Categories
Curiosidades

Onde fica Malta? Saiba aqui onde fica e a história do país

“Onde fica Malta?”, essa é a pergunta que as pessoas costumam fazer quando ouvem falar sobre Malta pela primeira vez, principalmente quando querem visitar o país e entenderem melhor sobre ele. A história de Malta é tão rica que você poderia passar um dia inteiro lendo sobre ela, mas não se preocupe, nós não vamos fazer deste um post uma grande aula de história.

Você quer saber onde fica Malta, mas você sabe a sua história quais são os pontos mais importantes do país? Não se preocupe, este post é pra você que quer aprender sobre Malta de uma maneira simples e rápida, confira abaixo:

  • Onde fica Malta
  • A sua história
  • Os seus pontos turísticos cheios de história

Mas afinal: onde fica Malta e qual é a sua história?

O arquipélago de Malta está localizado no mar mediterrâneo, tendo a sua posição abaixo da Itália e à direita da Tunísia, mas não se confunda: a República de Malta faz parte da Europa e é um dos integrantes da União Europeia. 

Gozo (Ghawdex), Kemmuna e Malta são as grandes ilhas maltesas habitadas e que compõem o arquipélago, assim como outras não habitadas. Mas, neste post vamos tentar nos manter totalmente focados em Malta, certo? 

Ruas da capital de Malta
Rua em Valetta, capital de Malta

A origem do nome Malta é um pouco incerta, mas historiadores costumam confiar em algumas teorias que fazem mais sentido em relação à ilha. Uma delas é de que a palavra “Maleth”, de origem fenícia, tenha dado origem ao nome.

Outra teoria muito provável é de que o termo venha derivado da palavra “Melitê”, como os gregos costumavam chamar a ilha, que costumava ter uma produção exclusiva de mel, sendo até mesmo chamada de “terra de mel” pela sua grande produção.

Um dos fatos que podemos aprovar sobre Malta é que se você é uma pessoa apaixonada por história, com certeza vai adorar Malta e a sua trajetória até os dias de hoje, pois diversos povos passaram pela ilha e deixaram as suas pegadas históricas, dentre esses povos temos: fenícios, gregos, romanos, bizantinos, árabes, normandos, mouros, aragoneses, os habsburgos da Espanha, os cavaleiros de São João da França e os britânicos (é muita gente pra uma ilha só, né?), que governaram a ilha até 1964, quando Malta conseguiu a sua independência.

Onde fica Malta? Abaixo da Itália e pronta para receber novos turistas
Malta é uma cidade com beleza ímpar

Diante dessa primeira informação, você já deve ter uma ideia sobre o peso cultural que esses povos tiveram para a construção de Malta. E sim, eles influenciaram em diversas coisas dentro do país, como os romanos, que deixaram até mesmo uma cidade em ruínas para trás e que ainda pode ser visitada nos dias de hoje.

Sendo assim, a história de Malta não é nenhum pouco pequena, mesmo assim, confira ao longo do post o que esses povos deixaram para nós em Malta, seja por festivais ou principalmente em suas construções.

A história de Malta pelos seus monumentos e festivais

Malta não fica devendo em nada quando o negócio é turismo histórico, principalmente se você estiver fazendo um passeio com um destino incerto. Malta é um país pequeno e que ainda assim oferece muitas opções de turismo para quem deseja aprender sobre o país.

Você pode cruzar com uma Catedral enquanto caminha por uma cidade a luz de velas, enquanto pode visitar uma antiga cidade Romana em outro dia. Ainda não acredita em mim? Confira abaixo, confira lugares históricos de Malta que você pode visitar hoje!

Valletta

Rua de Valetta em Malta
Rua em Valetta

Isso mesmo, a capital do país e da ilha de Malta é um dos pontos turísticos mais interessantes do país, e isso de forma alguma é um defeito para quem busca uma experiência mais turística com o país. Valletta tem um aspecto totalmente medieval, o que faz da cidade um ponto turístico gigante e contínuo, já que todas as suas estruturas são história pura.

BirguFest

Ruas iluminadas por velas em Malta
Rua iluminada pelo Birgufest / Créditos: Justin Case

Esse é um festival e não um local que pode ser visitado, mas de forma alguma fica para trás das outras maravilhas citadas aqui neste post. O festival das velas de Birgu ou Birgufest, é uma das coisas mais bonitas de Malta, pois dos dias 9 ao 12 de outubro, as luzes da cidade dão os seus lugares às velas. Já pensou em caminhar em uma cidade com aspecto medieval enquanto ela está totalmente iluminada por velas? É uma experiência única!

A Co-Catedral de São João

Interior da Co-Cateral de São João
Interior da Co-Catedral de São João

As pinturas de Caravaggio são conhecidas em todo o mundo, e dentro da Co-Catedral de São João elas ganham um brilho muito maior. Tendo um piso de mármore, a catedral abriga em seu subsolo os túmulos dos Grão-Mestres da Ordem de Malta e também outros membros da nobreza.

A Domvs Romana em Rabat

Domus Romana em Malta
As ruínas podem ser visitadas até hoje

Como já dissemos logo alí acima, o povo romano foi um dos muitos que caminharam pelo arquipélago maltês. E quando falamos de Roma, sabemos que o seu povo costuma deixar uma arquitetura marcante por onde passa. Assim, até hoje, temos a Domvs Romana (em latim) ou Casa Romana na cidade de Rabat, localizada na Ilha de Gozo. 

Estudos indicam que a casa foi construída no século 1 a.C como um centro aristocrático, já que o nome “domus” era utilizado para residências de aristocratas da antiga Roma. A casa foi a única coisa que restou da vila romana de Melite, que por conta da influência de outros povos na ilha, acabou sucumbindo à história. As ruínas da Domvs Romana são como visitar a Roma antiga sem precisar de uma máquina do tempo.

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Chegando até aqui eu aposto que você se interessou não apenas por estudar sobre Malta, mas também com certeza por conhecer o país pessoalmente,  melhor ainda se quiser estudar no país para seguir o caminho dos seus sonhos. Se você ainda não sabe como seguir este caminho ou tem alguma dúvida, clica neste link e nós vamos retornar o mais rápido possível com as respostas que você precisa!

Categories
Curiosidades

Curiosidades da Austrália que você não sabe (Parte 2)

“Curiosidades da Austrália” é a nossa série de curiosidades sobre ela mesma, a Austrália! Nela nós trazemos as curiosidades que você provavelmente não sabe sobre o país, e caso saiba, trazemos ainda mais detalhes para que você tenha cada vez mais informações sobre o maior país da Oceania. Dessa vez trouxemos até um lago cor de rosa para você que tem interesse em coisas não tão convencionais. Confira abaixo as curiosidades da Austrália que você não sabe:

1 – 18% da Austrália é um grande deserto

Deserto arenoso da Austrália
O deserto é atravessado por turistas

Se você tem a intenção de viajar para a Austrália mas acha que não pode ter uma experiência diferente das que tem aqui no Brasil, você se enganou feio, pois na região noroeste da Austrália se encontra o Great Sandy Desert ou Grande Deserto Arenoso da Austrália.

É isso mesmo que você acabou de ler, a Austrália que além de ser um país tão grande e com tanta diversidade de fauna e flora, ainda consegue ser dono de um grande deserto, que atualmente se encontra com 360.000 km² e com possibilidade de uma grande aventura, já que diversas pessoas costumam desafiá-lo.

