior

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Estados Unidos Estude e trabalhe no exterior Estude um idioma fora do Brasil Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio

Estudar nos Estados Unidos: 7 vantagens de fazer intercâmbio nos EUA

Fala, galera! Os EUA são o destino preferido de quem procura experiências incríveis envolvendo artes e educação. E se você ainda está na dúvida se vale a pena ou não conhecer o país, não se preocupe! Separamos 7 vantagens de estudar nos EUA – e você vai se apaixonar ainda mais, pode ter certeza.

Por que estudar nos Estados Unidos?

Não é de hoje que os Estados Unidos vem ocupando o topo dos rankings em educação superior de qualidade.

O país investe muito em tecnologia e pesquisa, abrindo espaço para pesquisadores ao redor do mundo que buscam fazer a diferença em suas áreas.

Se você tem o sonho de estudar nos Estados Unidos mas ainda não sabe como começar, entre em contato com nossos especialistas! Eles estarão preparados para tirar suas dúvidas sobre o país e vão te ajudar a se planejar pra realizar esse sonho. Só deixar seu contato aqui.

Melhores instituições de ensino do mundo

Existem mais de 4.000 universidades pelos Estados Unidos, que oferecem opções diversas de cursos de graduação e pós, bem como cursos profissionalizantes e técnicas em alguns casos.

De acordo com o ranking da Top Universites, os Estados Unidos possui 5 universidades entre as TOP10 globais, ocupando o primeiro lugar mundial com a MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Mas se você procura um curso de curta duração, idiomas ou técnico, não se preocupe. Não são apenas as universidades americanas que se destacam! A EC English e OHC English, por exemplo, são duas instituições renomadas que ocupam o Top10 de melhores escolas de inglês dos Estados Unidos.

Ivy League: tudo sobre as 8 universidades dos EUA

Conheça algumas das melhores e mais renomadas universidades do mundo localizadas nos Estados Unidos.

Variedade de cursos para estudantes internacionais

Você com certeza deve conhecer alguém que precisou fazer uma graduação inteira em uma área para depois se especializar na área de atuação de seu interesse.

Isso acontece porque as instituições de ensino costumam ofertar apenas cursos mais “gerais”. Hoje em dia é fácil encontrar um curso de jornalismo, mas são poucas as instituições que ofertam o curso de Relações Internacionais, por exemplo.

Bom, nos Estados Unidos é bem difícil que alguém precise passar por algo parecido. Isso porque com tantas instituições de ensino e investimento em educação e pesquisa, as opções para os estudantes são infinitas.

Traduzindo: se você deseja fazer um curso “diferente”, como neurociência, você pode – e sem precisar cursar uma graduação inteira de psicologia ou medicina antes. A universidade vai te preparar pra o mercado de trabalho que te interessa.

O melhor inglês para estudar

Tema polêmico!! Não é que exista realmente uma variação da língua inglesa melhor do que a outra, tá? Mas o inglês americano é o que mais vemos em filmes, séries, músicas… Os Estados Unidos domina a internet e suas linguagens, bem como o mundo das artes.

Vendo por esse lado, faz sentido que o inglês americano seja o melhor para estudar, né? Você estará aprendendo com o que é mais ouvido e usado ao redor do mundo.

Além disso, estudando nos EUA você estará em contato com pessoas do mundo inteiro. Ou seja, estará praticando o idioma e colocando em prática suas habilidades com pessoas com diferentes sotaques e vocabulários. Dá pra ver que estudar nos Estados Unidos é uma experiência completa de aprendizado, né?

Ainda não fala inglês fluentemente? Não se preocupe! É possível fazer cursos de inglês intensivos (e preparatórios) para as instituições de ensino superior fora do Brasil – tudo isso fora do Brasil.

Estudar nos Estados Unidos: vantagens de fazer ensino superior no país

Além das instituições renomadas globalmente, um diploma americano tem a vantagem do reconhecimento internacional.

Um bom profissional formado nos EUA se destaca no mercado de trabalho de qualquer país que deseje morar, em especial nas áreas de tecnologia e saúde – que estão recebendo incentivo ainda mais significativo no país durante os últimos anos.

Como estudar no exterior: passo a passo para graduação fora do Brasil

Tecnologia: os Estados Unidos é 3º país mais inovador do mundo

Segundo o Global Innovation Index de 2021 os Estados Unidos ocupa o terceiro lugar em inovação, demonstrando a resiliência do país e preocupação com o tema mesmo durante a pandemia.

O index de 2021 comparou 132 economias e os EUA ultrapassou até mesmo países como Alemanha, Japão, China e Austrália. O Brasil ocupou o 57º lugar no mesmo ranking global e 4º na América Latina.

E os resultados não poderiam ser diferente: EUA é berço de grandes empresas de tecnologia (fintechs), startups e centros comerciais.

Além da universidade: atividades extracurriculares

O sistema de ensino americano valoriza não apenas as habilidades em sala, mas também a vida dentro e fora do campus. Atividades como teatro, esportes e música são apenas algumas das opções que os estudantes possuem pra expandir seus horizontes.

E não se engane: as atividades extracurriculares são essenciais pra sua experiência de intercâmbio.