2 – Você já visitou um lago rosa?

Foto de cima do Lago Hillier na Austráli
Lago Hillier / Fonte: Viaggio Routard/Flickr

No mundo nós temos um mar vermelho, praias verdes como esmeralda e lagoas azuis como o céu, mas um lago rosa você verá em pouquíssimos países. Mas na Austrália, você poderá visitar até mesmo 5 lagos com a cor rosa, sendo o mais famoso deles encontrado precisamente em Middle Island, o maior conjunto de ilhas de Recherche.

Não, não é uma piscina de iogurte de morango ou uma grande reserva de suco de goiaba. O Lago Hillier ou Lake Hillier é um dos lugares mais misteriosos da Austrália, já que a sua água salgada tem uma cor rosa natural e que até hoje não apresenta mudanças em sua cor. Existem algumas teorias científicas que tentam explicar a coloração do lago.

Uma delas aponta que além da alta concentração de sal, uma microalga chamada Dunaliella salina que libera betacaroteno, uma pigmentação natural que está presente até mesmo nas frutas em que comemos diariamente.

Legal, né? O lago faz parte de uma área de preservação e você pode visitá-lo contratando um passeio de helicóptero, pois é impossível o seu acesso terrestre e também é proibido nadar nele (É muito sal concentrado, então é melhor não, né?).

3 – Você sabe qual é o animal mais perigoso da Austrália?

Água-viva-caixa-australiana
Um dos animais mais perigosos do mundo está nos mares da Austrália

Nós costumamos ter medo da Austrália por causa das suas imagens e rumores sobre os animais que vivem por lá. É muito comum vermos imagens de aranhas, morcegos, e todo tipo de animal que não é muito fácil de se conviver, tendo tamanhos gigantes na Austrália e aparecendo em todos os lugares do país.

Mas, e se eu te disser que as vespas e aranhas gigantes não são os animais mais perigosos da Austrália? Pois é, o animal mais perigoso da Austrália está dentro do mar e ainda assim não é um tubarão.

Mas chega de mistério, pois o nosso maior predador é nada mais ou nada menos do que a Água-viva-caixa-australiana ou vespa do mar é o animal mais perigoso não apenas da Austrália, mas também do mundo.

O simples toque dessa água-viva na sua vítima causa uma dor súbita excruciante, o que pode resultar no afogamento ou parada cardíaca antes mesmo de sair da água. O seu veneno pode afetar o coração, sistema nervoso e até mesmo as células da pele da vítima.

Assustador, né? Por isso, quando for visitar a Austrália nem se preocupe com os tubarões, mas preste atenção nas lindas vespas azuladas do mar para que nenhum acidente inesperado aconteça.

4 – Você conhece o Uluru?

O monólito Uluru na Austrália
O monólito Uluru é um grande ponto turístico da Austrália

A cultura aborígene não apenas faz parte, como é um dos pilares mais importantes para a cultura da Austrália. Sendo assim, é importante que você saiba um pouco sobre os aborígenes e as suas crenças antes de visitar certos pontos importantes para a história do país.

Sendo um monólito localizado ao norte central da Austrália, fazendo parte do Parque Nacional de Uluru-Kata Tjuta e ainda sendo um patrimônio mundial da UNESCO, o Uluru ou Ayers Rock, que é até mesmo chamado de The Rock, tem pouco mais de 318 m de altura e 8 km de circunferência, além de também ter 2,5 km de profundidade dentro do solo.

O Uluru tem como uma das suas grandes atrações a sua troca de cores em relação a iluminação do sol ou da lua, dependendo do período do ano ou estação. Outra coisa interessante é a escalada que pode ser feita até o topo do monólito, mas que o povo Anangu (aborígenes da área) costuma aconselhar que não seja feita para que os seus deuses não sejam desrespeitados.

5 – Gosta de animais? A Austrália é o seu país!

Imagem de um coala olhando para a câmera
O coala é uma espécie natural da Austrália

A Oceania é um continente isolado e se manteve assim por muito tempo, o que reflete não apenas na cultura dos seus países, mas também em outros setores como a flora e principalmente a fauna.

Sabe quando vemos algum animal muito estranho e já pensamos “Isto só pode pertencer a Austrália”? Dessa vez essa afirmação faz total sentido. Na Austrália, 83% dos mamíferos, 89% dos répteis, 90% dos insetos e peixes e 93% dos anfíbios são naturalmente pertencentes à Austrália, o que torna essas espécies raras e que só poderão ser vistas em caso de viagem para o país. Quer ver um Dingo? Brincar com um Coala? Viaje para a Austrália ou nunca poderá ver um pessoalmente.

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Chegando até aqui eu aposto que você se interessou por visitar a Austrália, melhor ainda se quiser estudar no país para seguir o caminho dos seus sonhos. Se você ainda não sabe como seguir este caminho ou tem alguma dúvida, clica neste link e nós vamos retornar o mais rápido possível com as respostas que você precisa!

Categories
Dicas Intercâmbio Estudo e Trabalho

Descubra agora como trabalhar na Austrália

Trabalhar na Austrália é o sonho de quem deseja imigrar para o maior país da Oceania, mas existem certas dúvidas que acabam impedindo aqueles que procuram viajar para o país, principalmente aqueles que desejam trabalhar e morar no país no futuro. Mas não se preocupe, neste post a Dreams vai tirar todas as suas dúvidas sobre como trabalhar no Canadá e qual é o caminho certo.

Neste post vamos mostrar de forma rápida:

  • Quais são as profissões disponíveis
  • O salário mínimo
  • Como ingressar no mercado de trabalho da melhor forma

Agora chega de papo e vamos para o que interessa:

Profissões em alta demanda na Austrália

Como sabemos, as fronteiras australianas se encontram fechadas por conta da pandemia do novo coronavírus, o que atrasa o sonho de algumas pessoas que desejam viver a experiência de estar presentes no país, resultando em aplicações de visto e planejamentos de viagem sendo colocados em prática apenas no segundo semestre de 2021.

Mesmo assim, o mercado de trabalho australiano não está parado e você precisa estar preparado para ele. O governo da Austrália divulgou em site oficial as profissões que estão em alta demanda em 2021 e que ainda não tiveram as suas vagas preenchidas pelo teto máximo permitido para estrangeiros. Confira abaixo algumas delas:

ID da ocupaçãoDescrição da vaga/áreaValor do teto de ocupaçãoConvites até 21/10/2020
1331Gerentes de construção7,1450
1332Gerente de engenharia1,4740
1341Gerente de creche1,0000
1342Gestores de serviços de saúde e bem-estar1,666<20
1399Outros gestores especialistas4,1880
2111Atores, dançarinos e outros profissionais do entretenimento1,0000
2112Profissionais da música1,0000
2121Diretores artísticos e produtores de mídia1,0000
2211Contadores1,0000
2212Auditores, secretários de empresa e tesoureiros corporativos1,6190
2241Atuários, matemáticos e estatísticos1,0000
2243Economistas1,0000
2245Economistas e avaliadores de terras1,0000
2247Consultor de gerenciamento4,5260
2321Arquitetos e arquitetos paisagistas1,4520
2322Cartógrafos e agrimensores1,0000
2331Engenheiros Químicos e de Materiais1,00065
2332Profissionais de Engenharia Civil3,919141
2333Engenheiros Elétricos1,34898
2334Engenheiros eletrônicos1,000<20
2335Engenheiros industriais, mecânicos e de produção2,68248
2336Engenheiros de mineração1,00020
2339Outros profissionais de engenharia1,000<20

São muitas vagas em diversas áreas e caso você queira conferir todas as elas, basta clicar neste link e ter acesso a toda a lista disponibilizada pelo governo australiano.

Trabalhar na Austrália é uma realidade possível
A casa da Ópera de Sidney

O mercado de trabalho australiano continua em pleno funcionamento, mas ainda sofre com as consequências das restrições impostas pelo COVID-19, fazendo com que as contratações tenham um ritmo mais lento hoje em dia. Mesmo assim, a economia continua em pleno funcionamento, o que ainda faz da Austrália um ótimo país para se trabalhar no período pós-pandemia.

Ser um estrangeiro na Austrália significa que você terá que ir em busca dos seus objetivos com maior vontade, pois além de ter um bom nível de inglês, é importante que você aprimore as suas “Skils”, pois o governo australiano valoriza os profissionais que são experts no que fazem. Assim, basta manter o seu currículo atualizado e as suas habilidades afiadas para que as suas chances sejam ainda maiores no mercado de trabalho.

O salário mínimo na Austrália

O salário mínimo da Austrália é ótimo para o poder de compra

O salário mínimo australiano se encontra no valor de A$ 19,84 por hora, o que em caso de 8 horas de trabalho diárias, você poderá adquirir em uma semana A$ 793,60, o que em reais equivale a R$ 3327,23 atualmente. Uma diferença enorme, né? Por isso muitas pessoas sonham com a vida na Austrália, que além de ter um ótimo salário, disponibiliza uma ótima qualidade de vida.

E não só isso, o poder de compra no país também é muito alto segundo plataformas especializadas e que monitoram o custo de vida em diversos setores básicos da sociedade. Sendo assim o salário que você conseguir em um mês, não será jogado fora apenas no pagamento de contas, mas também será possível investir em outras coisas do seu interesse como a compra de produtos ou lazer no país.

Trabalhar na Austrália pode ser fácil se você fizer do jeito certo

Estudante fazendo anotações
Estudar é o melhor caminho para conseguir trabalho em outros países

Existe uma certa dificuldade de ingresso no mercado de trabalho australiano, já que os recrutadores geralmente procuram pessoas que tenham uma certa “experiência australiana”, fazendo com que o seu currículo muito valioso aqui no Brasil, não tenha tanta validade na Austrália, pois para eles é muito importante que você demonstre uma certa experiência com a cultura do país.

Assim, uma ótima alternativa acaba sendo a melhor de todas: o visto de estudante. Com um visto de estudante você consegue ingressar no país, conseguir um diploma australiano e ainda arrumar um emprego de meio-período na Austrália, o que facilitará a sua contratação tanto para meio-expediente, quanto para o futuro como um empregado já contratado para a sua área de interesse.

Enquanto estuda na Austrália você terá direito a trabalhar 40 horas a cada duas semanas, ficando livre para trabalhar quantas horas quiser em seu período de férias. Legal, né? Além disso, trabalhando essas 40 horas semanais você poderá gerar uma renda extra que fica entre A$ 15,00 e A$ 20,00 por hora, o que pode ajudar nas suas necessidades no país.


Chegando até aqui eu aposto que você se interessou por trabalhar na Austrália, melhor ainda se quiser estudar no país para seguir o caminho dos seus sonhos. Se você ainda não sabe como seguir este caminho ou tem alguma dúvida, clica neste link e nós vamos retornar o mais rápido possível com as respostas que você precisa!

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Categories
Dicas Higher Education

Saiba o custo de vida na Alemanha: aprenda como economizar

O custo de vida na Alemanha é a grande dúvida que cerca as pessoas que buscam imigrar para o país, principalmente se o viajante deseja estudar no país e construir uma vida na Alemanha, um sonho totalmente possível se você dedicar toda a sua atenção ao seu futuro. Neste post, a dreams vai mostrar daquele jeitinho rápido, didático e resumido sobre como é o custo de vida na Alemanha e quais as maneiras de economizar. Confira abaixo:

O salário mínimo na Alemanha

Antes de saber o custo de vida na Alemanha e também especificamente nas suas cidades, é importante que você saiba o valor do salário mínimo do país para basear as suas compras e contas mensais. Atualmente o salário mínimo na Alemanha se encontra no valor de €1.557,00 e foi estabelecido em 2019, sendo um dos salários mais altos da União Europeia.

Para estudantes não europeus existe regras específicas que precisam ser respeitadas, como o banco de dias/horas que o estudante tem disponível para trabalhos de meio período, sendo possível trabalhar por 120 dias inteiros ou 240 horas por semana.

A renda que o estudante pode conseguir por meio destes trabalhos de meio expediente é de em média €450 (valor sem taxas inclusas), o que pode ajudar nas suas contas e também nas suas despesas estudantis.

Lembre-se: independente do valor que receber pelo seu trabalho, você estará ganhando em euro, moeda que atualmente equivale a R$6,50.

O custo de vida na Alemanha

O custo de vida na Alemanha pode variar
A cidade de Hamburgo

É comum ouvir nos telejornais que os Estados Unidos e a China são grandes potências econômicas, mas você sabia que a Alemanha, que hoje ocupa o 4º lugar no ranking, tem tudo para se tornar um Canadá na Europa? Com níveis educacionais elevados, alta possibilidade de imigração e também um mercado de trabalho pronto para abraçar estrangeiros, a Alemanha é um dos melhores países para quem busca imigração, principalmente se tiver o objetivo de estudar no país.

O custo de vida na Alemanha pode variar de acordo com a cidade em que você decidir fincar as suas raízes no país, mas através de plataformas específicas que apresentam informações atualizadas, nós podemos estabelecer o preço médio para que você consiga ter uma base concreta sobre o custo de vida na potência europeia. Abaixo, confira os valores médios em setores básicos como alimentação, transporte, moradia e entretenimento:

Alimentação

Almoço básico (incluindo bebida) no centro financeiro – €12

Combo em um restaurante fast food (Big mac ou similar) – €8

500 gramas de peito de frango sem osso – €3.64

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.21

Moradia

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área considerada cara – €1,419

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área normal – €1,202

Utilidades 1 mês (Aquecimento, eletricidade, gás…) para 2 pessoas em – €165

Transporte

Golf Volkswagen 1.4 TSI 150 CV (ou equivalente), sem extras, novo – €23,299

1 litro (¼ galão) de gás – €1.30

Ticket mensal de transporte público – €72

Entretenimento

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €35

2 ingressos para o cinema – €23

2 ingresso para o teatro (melhores lugares) – €108

Com os preços acima, podemos concluir que basear a sua alimentação em mercado ainda é a melhor opção para quem busca economizar e fazer com que a sua renda seja prolongada no país. A moradia não tem uma diferença tão grande de preço, principalmente se você considerar as utilidades essenciais para uma vida comum você não esteja pensando em economizar tanto nessa parte.