Tanto por facilitar a integração entre os estudantes e o networking, mas também pra fazer novos amigos e ter a oportunidade de conhecer o país através dos olhos de quem já está por lá há mais tempo.

Bolsas de estudo para estudantes internacionais nos EUA

O ensino superior nos Estados Unidos abre suas portas para estudantes qualificados do mundo inteiro.

Por conta dos valores elevados de suas instituições mais famosas, diversas bolsas de estudo são ofertadas todos os anos. E mais: qualquer um pode estar apto para ingressar através das bolsas de estudos, basta estar preparado pra realizar esse sonho.

Por isso, aqui na Dreams Intercâmbios oferecemos uma Assessoria Acadêmica de ponta, guiando estudantes brasileiros no processo de ingresso em grandes instituições internacionais, com ou sem bolsa de estudos.

Como planejar seu intercâmbio: 5 passos pra tirar seu sonho do papel

Multiculturalidade: conheça pessoas do mundo inteiro

Como já dissemos antes, os Estados Unidos é um país com grande número de estrangeiros. Vindos de todos os continentes, a população multicultural do país é aquecedora.

Grandes cidades como Nova York são compostas por diferentes aromas, cores e personalidades. A cada rua, a cada bairro, você será arrematado por uma nova experiência inesquecível.

Fazer intercâmbio em um país multicultural como os Estados Unidos é uma oportunidade de conhecer um pouquinho de cada parte do mundo. Cada pessoa nova abrirá novas portas cheias de experiências pra você!

Postagens que você também pode gostar de ver:

Melhores cidades dos EUA: 5 locais pra morar durante seu intercâmbio
Custo de vida nos Estados Unidos em 2022: economize durante a viagem
Estudar Fora: checklist com 10 itens pra estar em dia antes de estudar no exterior

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Austrália Dicas de viagem Estude e trabalhe no exterior Estude um idioma fora do Brasil Graduação e Pós no Exterior Tudo sobre intercâmbio

5 Melhores cidades da Austrália para seu intercâmbio

Fala, galera! Conheçam as melhores cidades da Austrália para seu intercâmbio e compare a qualidade de vida, custos nas cidades e cultura local.

Melhores cidades da Austrália para seu intercâmbio em 2022

A Austrália é um país de dimensões continentais, com uma democracia estável e população culturalmente diversa.

Morar na Austrália é habitar um país onde o presente importa tanto quanto o futuro.

Membro fundador da Organização das Nações Unidas (ONU), a preocupação com o crescimento econômico e preservação da fauna e flora presentes na região resultou em 2020 em 28 anos seguidos de crescimento, fazendo da Austrália a 14º maior economia do mundo.

Segundo o site oficial do governo australiano, o país é lar para cerca de 25 milhões de pessoas de outros 200 países, totalizando uma média de 30% da população. Não dá pra negar que a Austrália é um destino muito desejado, né?

O mais interessante é que por ter tantas pessoas de fora da Austrália, são faladas mais de 300 linguagens em solo australiano. Sendo inglês a língua oficial, seguido pelas 5 mais faladas: mandarim, árabe, cantonês, vietnamita e italiano.

Sabemos que a Austrália abre portas para um novo estilo de vida, e que um intercâmbio para o país é o primeiro passo pra quem busca crescer pessoal e profissionalmente.

Por isso, separamos as 5 melhores cidades para você do país pra você poder se preparar pra sua viagem:

Adelaide, South Australia: a cidade mais barata da Austrália

Adelaide é a melhor cidade da Austrália para quem busca uma boa gastronomia e baixo custo de vida.

Sede do Barossa Valley, uma das melhores regiões produtoras de vinhos da Austrália, Adelaide é um centro cultural e econômico australiano.

Qualidade de vida em Adelaide, Austrália

Adelaide é a 5º maior cidade da Austrália e está localizada na Austrália do Sul (ou Austrália Meridional), se destacando economicamente nos setores de administração, educação e saúde.

Em questão de qualidade de vida, Adelaide possui todos os índices em alta. Baixo nível de poluição, um trânsito bem estruturado, clima agradável, segurança para os moradores e poder de compra alto são apenas algumas das vantagens de morar em uma das melhores cidades da Austrália.

Adelaide: Custo de vida em uma das melhores cidades da Austrália

Adelaide é a melhor cidade da Austrália para economizar durante o intercâmbio. O custo de vida é em média 12% mais barato que em outras capitais do país.

Contas básicas como aluguel, transporte e alimentação se destacam enquanto as mais baratas, permitindo ao estudante aproveitar mais a cidade e suas opções de entretenimento. Além de guardar uma graninha pra viajar pela Oceania!

Confira abaixo o custo de vida médio na cidade australiana e compare com os custos em São Paulo.

AdelaideSão Paulo
Custo de vida total (sem aluguel)AUS$ 1323.45 R$ 2889.66
Combo no McDonaldsAUS$ 13.25R$ 35.00
Transporte público (mensal)AUS$ 105.00R$ 275.00
Salário mínimo (hora)AUD$ 19,84R$ 6,87
Dados extraídos da plataforma Numbeo

Como você pode ver acima, o custo de vida de Adelaide quando comparado ao de São Paulo acaba sendo ainda mais vantajoso.