O custo de vida nas principais cidades da Alemanha

Após essa demonstração média sobre a Alemanha, vamos ser mais específicos, utilizando as cidades como exemplo, já que são delas os resultados mais importantes para você que deseja morar por lá e se preparar da melhor forma. Abaixo, confira os preços nas cidades de Frankfurt, Munich e na capital Berlim:

Frankfurt

Cidade de Frankfurt com luzes acesas
Iluminação da cidade de Frankfurt

Sendo um grande centro financeiro e casa do Banco Central Europeu, Frankfurt tem ótimos pontos turísticos como o museu Goethe-Haus, a antiga residência do autor renomado Goethe. Confira abaixo como seria viver em Frankfurt:

Alimentação

Almoço básico (incluindo bebida) no centro financeiro – €13

Combo em um restaurante fast food (Big mac ou similar) – €7

500 gramas de peito de frango sem osso – €3.85

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.49

Moradia

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área considerada cara – €1,853

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área normal – €1,346

Utilidades 1 mês (Aquecimento, eletricidade, gás…) para 2 pessoas em – €210

Transporte

Golf Volkswagen 1.4 TSI 150 CV (ou equivalente), sem extras, novo – €22,047

1 litro (¼ galão) de gás – €1.46

Ticket mensal de transporte público – €92

Entretenimento

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €38

2 ingressos para o cinema – €22

2 ingresso para o teatro (melhores lugares) – €104

Munich

Cerveja servida na Oktoberfest
Oktoberfest é uma tradição de Munique

Conhece a Oktoberfest? Gostaria de fazer parte? Então Munich é o destino certo para você. A cidade que abriga um dos eventos mais famosos do mundo, também é cheia de museus importantes e monumentos neogóticos. Confira os preços para quem deseja desfrutar da cidade:

Alimentação

Almoço básico (incluindo bebida) no centro financeiro – €12

Combo em um restaurante fast food (Big mac ou similar) – €8

500 gramas de peito de frango sem osso – €4,52

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.34

Moradia

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área considerada cara – €2,197

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área normal – €1,824

Utilidades 1 mês (Aquecimento, eletricidade, gás…) para 2 pessoas em – €207

Transporte

Golf Volkswagen 1.4 TSI 150 CV (ou equivalente), sem extras, novo – €20,960

1 litro (¼ galão) de gás – €1.27

Ticket mensal de transporte público – €64

Entretenimento

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €37

2 ingressos para o cinema – €22

2 ingresso para o teatro (melhores lugares) – €15

Berlim

O custo de vida em Berlim é baixo
O Muro de Berlim é um dos monumentos mais famosos da história

A capital da Alemanha tem uma raiz cultural muito forte e abriga diversos monumentos importantes não apenas para a história da Alemanha, mas para o mundo. A cidade é famosa pelo memorial do holocausto e também pelo muro de Berlim e os seus grafites. Confira os preços na cidade:

Alimentação

Almoço básico (incluindo bebida) no centro financeiro – €12

Combo em um restaurante fast food (Big mac ou similar) – €8

500 gramas de peito de frango sem osso – €3.50

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €0.98

Moradia

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área considerada cara – €1,447

Aluguel mensal para 85 m² (900 metros quadrados), acomodação mobiliada em uma área normal – €1,095

Utilidades 1 mês (Aquecimento, eletricidade, gás…) para 2 pessoas em – €148

Transporte

Golf Volkswagen 1.4 TSI 150 CV (ou equivalente), sem extras, novo – €21,621

1 litro (¼ galão) de gás – €1.33

Ticket mensal de transporte público – €80

Entretenimento

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €32

2 ingressos para o cinema – €23

2 ingresso para o teatro (melhores lugares) – €83

Finalmente concluindo as nossas comparações e entendendo quais são os preços médios das cidades acima, podemos entender que Berlim é a cidade mais acessível em todos os aspectos. Frankfurt tem preços muito elevados se comparados com Munich, que ainda assim é mais cara para se viver do que a capital da Alemanha, que consegue ser muito mais barata em todos os setores importantes.

O custo de vida para estudantes

O custo de vida na Alemanha é baseado nas necessidades básicas de um cidadão que esteja vivendo em uma determinada cidade. Porém, o custo de vida para o estudante tem algumas peculiaridades, pois existem alguns valores que são pagos para a manutenção da sua vida acadêmica no país. Confira os fatores que podem influenciar na sua vida de estudante na Alemanha:

Estudantes em ambiente acadêmico
A vida de estudante é um ótimo investimento na Alemanha

Tuition Fees (Mensalidades)

Assim como em qualquer instituição privada de ensino no Brasil, os seus estudos terão um preço a se pagar na Alemanha, o que pode interferir no seu planejamento econômico para se estabelecer no país.

Porém, para o alívio de alguns estudantes que se encaixam neste quadro, existe uma regra que impossibilita as instituições classificadas como ensino superior de cobrarem mensalidade de cursos nas modalidades Bacharelado e Mestrado. Se você se encaixa nessas modalidades, perfeito. Porém, preste atenção na instituição de ensino em que você está sonhando, pois existe uma exceção no estado de Baden-Württemberg, por exemplo, que tem cobrado mensalidades de alunos não-europeu.

Contribuição semestral (Semester Contribution)

Infelizmente dessa taxa você não poderá escapar, mas não se preocupe, ela não tem o mesmo valor médio de uma mensalidade, por exemplo. Mesmo assim, a contribuição semestral deve ser levada em conta no seu planejamento econômico, já que todos os estudantes de ensino superior devem pagar esta taxa, que pode variar de acordo com a sua instituição de ensino, que fica em média pelo valor de € 250.

Agora que você já sabe a média de preços na Alemanha, fica muito mais fácil de entender como será a sua realidade no país, o que também melhora o seu planejamento econômico para o país.

Quer viajar para a Alemanha mas ainda não sabe como? Tem alguma dúvida? Fala com a gente através deste link, a nossa equipe vai retornar o contato o mais rápido possível para tirar todas as suas dúvidas e ajudar na sua trajetória até estudar no país dos seus sonhos!

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Categories
Notícias Vistos e documentações

Mudanças no visto para Irlanda em 2021: saiba agora sobre as novas atualizações

O visto para Irlanda sofreu algumas alterações importantes devido à pandemia do novo coronavírus e o governo irlandês colocou em prática algumas restrições para o visto de estudo no país, se pronunciando oficialmente em relação às novas medidas para o combate à propagação do vírus na ilha esmeralda.

Mas não se preocupe, ainda é possível visitar o país, estudar em suas instituições e desfrutar de tudo que a Irlanda tem a oferecer para você. Abaixo, entenda as novas medidas divulgadas pelo governo irlandês:

Novas medidas para viajantes da América do Sul

A Irlanda tem encarado uma séria batalha contra a COVID-19, principalmente em 2021, quando no início do mês de janeiro, o seu número de casos da doença começou a aumentar de maneira totalmente descontrolada, entrando em uma certa queda desde então. Porém, cuidados importantes têm sido colocados em prática na ilha esmeralda, principalmente em relação à entrada de estrangeiros.

Frente de uma casa em Dublin
Apartamento em Dublin

O governo da Irlanda atualizou algumas informações sobre a aplicação do visto de estudo no país, o que afeta diretamente em todos os estrangeiros que buscam estudar na Irlanda em qualquer grau de ensino e que desejam imigrar para o país ou apenas aproveitar o turismo e o nível educacional que a ilha pode oferecer.

E foi em relação aos países da América do Sul que as novas atualizações tiveram um efeito maior, já que agora será necessário que o viajante vindo do nosso continente, faça uma aplicação para aprovação do visto com 3 meses de antecedência e realize um teste de PCR que indique negatividade para a COVID-19, sendo necessária uma quarentena de 14 dias após a sua chegada no país.