Em São Paulo, o salário mínimo mensal para alguém que trabalha 40 horas/semanais equivale a R$ 1.100,00, menos que a metade do necessário para se manter na metrópole brasileira.

Enquanto isso, em Adelaide, um estudante internacional que trabalha 20 horas/semanais recebe em média AUS$ 1587.00 mensal, ainda sobrando uma quantia para pagar o aluguel de um espaço compartilhado na cidade.

A tabela acima se baseia em dados médios de moradores das capitais citadas. Claro que a realidade pode variar de acordo com as escolhas individuais, mas fica visível que o Estilo de Vida Australiano permite, até mesmo para estrangeiros, uma maior qualidade de vida.

[Post] Como trabalhar na Austrália em 2022: profissões em alta no país

Fica a dica: nossa equipe Dreams disponibiliza planilhas e materiais para você se planejar financeiramente antes e durante seu intercâmbio! Se quiser saber mais sobre seu intercâmbio na Austrália, deixe seu contato aqui que falaremos com você.

Melbourne, Victoria

De acordo o site australiano, Insider Guides, Melbourne é considerado tão bom de morar por conta de seu transporte público tão ágial e variado, baixa criminalidade, mercado de trabalho com espaço para brasileiros. universidades de alto nível e a cultura.

Capital cultural do país, Melbourne fica localizada no sudeste australiano, no estado de Victoria. Depos de Sydney, é a segunda cidade mais populosa do continente.

Como já citamos, em qualidade de vida, a terceira melhor cidade do mundo para estudantes de acordo com o ranking do Top Universities não decepciona!

Se você procura aventura em uma das cidades do futuro, Melbourne é uma forte candidata.

Profissões em alta demanada na Austrália: apesar de ter espaço pra todos, enfermeiras, professores de ensino fundamental, eletricistas, engenheiros e programadores podem encontrar ainda mais facilidade em ingressar no mercado de trabalho australiano.

[Post] Como estudar na Austrália em 2022: tire seu visto e entenda o sistema educacional

Custo de vida em Melbourne, cidade na Austrália

Como em todas as cidades australianas, o salário mínimo em Melbourne é o maior do mundo – garantindo a quem visa estudar e trabalhar no país uma vida mais confortável.

Comparamos o custo de vida nessa cidade da Austrália com o estado de São Paulo no ano de 2022. Veja:

MelbourneSão Paulo
Custo de vida total (sem aluguel)A$ 1350.89R$ 2889.66
Combo no McDonaldsA$ 13R$ 35
Transporte público (mensal)A$ 161R$ 275
Salário mínimo (hora)A$ 19,84R$ 6,87

De acordo com a pesquisa do Numbeo, o poder de compra em Melbourne é 286.5% maior que em São Paulo, cidade brasileira igualmente grandiosa.

Confira mais sobre o custo de vida na Austrália clicando aqui.

Brisbane, Queensland

Tão conhecida como Melbourne e Sydney, Brisbane é a cidade “mais central” da Austrália – e com essa excelente localização vantajosa você estará perto de atrações como a Daintree Rainforest, Great Barrier Reed e praias costeiras estonteantes.

Uma população amigável e com mais dias ensolarados do que em qualquer outra cidade australiana, este também é um destino econômico e seguro para estudantes internacionais.

Fica a dica: a Austrália é um país ensolarado, porém com temperaturas mais baixas do que no Brasil, permitindo um verão super agradável. A melhor época do ano para conhecer os países da Oceania é na primavera e inicio do verão – de outubro à março.

Brisbane, Austrália: Como é o custo de vida na cidade

Carreiras nas áreas de saúde, turismo, construção e tecnologia são as que se destacam atualmente em Brisbane. A demanda por profissionais dessas áreas tem estado cada vez maior.

Separamos alguns dados pra você comparar o custo de vida em Brisbane com o que temos em São Paulo:

BrisbaneSão Paulo
Custo de vida total (sem aluguel)A$ 1382.39R$ 2889.66
Combo no McDonaldsA$ 13.5R$ 35
Transporte público (mensal)A$ 198$275
Salário mínimo (hora)A$ 19,84R$ 6,87

Nesta postagem falamos um pouco mais sobre a história da cidade e estilo de vida. Leia aqui.

[Post] Estudar na Austrália: conheça as 3 melhores escolas de inglês pra você

Gold Coast, Queensland

Mais uma cidade da “terra da rainha” – Queensland em inglês – que rouba o coração de estudantes.

Sonho de consumo de surfistas e apaixonados por praia, a costa dourada australiana ainda é espaço para escolas de inglês premiadas.

O estilo de vida na cidade é calmo cheio de diversões. Durante seu intercâmbio em Gold Coast, você estará em contato com estudantes do mundo inteiro e imerso em novas culturas.

Como é o custo de vida em Gold Coast para estudantes

Com um custo de vida mais baixo do que em Brisbane e Melbourne, a Gold Coast mantém um padrão de vida similar às outras cidades australianas.

Gold CoastSão Paulo
Custo de vida total (sem aluguel)A$ 1341.47R$ 2889.66
Combo no McDonaldsA$ 12.5R$ 35
Transporte público (mensal)A$ 160R$275
Salário mínimo (hora)A$ 19,84R$ 6,87

Sydney, New South Wales

Por ser mundialmente famosa e uma grande metrópole australiana, Sydney costuma ser confundida enquanto capital da Austrália, entretanto, a capital australiana é a cidade de Camberra.

Ainda assim, Sydney é o destino mais buscado por estrangeiros que visitam o país.

A cidade da Austrália é uma das melhores do mundo em qualidade de vida e educação. É o destino perfeito pra estudar inglês, fazer um curso superior, profissionalizante ou apenas curtir!

Custo de vida na cidade mais famosa da Austrália

O custo de vida em Sydney é bem mais alto do que as outras cidades que apresentamos. Veja abaixo:

Valor
Custo de vida total (sem aluguel)A$ 1442.55
Combo no McDonaldsA$ 112.8
Transporte público (mensal)A$ 217.39
Salário mínimo (hora)A$ 19.84

[Post] Como planejar seu intercâmbio: 5 passos pra tirar seu sonho do papel

Como você pode perceber, aqui na Dreams Intercâmbios nós somos apaixonados pela Austrália – e a Oceania num geral!

Escolher entre tantas cidades espetaculares pode parecer uma missão impossível, mas temos certeza que independente disso sua experiência no país vai superar qualquer expectativa.

Se quiser começar a criar seu plano para estudar e trabalhar na Austrália, não deixe de entrar em contato com nossos especialistas.

Sem nenhum compromisso, iremos te ajudar a se preparar pra seu intercâmbio!

Postagens que você também pode gostar de ver:

Como morar na Austrália em 2022: conheça a melhor forma de imigrar
Morar na Austrália: 5 curiosidades que você precisa conhecer (Parte 1)
Como trabalhar na Austrália em 2022: profissões em alta no país

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Curiosidades Estados Unidos Graduação e Pós no Exterior

Ivy League: tudo sobre as 8 universidades dos EUA

Fala, galera! O sonho de estudar fora do país é comum em muitos brasileiros que buscam mudar de vida. Por isso, preparamos esse guia sobre as universidades da Ivy League, consideradas as melhores do mundo.

A Ivy League é composta por Harvard, Yale, Princeton, Darthmouth, Penn, Columbia, Brown e Cornell. Excelência em educação e tradição, grandes personalidades como Barack Obama e Meryl Streep estudaram nas escolas que fazem parte.

Você verá nesta postagem:

  1. O que é a Ivy League?
  2. Como estudar em Harvad e Ivy League

O que é a Ivy League?

Se você é apaixonado por filmes e séries com certeza já viu muitas histórias sobre jovens que sonham em estudar em grandes universidades nos Estados Unidos, como no filme Legalmente Loira ou A Barraca do Beijo.

Também já deve ter percebido os casacos e suéteres que são vestidos com orgulho pela comunidade acadêmica, bem como familiares e amigos.

Isto porque no exterior, e principalmente para os estadunidenses, estudar em universidades renomadas da Ivy League é alcançar um novo patamar, ingressar em um mundo de luxo educacional – e monetário também, haha!

A Ivy League, ou The Ancient Eight (As oito anciãs) é um conjunto de 8 universidades que estão localizadas, em sua maior parte, no nordeste dos Estados Unidos, sendo elas: Harvard, Cornell, Brown, Princeton, Dartmouth, Yale, Columbia e a Universidade da Pensilvânia.

Brasões das universidades da Ivy League

A liga de universidade surgiu quando a NCAA – National Collegiate Athletic Association, criou a Divisão A-1, que reunia apenas a elite das instituições que participavam do futebol americano e basquete.

E mesmo sem utilizar o nome “Ivy League” na época do surgimento, o elitismo dessas escolas já se mostrava.

Todas as equipes mantinha um alto nível de performance dentro de campo. Com o passar dos anos, as universidades foram ganhando fama para além dos esportes, formando também mentes grandiosas.

Nos Estados Unidos, e também no mundo, estas instituições são vistas como a elite educacional que aceita apenas o melhor dos melhores.

Com processos rigorosos de admissão, assim como o oferecimento de bolsas de estudo para alunos nativos e internacionais, estudantes da Ivy League são preparados pra se destacar no mundo, em qualquer área que desejem atuar.

Universidades da Ivy League

Você já aprendeu sobre o que é a Ivy League, agora é hora de saber quem são as universidades que compõem este grupo seleto de universidades, que até hoje são popularmente relevantes a nível mundial de qualidade de ensino.

Universidade de Harvard, em Massachussetts

Harvard logo - Ivy League

Sendo a universidade mais antiga dos Estados Unidos da América, Harvard é uma instituição privada fundada em 1636. a universidade de Harvard fica localizada em Massachusetts, com o campo principal na cidade de Cambridge.

 A universidade de Harvard tem costume de sempre figurar na primeira posição de diversos rankings mundiais sobre instituições de ensino superior, o que resulta no seu grande prestígio, fazendo dela uma das universidades mais famosas do mundo.

Os cursos de direito, ciências sociais, saúde e literatura são apenas alguns dos que se destacam. Harvard é a melhor instituição para quem pretende ingressar na carreira de pesquisador.