Como realizar a aplicação de visto para Irlanda

Visto para Irlanda sofre alterações por causa da COVID-19
Interior de um Pub na Irlanda

Antes de realizar a sua aplicação para um visto de estudo, é necessário que você confira se as suas características conseguem se encaixar dentro das políticas dos que não são naturalizados na Área Econômica Europeia (EEA). Após isso, você poderá realizar a sua aplicação online para o visto de estudo, seguindo todas as instruções do formulário.

“Mas, esse processo de aplicação vai demorar?”. Não existe nenhuma burocracia extra, mas o tempo de processamento pode variar de acordo com o país de origem do viajante. O seu pedido também pode sofrer um atraso por conta dos períodos de alta demanda, o que pode aumentar o tempo para o recebimento de uma resposta.

O governo irlandês indica que o tempo médio de resposta seja dentro de 8 semanas a partir da data da sua aplicação. Um lembrete: o processo funciona inteiramente por ordem das datas de aplicação, ou seja, quanto mais rápido você fizer a sua aplicação de visto, mais veloz será o processo de admissão, então em caso de ansiedade para viajar, prepare-se o mais rápido possível.

Saiba a documentação necessária

Sendo a parte mais importante da aplicação para o seu visto, a sua documentação precisa ser totalmente alinhada com as suas vontades em relação à Irlanda, para que o oficial responsável pelo visto possa ter uma visão clara da sua proposta e possa lhe conceder a entrada no país.

Visto para Irlanda sofre alterações por causa da COVID-19
Seja objetivo em sua documentação

Abaixo, confira a documentação necessária para o visto de estudo:

  • Duas fotos atualizadas e coloridas do tamanho do passaporte;
  • Seu passaporte atual e uma cópia completa de todos os passaportes anteriores;
  • Uma carta de aplicação assinada, incluindo seus detalhes completos de contato;
  • Evidência de que você está matriculado em um curso financiado privadamente;
  • Evidências contabilizando quaisquer lacunas em sua história educacional;
  • Provas de que as taxas foram pagas à sua instituição de ensino;
  • Evidência de que você tem a capacidade acadêmica de seguir seu curso escolhido;
  • Evidência do seu nível de inglês (ou irlandês);
  • Comprovante das suas finanças;
  • Provas de Seguro Médico Privado;
  • Recusas anteriores de vistos.

Ufa! Parece muita coisa, né? Mas tudo isso tem o propósito de fazer com que a Irlanda entenda melhor a sua situação atual no Brasil e também algumas coisas importantes como: o porquê de você querer estar na Irlanda, se você é realmente capacitado para seguir com o seu curso desejado  e também ter uma previsão sobre como você conseguirá se manter financeiramente no país, pois o custo de vida no país pode variar entre as cidades.

Problemas com a documentação

Existem algumas exceções que podem impedir a aplicação adequada do seu visto irlandês, o que pode atrasar o seu processo de entrada no país.

O processo pode sofrer algum adiamento em caso de:

  • Em caso da sua aplicação não conter todas as informações necessárias
  • As suas informações precisam de uma verificação maior por parte dos órgãos
  • Suas circunstâncias pessoais (Exemplo: Ficha criminal negativada)

Sabendo disso, é importante que você tenha uma grande atenção antes de enviar os seus documentos, verificando todos os detalhes para que não haja nenhuma ressalva por parte dos órgãos responsáveis na Irlanda. Já pensou em aguardar 8 semanas e ainda ter uma má notícia sobre o seu visto? Não é uma coisa legal, então seja o mais claro possível. 

Eu preciso pagar alguma taxa para o meu visto?

O visto para Irlanda sofreu algumas alterações devido a COVID-19
O brasil é isento de taxas de visto

Uma boa notícia para a sua pergunta: não, você não precisa pagar nenhuma taxa. O Brasil é um dos países cuja nacionalidade não sofre com o pagamento de taxa para o visto irlandês, assim como Argentina, Bolívia, Chile e muitos outros. Legal, né? Então não se preocupe com a parte financeira, se concentre totalmente na objetividade da sua documentação.

Chegando até aqui, espero que você esteja muito mais informado e sentindo o alívio de ainda poder visitar a Irlanda assim que quiser, basta se aplicar para o visto com antecedência e se preparar para a viagem. Legal, né? Se você está pronto para viajar e ainda não sabe como, basta clicar neste link e entrar em contato com a gente, nós vamos adorar ter o prazer de realizar o seu sonho!

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Categories
Dicas Intercâmbio Cultural Intercâmbio Estudo e Trabalho

Montreal Canadá: conheça a maior cidade de Quebec

Montreal é uma das cidades mais interessantes do Canadá, principalmente para quem busca um intercâmbio para imigrar através da educação. Além de ser a segunda cidade mais populosa da província de Quebec, Montreal tem diversos institutos e pontos turísticos que podem ser perfeitos para o estudante estrangeiro que deseja viver a experiência canadense. Abaixo, confira a história e os encantos de Montreal.

Montreal e a cultura do Quebec

 Frente de uma loja em Montreal
Frente de uma loja em Montreal

Como já dito em um post anterior sobre a província de Quebec, o lado Oeste do Canadá teve uma forte colonização da França, que acabou se estabelecendo na área da província do Quebec e desenvolvendo raízes ao longo do tempo, fazendo da Cidade do Quebec a sua capital e centro mercadológico.

Mas, onde Montreal entraria nessa história? Bom, enquanto os franceses estavam desenvolvendo uma economia na região do Quebec, Montreal tinha o nome de Ville-Marie (Cidade de Maria), e sobrevivia pelo comércio de peles de animais, tendo o seu nome modificado mais uma vez por conta da importância geográfica do Monte Royal naquela época, fazendo com que finalmente chegássemos ao nome de MONTREAL.

Dia nevado em Montreal
Dia nevado em Montreal

Por causa da alta receptividade com os estrangeiros que buscam oportunidades em Montreal,o centro da cidade tem como língua comum o inglês, que geralmente é mais utilizado com estrangeiros que se encontram estudando e /ou trabalhando no país.

Na periferia e em locais mais afastados do centro da cidade o francês predomina, já que essas áreas são ocupadas por nativos mais antigos e que prolongam a cultura francesa.

Mesmo sendo uma antiga colônia francesa, Quebec tem toda a carga cultural do resto do Canadá, que na maioria das suas províncias carrega a cultura inglesa ao longo de todos esses anos, o que diminui a impressão de que você está em uma província não tão inglesa.

Sabendo de tudo que você viu até agora, fica combinado que é totalmente possível viver duas culturas totalmente distintas em uma única cidade. Montreal reúne povos e culturas diferentes, incluindo os estrangeiros, o que valoriza a experiência daqueles que buscam imigrar para o Canadá. 

Montreal é perfeita para quem busca imigrar pela educação

Placa indicando o caminho de uma universidade
A educação é uma ponte para a imigração

Como já dito lá no começo deste post, Montreal tem institutos de ensino que acolhem os seus alunos estrangeiros e promovem uma experiência cultural diferenciada no país, o que facilita o ingresso do aluno na cultura do país como um todo. Imigrar através da educação é comum em Montreal, pois o College é a porta de entrada para o mercado de trabalho na cidade. Conheça dois institutos importantes e que podem oferecer uma experiência única:

Trebas Institute

Foto da faixada do Instituto Trebas
Campus do Instituto Trebas

Sendo uma referência como instituição de ensino canadense, localizado no centro de Montreal e totalmente receptivo aos alunos estrangeiros, o Instituto Trebas é uma instituição de ensino privada com cursos voltados para artes e tecnologia, onde o aluno vive a experiência canadense enquanto evolui as suas habilidades e ingressa no mercado de trabalho do país.

Collège LaSalle

LaSalle College em Montreal
Frente do LaSalle College

O LaSalle College ou Collège LaSalle também está localizado no centro de Montreal e é uma ótima instituição privada para quem deseja evoluir as suas habilidades em cursos de artes, negócios, turismo e até mesmo design de jogos, sendo também uma ótima opção para quem deseja imigrar através da educação.

Por que Montreal é perfeita para quem deseja estudar e trabalhar?

É possível estudar e trabalhar em Montreal tendo o visto de estudante e ingressando em um College privado ou público registrado oficialmente nos órgãos federais. Após isso, é possível trabalhar meio-período no horário contrário ao seu horário de estudos enquanto consegue gerar uma renda própria.

Além de permitir estudo e trabalho, o governo de Quebec também permite que os estudantes possam trabalhar após o término do curso através do Programa de Experiência Quebequense, o PEQ, que tem um processo bem fácil, basta se encaixar nos requisitos do programa e somar pontos com o governo de Quebec.

Montreal é a cidade metropolitana da província do Quebec, o que faz com que ela seja uma cidade totalmente adequada para quem busca estudar e trabalhar no Canadá, já que a movimentação entre os locais da cidade é muito mais acessível e pensada inteiramente com a proposta de locomoção inteligente, o que facilita o acesso aos pontos turísticos da cidade.

O turismo é uma rotina acessível em Montreal

Quando estamos vivendo a cultura de um outro país, é mais do que comum que a nossa vontade seja a de conhecer os pontos turísticos que aquela região tem a oferecer, e Montreal tem pontos turísticos muito importantes não apenas para a cultura da cidade, mas também para o Canadá, além de estarem localizados em locais de fácil acesso. Confira alguns dos pontos turísticos mais interessantes de Montreal:

Marché Jean-Talon

Marché Jean-Talon em Montreal Canadá
Mercado público Marché Jean-Talon em Montreal / Foto: Divino Guia

Qual lugar mais popular e cultural do que um mercado público localizado no centro da cidade? Esse é o Marché Jean-Talon, que além de carregar o nome do primeiro Intendente da Nova França, promove a cultura popular canadense por meio das refeições típicas e do livre trânsito de pessoas, além do preço baixo, que não pode faltar, né?

Basílica de Notre-Dame

Interior da Basílica de Notre-Dame em Montreal
Interior da Basílica de Notre-Dame em Montreal

Calma, você não está em um post errado e não estamos tentando te mandar para Paris. A Basílica de Notre-Dame de Montreal é datada de 1824 e fica localizada no distrito de Ville-Marie, às margens do Rio St. Lawrence. A basílica conta com lindos vitrais e permissão para fotografias em alguns locais, além de sediar concertos musicais.

Chinatown

Chinatown na cidade de Montreal
Chinatown em Montreal / Foto: mariacecita

Sim, já falamos sobre Paris e agora estamos colocando a própria China no seu roteiro turístico. Já pensou em aprender sobre Montreal enquanto visita a cultura francesa e ainda se envolve com a chinesa? Isso é totalmente possível, pois assim como a Basílica, Chinatown também está no distrito de VIlle-marie e abriga diversos restaurantes e lojas que respiram a cultura chinesa, sendo um point perfeito para quem ama a cultura oriental.

Ainda tem alguma dúvida de que é possível estudar, trabalhar e ainda aproveitar o turismo de Montreal? Todos esses destinos estão próximos uns dos outros e prontos para serem visitados por você!

Já pensou em estudar no centro de Montreal e ainda aproveitar todos os benefícios que a qualidade de vida do Canadá tem a oferecer? Não precisa ficar apenas no pensamento, fala com a gente clicando neste link e nós estaremos prontos para tirar as suas dúvidas sobre o seu sonho, combinado? 

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Categories
Imigração Intercâmbio Cultural Intercâmbio Estudo e Trabalho

Trabalhar no Canadá em 2021: saiba como imigrar da maneira adequada

Trabalhar no Canadá não é uma coisa tão difícil como você imagina, existem várias maneiras de ingresso no país, o que pode facilitar a sua experiência de transição para o maior país das Américas, principalmente se você busca imigrar através do estudo, já que o Canadá é um dos melhores países no índice de educação mundial. Neste post, vamos falar um pouco sobre o Canadá e como imigrar através da maneira mais adequada. Confira:

Por que trabalhar no Canadá?

Sendo o maior país das Américas, o Canadá conta com 10 províncias totalmente distintas e com culturas peculiares, tendo até mesmo a língua francesa como idioma além do inglês tradicional. Caso queira viver a cultura francesa, você pode optar por uma vida em Quebec, por exemplo. Mas a Columbia Britânica pode ser a escolha perfeita para você que prefere falar inglês e aproveitar o lado britânico do Canadá.

Vista de horizonte na cidade de Toronto
Horizonte em Toronto

Como já dito acima, o Canadá é um dos países com maior índice de educação, ficando até mesmo na frente de países como Reino Unido e França, que já foram responsáveis pela colonização do país. Assim, fica muito mais fácil entender o porquê do Canadá ser um dos melhores países para se imigrar através da educação, um item muito valioso para a população canadense.

O custo de vida no Canadá é baixo quando falamos sobre o dólar canadense e o poder de compra nas cidades e províncias. É possível manter um bom nível da qualidade de vida dependendo da província em que você decidir se estabelecer, e não esqueça: você estará recebendo em dólar canadense, vivendo em um país com altos índices de segurança, saúde e educação, precisa de mais alguma coisa?

Como trabalhar no Canadá por meio da educação

Trabalhar no Canadá é possível graças a educação
Trabalhar no Canadá é uma realidade possível

Trabalhar no Canadá é possível através de alguns meios específicos e totalmente legalizados, sendo o mais famoso deles o Express Entry, onde você pode se qualificar por meio de uma pontuação e se encaixando em uma das profissões exigidas pelo National Occupational Classification (NOC), porém, este método depende de fatores como a sua pontuação e a sua profissão se encaixarem nos requisitos exigidos pelo Canadá naquele período.

Outra possibilidade é o Labour Market Impact Assessment (LMIA), que acontece quando uma empresa realiza a contratação de um trabalhador estrangeiro por conta da falta de profissionais qualificados no mercado para uma determinada função. Porém, mesmo estando no Canadá por meio deste método, o seu visto fica totalmente vinculado à empresa que lhe contratou, sendo finalizado assim que você for demitido por ela, o que não se torna uma opção muito estável para quem deseja imigrar.

E por último, mas com certeza não menos importante, é o ingresso no país por meio do visto de estudo para a realização de um College Privado (Quebec) ou Público, que além de disponibilizar o study permit, permite que você trabalhe 20h semanais no horário contrário ao seu turno de estudo, gerando uma renda importante para você. Após terminar o College, você terá acesso ao PGWP – Post-Graduation Work Permit.

Como funciona e quais os requerimentos para o PGWP?