Também é possível fazer cursos de extensão na instituição, além da graduação e pós. Atualmente, você pode estudar na universidade de Harvard de graça, através de cursos online em sua plataforma digital. Para conferir é só clicar aqui.

Cornell University, em Nova York

Cornell University logo

Localizada em Nova York e fundada em 1865 por Ezra Cornell e Andrew Dickson White, a Universidade de Cornell é uma instituição de pesquisa privada e parceira da State University of New York.

A universidade conta com mais de 119 mestres em seu corpo docente e expõe o compromisso de abranger todos os campos de conhecimento dentro das suas paredes.

Em seu campus, existem alunos de diversas partes do mundo, com destaque nos cursos de graduação – que segundo o site oficial da universidade – possui 50% de estudantes internacionais.

[Post] Como estudar no exterior: passo a passo para graduação fora do Brasil

Brown University, em Rhode Island

Brown University - Logo

A Brown University foi fundada em 1764, quando os Estados Unidos nem mesmo eram independentes da Inglaterra.

Desde então, a universidade localizada em Providence, tem se provado como uma das melhores instituições de ensino do país, responsável pela graduação de diversos famosos que já conhecemos das grandes telas, como Emma Watson, John Krasinski, Julie Bowen e Laura Linney.

Inovação, impacto e colaboração guiam os estudantes e docentes que povoam os campos de Brown.

Com cursos de graduação, pós-graduação, profissionalizantes e especializações, a Universidade de Brown é um centro educacional acolhedor para estudantes do mundo inteiro.

Universidade de Princeton, Nova Jersey

Princeton University - Ivy League

Assim como a universidade de Harvard e Yale, você com certeza já deve ter ouvido falar na universidade de Princeton em filmes e séries, como no sucesso dos anos 2000: Gilmore Girls.

Fundada em 1746, a universidade de Princeton, atualmente, no ranking National Universities, está em 1º lugar, deixando para trás a renomada Harvard, a tradicional Columbia e o grande MIT. Além disso, Princeton é uma instituição de referência no curso de direito.

A universidade além de formar grandes profissionais, também se preocupa com sua inclusão no mercado de trabalho. O Centro de Desenvolvimento de Carreira de Princeton oferece oportunidades para networking, bem como conselheiros e estágios em grandes empresas.

Além disso, esta universidade da Ivy League apoia o empreendedorismo entre seus alunos, contando com um Hub que serve de incubadora para diversos projetos internos. No verão, os alunos ainda podem participar de uma imersão de 10 semanas focada no aprendizado e desenvolvimento de startups. Incrível, né?

Dartmouth College, New Hampshire

Dartmouth College - Ivy League

Fundada em 1769 e tendo um clima muito mais voltado ao ar livre nos campos de New Hempshire, a Dartmouth College é conhecida por ser uma instituição menor, com um estilo único de ensino.

Com salas pequenas, que consequentemente tem menos alunos, a dinâmica em sala de aula é bem mais personalizada – e rigorosa.

E por conta do clima intimista que existe na instituição, o networking entre alunos e professores é ainda maior.

Por ser um college, o ensino na instituição é muito mais focado em áreas do conhecimento específicas. Se você deseja se especializar nas “Liberal Arts” – engenharia, ciências sociais, cinema, música, e mais – Darthmouth é o caminho.

[Post] Melhores cidades dos EUA: 5 locais pra morar durante seu intercâmbio

Universidade de Yale, Connecticut

Yale Logo - Ivy League

Sendo uma instituição privada, a segunda mais antiga dos Estados Unidos e fundada em 1701, Yale está localizada em New Haven, Connecticut.

Yale é considerada uma grande e ótima casa para quem ama a arte da atuação, música, ciências sociais, ciências biológicas e biomédicas, história, engenharia, matemática e estatística.

Segundo o site oficial da universidade, os alunos internacionais nos campus vem de cerca de 120 países ao redor do mundo.

E com é de costume das instituições da Ivy League, muitas bolsas de estudo são cedidas. A universidade liberou os dados de que mais de 3 mil bolsas já foram doadas à alunos, garantindo uma inclusão e diversidade ainda maior nos campus.

Columbia University, New York

Columbia University - Ivy League

Fundada em 1754, a Columbia University tem um campus de característica mais urbana e utiliza as cores azul e branco como o grande destaque do seu brasão.

A universidade se orgulha de ter em seu histórico alunos que marcaram época e que fazem parte do hall da fama da instituição, incluindo 4 presidentes, 46 campeões olímpicos, 84 ganhadores do prêmio Nobel e mais de 90 ganhadores do Pulitzer.

E além dos cursos de graduação e pós na instituição, ainda é possível estudar inglês como segunda língua e fazer cursos profissionalizantes. Imagina você estudando em uma universidade Ivy League!

Universidade da Pensilvânia, Pensilvânia

University of Pennsylvania - Ivy League

Há 281 anos, a Universidade da Pensilvânia ganhava vida em um local que você já pode imaginar. Isso mesmo, na Pensilvânia.

Em 1740 era fundada a universidade responsável por ministrar e promover a graduação nos cursos de Business, administração, marketing, ciências sociais, ciências biológicas e biomédicas, engenharia, filosofia, estudos religiosos e muitas outras possibilidades. 