O PGWP é um programa disponibilizado pelo Canadá para estrangeiros formados em algum curso de graduação que tenha vínculo com o programa, permitindo que você trabalhe o tempo equivalente aos seus estudos no país. Por exemplo: Se o seu curso teve 2 anos de duração, você poderá trabalhar por 2 anos após o término dele.

Abaixo, confira os requerimentos para elegibilidade do PGWP:

  • Concluir um programa de treinamento acadêmico, vocacional ou profissional em uma instituição qualificada no Canadá com pelo menos 8 meses de duração, levando a um grau, diploma ou certificado;
  • O status de estudante em tempo integral no Canadá durante cada sessão acadêmica do programa;
  • Ter uma transcrição e uma carta oficial do DLI (Designated Learning Institution) elegível, confirmando que cumpriram os requisitos para completar seu programa de estudos.

O estudante tem até 180 dias para entrar com o pedido de PGWP após o término do seu curso. Caso você perca o tempo limite, você pode adquirir um visto de visitante para que a sua estadia seja prolongada. Ou em caso de não conseguir a prolongação, é possível dar entrada no PGWP estando fora do Canadá.

Por que a educação é a melhor maneira de ingressar no Canadá

É preciso ter em mente que o Canadá é um país que se desenvolve educacionalmente em um ritmo acelerado, sendo um dos países que mais investem em educação no mundo, onde até mesmo os seus professores ganham um salário acima da média mundial.

Grupo de alunos reunidos em sala de aula
Um College é a melhor escolha para quem busca trabalhar no Canadá

Então, lembre-se que o país valoriza a educação e as pessoas que aprendem com ele, o que facilita a evolução do estudante estrangeiro, principalmente no mercado de trabalho, que precisa de cada vez mais profissionais qualificados.

E falando do assunto de profissionais qualificados, um college é uma das melhores portas de entrada para o mercado de trabalho canadense, pois ele equivale a um curso técnico totalmente voltado para o mercado de trabalho.

Por que um college é ideal para quem busca trabalhar no Canadá?

1 – O College é mais barato do que uma universidade.

2 – Promove uma aproximação maior entre os alunos, sendo perfeito para quem busca um intercâmbio cultural..

3 – Tem uma maior acessibilidade aos professores e resolução de dúvidas, o que facilita a vida acadêmica.

4 – Estimula os alunos a pensarem em soluções para os problemas das suas áreas de atuação, evoluindo as suas habilidades ao longo do tempo.

5 – Valoriza o currículo do aluno tanto dentro do Canadá, quanto no exterior.

5 – Permite o requerimento de um PGWP após a conclusão do curso.

E então? Ainda tem alguma dúvida sobre como um college pode impactar a sua entrada no mercado de trabalho canadense? Basta escolher a sua área de preferência e começar a sua evolução dentro do país!

Quer trabalhar no Canadá iniciando por um College Público ou Privado? Basta falar com a gente através deste link e nós retornaremos o contato. A Dreams acredita no seu sonho e que ele pode se realizar através de uma parceria duradoura e livre de obstáculos. Não perca tempo e entre em contato!

Categories
Curiosidades Intercâmbio Cultural Meu intercâmbio com a Dreams

Quebec: conheça a província mais francesa do Canadá

Quebec é uma das dez províncias do Canadá, sendo uma região muito procurada pelos brasileiros que procuram imigrar através do estudo, podendo chegar à residência permanente no país. Suas raízes francesas e a sua qualidade de vida são qualidades que fazem da província um dos melhores lugares para se viver no Canadá. 

Porém, você conhece Quebec? Sabe como é a província e como ela surgiu? Como imigrar? Não? Então vem com a gente que esse post vai te mostrar da forma mais rápida e didática possível! Confira abaixo:

Por que Quebec é considerada uma província e não um estado?

No Brasil nós fazemos a divisão do país por estados e assim criamos um costume de conhecimento sobre como seria a divisão de um país. Porém, em outros países como Espanha e Canadá, as coisas não são bem assim.

Château Frontenac em Quebec
Château Frontenac em Quebec

No Canadá existem 10 províncias e todas elas têm um forte valor cultural para a cultura do país, já que são fruto da mistura dos colonizadores ingleses, franceses e o povo indígena que já residia nas terras canadenses, o que resulta em algumas áreas de cultura mais inglesas enquanto em outras a carga cultural pode ser mais francesa. Mas, vamos direto ao ponto:

Quebec é uma província e não um estado pois o Canadá não se utiliza do termo estado para definir as suas divisões superiores, assim como outros países de continentes variados, como Moçambique e Portugal. Quebec é uma província que possui direitos e obrigações específicas, fazendo com que esta província seja diferente das outras, mas vamos explicar isso ao longo do texto, não precisa se preocupar.

As raízes francesas de Quebec

Em Quebec os idiomas predominantes são o inglês e o francês quebequense, que se diferencia do francês falado em outras áreas do Canadá e que pode sofrer mudanças de acordo com a província em que você estiver inserido.

Dentro da província, é comum que nos centros das cidades o inglês seja predominante, enquanto o francês seja mais falado nas periferias e também por pessoas mais velhas, que perpetuam a cultura do local, já que em média 80% dos habitantes são descendentes de franceses.

Cidade de Quebec
Cidade de Quebec

“Mas, porquê Quebec tem raízes francesas tão fortes?”. Bom, é preciso que a gente entenda primeiro a história do Canadá e como a Nova França foi estabelecida ao oeste do Canadá, pois enquanto havia o processo de colonização, o Quebec era parte da Nova França, mas só depois de alguns anos o governo francês entendeu que aquele local era uma boa opção para estabelecer um ponto de interesse além do comércio.

Então, em 1608 a Cidade do Quebec foi fundada com o aspecto de uma fortaleza, tornando- se a capital do Canadá Francês e também da Nova França. Sendo assim, ao longo do tempo, Quebec se tornou uma verdadeira representante da colônia francesa no Canadá, assim já entendemos muito bem o porquê de Quebec ter uma cultura francesa tão influente em toda a sua província, né?

Uma província soberana para imigrantes

Por sempre ter mantido uma influência francesa muito forte em razão da sua colonização e também do estabelecimento de raízes francesas, Quebec sempre teve dificuldades políticas e econômicas para se relacionar com as outras províncias do Canadá, que por consequência da colonização britânica, são muito mais influenciadas pela cultura inglesa.

Sendo assim, a província de Quebec busca a sua soberania desde 1987, quando o Movimento Soberanista de Québec começou a reivindicar que a província se tornasse um estado soberano, sendo totalmente independente do Canadá. Assim, com o passar do tempo, Quebec vem reinventando os seus direitos e obrigações.

Com essas reinvenções, Quebec se tornou um local cada vez mais acessível para quem busca imigrar para o Canadá, sendo uma das províncias que mais acolhem estrangeiros por conta da sua flexibilização nas leis de imigração.e hospitalidade com os imigrantes.

Como se tornar um residente permanente de Quebec

Uma das melhores opções para imigrar para o Canadá é através da educação, pois basta ingressar no país através de um College Público e trilhar o seu caminho nas terras da maple leaf. Porém, em Quebec, você pode ingressar por um College Privado e ainda assim obter o seu PEQ (Programme de L’Expérience Québécoise), que nada mais é do que o PGWP provincial de Quebec.

Avenida nevada em Quebec
Rua nevada em Quebec

Para isso, basta que você tenha em mãos um diploma de conclusão de curso em algum college de Quebec com um diploma admissível e que tenha a carga horária de no mínimo 1.800 horas. Após isso, você poderá requisitar o PEQ, que basicamente é um “visto de trabalho” para que você consiga continuar vivendo a experiência quebequense através do mercado de trabalho.