Além da excelência em educação e inserção no mercado de trabalhando, a universidade investe cerca de US$ 1.1 bilhões por ano em pesquisa. Os estudantes da instituição recebem todo o apoio pra se manter ao longo de suas pesquisa.

E você, já pensou em investir em sua carreira de pesquisador nos Estados Unidos?

Como estudar em Harvad e Ivy League

O caminho para estudar nas melhores universidades do mundo não é fácil, porém é super possível.

Nesta postagem falamos um pouco mais sobre as vantagens do ensino superior nos Estados Unidos.

Diferente do que muitos imaginam, conseguir uma vaga em uma dessas instituições Ivy League, bem como suas bolsas de estudo disponibilizadas para estrangeiros, precisa de mais planejamento e estratégia do que qualquer outra coisa.

Seu desenvolvimento acadêmico no Brasil será levado em conta em sua aplicação, bem como seu nível de inglês, mas o mais importante é seu diferencial.

Universidades americanas procuram estudantes que façam a diferença em sua comunidade, que tenham interesse não apenas em tirar boas notas, mas em atividades extracurriculares, como viagens, voluntariados, artes, esportes e mais!

Aqui na Dreams oferecemos uma Assessoria Acadêmica que te ajuda durante todo o processo de aplicação, traçando o melhor caminho pra você atingir seu sonho.

E se não for hoje, quando você vai começar a ir atrás do seu futuro? Entre em contato com a gente através do link abaixo e fale com nossos especialistas.

Leia também:

Visto Americano: tudo que você precisa saber para entrar nos EUA

Nova York: 11 lugares que você precisa conhecer no seu intercâmbio

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Alemanha Austrália Canadá Dicas de viagem Estados Unidos Estude um idioma fora do Brasil Inglaterra Itália Malta

Intercâmbio de 1 mês: dicas pra aproveitar as férias no exterior

Fala, galera! Estão chegando suas férias e você está pensando em fazer um intercâmbio de 1 mês, né? Não se preocupe! A gente te conta tudo que você precisa saber: custos, prós e contras e o mais importante: quais os melhores destinos pra um intercâmbio de curta duração. Continua lendo!

Você verá nesta postagem:

  • Melhores destinos para um intercâmbio de 1 mês
  • Intercâmbio de 1 mês vale a pena: vantagens e desvantagens

Melhores destinos para um intercâmbio de 1 mês

Fazer um intercâmbio de 1 mês é a saída pra quem não tem muito tempo e quer aproveitar as férias em outro país, conhecendo uma nova cultura e colocando um novo idioma em prática.

Você sabia? Durante seu intercâmbio de curta duração você também pode aproveitar para se especializar em sua área de atuação, com cursos profissionalizantes e qualificantes em instituições renomadas ao redor do mundo.

Por isso, escolher o destino ideal pra você é tão importante! Separamos os 10 melhores destinos para brasileiros ao redor do mundo que vão te permitir aproveitar essas 4 semanas ao máximo.

Na lista abaixo, você pode conferir os idiomas falados no local e a melhor época do ano para visitar.

Melhores DestinosIdiomasMelhor época para conhecer
Vancouver, CanadáinglêsMarço à Maio
San Francisco, EUAinglêsMarço à Junho / Setembro à Dezembro
Montreal, Canadáfrancês e inglêsMaio, Junho e Setembro
Munique, Alemanhainglês e alemãoAbril e Outubro
Liverpool, InglaterrainglêsJunho à Agosto
Valência, EspanhaespanholMaio e Junho / Setembro à Novembro
Valletta, Maltainglês e italianoAbril à Julho
Gold Coast, AustráliainglêsSetembro à Fevereiro
Auckland, Nova ZelândiainglêsOutubro à Abril
Capetown, África do SulinglêsDezembro à Março

[Post] Países que não precisam de visto para brasileiro

Intercâmbio de 1 mês vale a pena: vantagens e desvantagens

O número de brasileiros buscando intercâmbios de curta duração aumenta a cada ano.

Por conta da vida corrida no trabalho e a necessidade de aprender e praticar outros idiomas, como o inglês, muitos profissionais e estudantes se aventuram por outros países nos meses de férias.

[Post] Intercâmbio ou curso de inglês: como atingir a fluência mais rápido

Se seu plano é morar de vez fora do país, um intercâmbio de curta duração é interessante por te permitir conhecer seu destino dos sonhos e a cultura local.

Outra grande vantagem é pra quem quer melhorar o currículo e se destacar no mercado internacional: como dissemos antes, é possível estudar o idioma enquanto faz um curso de especialização na sua área. Além das experiências inesquecíveis no país, você ainda cresce profissionalmente!

Para famílias, Winter e Summer Camps são grandes divisores de águas: é um momento para se reconectar e criar memórias com quem você mais ama, em destinos inesquecíveis.

A grande desvantagem do intercâmbio de 1 mês é que ele passa rápido… e você vai se apaixonar pelo seu destino, pode ter certeza!

Intercâmbio de curta duração: dicas pra aproveitar ao máximo

Por ser um tempo relativamente curto, é interessante se organizar para sua viagem.

Se você for para Malta ou Espanha, por exemplo, uma Eurotrip é quase que obrigatória!

Na Europa os preços das passagens de avião entre os países do continente são muito baratas – chegando a custar 60 ou 70 reais! dá pra imaginar!? – por isso, é interessante aproveitar a oportunidade e viajar mesmo!

Procurar locais para alugar em Airbnbs e hostels também pode te ajudar a economizar e fazer amigos. Conhecer outros intercambistas e nativos vai multiplicar suas chances de diversão – então não tenha medo de fazer amizades!

[Vídeo] Como fazer uma Eurotrip | Principais dicas e dúvidas!

Já está pensando em fazer sua viagem? Não perde tempo e comece a planejar suas próximas férias com a gente. No link abaixo você pode deixar seu contato para que nossos consultores entrem em contato com você pelo WhatsApp ou Email.

Tudo de graça e sem cobranças, nossos consultores especialistas vão te ajudar com suas dúvidas e a realizar esse sonho.

Você também pode gostar de ver:

Viajar sozinha: 5 melhores destinos ao redor do mundo

7 lugares para conhecer no Canadá em 2022: como viajar para o país da Maple Leaf

Como planejar seu intercâmbio: 5 passos pra tirar seu sonho do papel

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Austrália Curiosidades Tudo sobre intercâmbio

Anzac Day: conheça o feriado histórico da Oceania

Fala, galera! O Anzac Day é um feriado tradicional da Austrália e Nova Zelândia, que homenageia os soldados que participaram da Primeira Guerra Mundial. Hoje, a comemoração conta com a celebração de diversas tradições, confira abaixo algumas.

Você verá nesta postagem:

  • Anzac Day: o que é e qual a história
  • Tradições e comemorações do Anzac Day
    • The Down Service
    • Anzac Parade
    • Anzac Cookie
    • Anzac Day: a flor de papoula

Anzac Day: o que é e qual a história

Desde 1916 é comemorado o Anzac Day na Nova Zelândia. Celebrado no dia 25 de Abril, a data homenageia a participação do Australian and New Zealand Army Corps (ANZAC), as forças armadas da Oceania.

Juntos, as forças armadas dos dois países enviaram suas tropas para uma expedição no mediterrâneo, na região que hoje é conhecida como a Turquia.

Na época, a Austrália e a Nova Zelândia eram nações recém independentes e ao participar da Batalha de Gallipoli, na Primeira Guerra Mundial, os países se firmaram enquanto autoridades políticas. Basicamente, uma demonstração de força.

A Batalha de Gallipoli durou em média 8 meses, e não acabou bem para o exército ANZAC. Com mais ou menos 10 mil soldados mortos, a bravura dos combatentes deixou um legado grandioso para os Aliados.

Tradições e comemorações do Anzac Day

Após a guerra, a população que ficou em casa, orgulhosa dos combatentes Anzac, saiu em marchas e cerimônias em homenagem aos soldados.

Vigílias ao amanhecer, marchas e memorias começaram a fazer parte das tradições. Porém, foi em 1942, no Australian War Memorial, que ocorreu a primeira celebração formal do Anzac Day na Austrália.

The Down Service

O Down Service ou Culto ao Amanhecer, é uma vigília que acontece durante a madrugada. Por conta da rotina militar adotada durante a guerra, os combatentes costumam se revezar em vigílias no período do amanhecer, por ser mais propício ao ataque dos inimigos.

Assim, durante o Anzac Day, a vigília foi adotada como parte da celebração. Cantorias, recitação de poemas, velas, hinos e textos em homenagem aos Anzacs fazem parte do momento. Por fim, ao amanhecer, os hinos da Austrália e Nova Zelândia são entoados.

Anzac Parade

Anzac Parade em Londres

Além da vigílias, diversas paradas marcam o dia. Na Austrália, a mais importante acontece na capital do país, Camberra – na rua chamada Anzac Parade!

Militares, veteranos e seus familiares desfilam ao longo da avenida, do Gallipoli Reach ao Australian War Memorial.

Se você não conseguir vivenciar o Anzac Day no seu intercâmbio, vale a pena conferir o Australian War Memorial.

Anzac Biscuit

Durante a Primeira Guerra Mundial, as famílias dos soldados Anzac enviavam alimentos para reforçar na dieta. Porém, com o tempo de viagem dos alimentos e falta de refrigeração dos alimentos, foi necessário desenvolver algo mais “resistente”.

Assim, surgiram os biscoitos Anzac. Com ingredientes nutritivos e simples como aveia, açúcar, farinha de trigo, côco ralado, manteiga, golden syrup (um tipo de xarope açucarado), bicarbonato e água; o biscoito dos soldados serviu como um mantimento essencial.

Anzac Biscuits

Hoje, durante as celebrações do Anzac Day na Austrália, é comum encontrar esses biscoitos. Remetendo à infância de muitos, os biscoitinhos crocantes são uma delícia!

Anzac Day: a flor de papoula

Talvez o símbolo mais conhecido do Anzac Day sejam as papoulas. Do inglês, poppies, ou flanders poppy, as flores são colocadas em memorias de guerra e no túmulo daqueles que voltaram vivos ao país após a Guerra.

Normalmente, as flores utilizadas para homenagear não são flores “naturais”, e sim representações feitas com papeis ou tecido. Sempre vermelha, representando o sangue derramado nos campos de batalha.

Seja no Anzac Day ou no Memorial Day em novembro, você poderá ver essas flores colorindo a Austrália e Nova Zelândia. E apesar de remeter um momento de tristeza, é um cenário belíssimo de presenciar!

Postagens que você também pode gostar de ver:

Como morar na Austrália em 2022: conheça a melhor forma de imigrar
Morar na Austrália: 5 curiosidades que você precisa conhecer (Parte 1)
Como trabalhar na Austrália em 2022: profissões em alta no país

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.

Categories
Curiosidades Dicas de viagem Estude um idioma fora do Brasil Tudo sobre intercâmbio Vistos e documentações

Países que não precisam de visto para brasileiros

Fala, galera! Existem muitos países ao redor do mundo com as portas abertas para brasileiros, mesmo que por tempo limitado, e hoje trouxemos diversos países que não precisam de vistos para brasileiros.

Você verá nesta postagem:

  • Países que brasileiros não precisam de visto para morar
  • América: países que não precisam de visto
  • Países que não precisam de visto para brasileiros na Europa
  • Ásia: países que você pode entrar sem visto
  • Países que precisam de visto para brasileiros

Países que brasileiros não precisam de visto para morar

Existem cerca de 195 países, de acordo com as regras da ONU, espalhados entre 6 continentes.

Cada país possui suas próprias regras de imigração, que muitas vezes pode variar por conta de acordos e tratados entre nações.

Graças ao tratado do Mercosul, brasileiros podem não apenas visitar, mas também morar em alguns países da América do Sul por até 2 anos. São eles:

  • Argentina
  • Paraguai
  • Uruguai
  • Chile (até 1 ano no país, com o objetivo de encontrar emprego)

América: países que não precisam de visto

Porém, se sua intenção é fazer um intercâmbio ou uma viagem de até 90 dias sem a burocracia de tirar um visto, esses são os países da América que liberam a entrada de brasileiros:

América do Sul

Países que não precisam de vistoTempo que você pode
ficar no país sem visto
Argentinaaté 90 dias
Peruaté 90 dias
Chileaté 90 dias
Paraguaiaté 90 dias
Uruguaiaté 90 dias
Venezuelaaté 90 dias
Colômbiaaté 180 dias
Equadoraté 90 dias
Guianaaté 90 dias
Surinameaté 90 dias
Bolíviaaté 30 dias

[Post] Viajar sozinha: 5 melhores destinos ao redor do mundo

Viaje pela América Central e do Norte sem visto

Países que não precisam de vistoTempo que você pode
ficar no país sem visto
Antígua e Barbudaaté 180 dias
Barbadosaté 180 dias
Costa Ricaaté 90 dias
Dominicaaté 90 dias
El Salvadoraté 90 dias
Granadaaté 90 dias
Guatemalaaté 90 dias
Belizeaté 90 dias
Haitiaté 90 dias
Hondurasaté 30 dias
Jamaicaaté 90 dias
Nicaráguaaté 90 dias
Panamáaté 90 dias
República Dominicanaaté 90 dias
Santa Lúciaaté 90 dias
São Cristóvão e Nevisaté 90 dias
São Vicente e Granadinasaté 90 dias
Trinidad e Tobagoaté 90 dias
Méxicoaté 90 dias
Bahamasaté 90 dias

Brasileiros na Europa

Na Europa, é possível visitar todos os países sem a necessidade de apresentar um visto. Seja uma viagem ou intercâmbio, brasileiros podem ficar até 90 dias em cada país do continente!

São mais de 40 países no continente europeu, entre eles os favoritos são: Irlanda, Alemanha, França e Itália.

[Post] Intercâmbio e mochilão pela Europa: como conciliar?

Ásia: países que você pode entrar sem visto

Apesar de não ser tão procurado quanto a Europa e América do Norte, o continente asiático possui belezas indescritíveis e cerca de 15 países permitem a entrada sem visto por até 30 ou 90 dias.

Dentre eles, os destinos mais buscados são:

  • Chipre – até 90 dias
  • Cingapura – até 30 dias
  • Filipinas – até 59 dias
  • Indonésia – até 30 dias
  • Maldivas – até 90 dias
  • Tailândia – até 90 dias

Países que precisam de visto para brasileiros

Outros países, porém, precisam de visto para a entrada de brasileiros. Um exemplo é os Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

Por isso que aqui na Dreams trabalhamos com nossa assessoria de vistos, que dá o suporte para o estudante e turista durante todo o processo de aplicação.

Você pode entrar em contato pelo link abaixo ou conferir mais conteúdos sobre o assunto em nosso blog, Instagram ou YouTube!

Você também pode gostar de conferir:

Visto Americano: tudo que você precisa saber para entrar nos EUA (ATUALIZADO)
Estudar Fora: checklist com 10 itens pra estar em dia antes de estudar no exterior

Curtiu o conteúdo?
Fica mais um pouco e não deixa de conferir nossas redes sociais pra estar sempre conectado com novidades sobre viagens, culturas e idiomas.