Com o PEQ, você poderá trabalhar meio período (20h semanais), podendo trabalhar em período integral quando estiver de férias das suas obrigações acadêmicas, o que irá aumentar a sua renda enquanto a sua rotina acadêmica não volta ao normal.

Château Frontenac em Quebec e rua da cidade
Château Frontenac visto de outro ângulo

Após requisitar e ter o seu PEQ aprovado, é hora de ir em busca do CSQ (Certificado de Seleção de Québec), que basicamente é o certificado de que você é uma pessoa elegível para solicitar a residência no país, mas lembre-se: Além de ter o PEQ é necessário que você também tenha o idioma francês em nível B2 na modalidade oral.

Após cumprir todos os requisitos e com o CSQ em mãos, você poderá entrar com um pedido de residência permanente no governo federal. A partir deste momento, basta aguardar e conferir o veredito do órgão responsável.

Já pensou em imigrar para o Canadá com um preço acessível, estudando e ainda podendo trabalhar? Parece um sonho, né? Mas lhe garanto que isso tudo é uma realidade que está nas suas mãos, basta clicar neste link e a nossa equipe estará pronta para tirar todas as suas dúvidas!

A Dreams sabe que você gosta de se manter informado sobre os destinos que você mais ama, então vamos trazer cada vez mais conteúdos não apenas sobre o Canadá, mas sobre todos os destinos que você sonha. Por isso, fica ligado no nosso blog e também nas nossas redes sociais!

Categories
Dicas Intercâmbio Estudo e Trabalho

Custo de vida na Irlanda em 2021: saiba agora como é o custo de vida na Ilha Esmeralda

O custo de vida na Irlanda é uma das grandes curiosidades que cercam os brasileiros que buscam se aventurar nas terras da ilha esmeralda, principalmente àqueles que têm o objetivo de estudo e trabalho enquanto podem desfrutar das variedades que a Irlanda pode oferecer. Pensando nessas dúvidas, elaboramos este post para tirar todas as suas dúvidas sobre o custo de vida na Irlanda, confira:

O custo de vida na Irlanda

Primeiro de tudo, é necessário que você entenda que a Irlanda é um país e as suas cidades possuem diferentes culturas e costumes de consumo, o que resulta em uma variação do custo de vida total do país. Assim, tenha em mente de que iremos te dar a melhor média possível, mas que cada cidade tem um custo único.

O custo de vida nas cidades

Abaixo, utilizando a ferramenta Expatistan, comparamos os preços de alimentação, moradia e transporte nas três cidades mais populosas da Irlanda: Dublin, Cork e Limerick.

O custo de vida em Dublin na Irlanda é mediano

Dublin

Dublin é a capital da Irlanda e atualmente conta com uma população de 1,228,000 milhões de habitantes. Abaixo, confira os valores na capital:

Alimentação

Almoço no distrito comercial (incluindo bebida) – €14

Refeição em restaurante fast food – €8

Peito de frango (500g) – €4.78

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.39

Moradia

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor alto – €2,376

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor médio – €1,792

Transporte

Carro Volkswagen Golf 1.4 TSI ou equivalente – €26,676

Ticket de transporte público mensal – €133

Viagem de táxi com tarifa básica 8km – €24

Lazer

2 Ingressos para o cinema – €22

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €41

1 Cerveja em pub da vizinhança – €6

Fazendo uma análise bem direta, podemos concluir que Dublin não é uma cidade tão barata em questão de moradia, mas é totalmente possível se manter no centro da cidade através do sistema de HouseShare, que nós já abordamos em outro post aqui no blog. O preço da alimentação se mantém razoável, assim como o transporte, que você pode reduzir os custos através do uso da bicicleta.

Cork

A ilha universitária de Cork tem aproximadamente a população de 190,384 habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Irlanda.

Alimentação

Almoço no distrito comercial (incluindo bebida) – €15

Refeição em restaurante fast food – €8

Peito de frango (500g) – €5.05

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.00

Moradia

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor alto – €1,522

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor médio – €1,011

Transporte

Carro Volkswagen Golf 1.4 TSI ou equivalente – €27,621

Ticket de transporte público mensal – €68

Viagem de táxi com tarifa básica 8km – €15

Lazer

2 Ingressos para o cinema – €19

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €38

1 Cerveja em pub da vizinhança – €5.72

O preço do aluguel mensal da moradia em Cork é praticamente 50% menor do que o normal em Dublin, assim como a sua alimentação e transporte público, que também se mantém mais em conta. Lembre-se que Cork é uma cidade universitária, sendo perfeita para quem procura trabalhar e estudar na Irlanda.

Limerick

Conhecida pelo castelo King John’s Castle, Limerick tem aproximadamente 191,809 habitantes e é a terceira cidade mais populosa da Irlanda.

Alimentação

Almoço no distrito comercial (incluindo bebida) – €13

Refeição em restaurante fast food – €7

Peito de frango (500g) – €4.54

Pão para 2 pessoas por 1 dia – €1.30

Moradia

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor alto – €1,242

Aluguel mensal de um apartamento em área considerada de valor médio – €1,006

Transporte

Carro Volkswagen Golf 1.4 TSI ou equivalente – €24,777

Ticket de transporte público mensal – €69

Viagem de táxi com tarifa básica 8km – €21

Lazer

2 Ingressos para o cinema – €18

Jantar básico para duas pessoas em pub da vizinhança – €34

1 Cerveja em pub da vizinhança – €5.52

O custo de alimentação consegue ser ainda mais baixo em Limerick, o que pode resultar em uma renda extra no final do mês para o aproveitamento do lazer, que também é mais barato em Limerick do que nas 2 outras cidades, assim como o aluguel de uma moradia em um bairro de classe média.

Interior de um pub irlandês
Interior de um pub irlandês

Salário mínimo na Irlanda x Salário mínimo no Brasil

“Já entendi que os preços variam de cidade para cidade, mas como vou ter dinheiro para consumir tudo isso?”. Calma, a Dreams sabe que você quer estudar e trabalhar enquanto aproveita o conforto que a Irlanda pode oferecer, por isso, trouxemos este comparativo sobre o salário mínimo e como o seu poder de compra pode mudar. Confira:

O salário mínimo brasileiro atualmente está no valor de R$ 1.100,00 por 40hrs semanais, enquanto uma cesta básica brasileira custa em torno de R$ 356,63.

Utilizando São Paulo como referência e subtraindo também o preço das contas de luz, água e gás que juntas em média custam R$ 309,00, o brasileiro médio terá aproximadamente R$ 450,00 para lidar com outras contas como cuidados para a casa, saúde e também compra de eletrodomésticos e variedades.

Na Irlanda o salário mínimo se encontra no valor de €10.20 por hora, que utilizando como base 40hrs semanais de trabalho, o indivíduo terá €408 ao final daquela semana. Ao final do mês, teremos o valor médio de €1770.00.

Utilizando os valores de Cork, que é uma ótima cidade para quem busca estudar e trabalhar, basta utilizar o sistema de House Share para que os valores médios despenquem e você consiga desfrutar ainda mais do que a Irlanda tem a oferecer. E Lembre-se, você estará ganhando em EURO, que atualmente custa R$ 6,43!

Além de todas as vantagens que o custo de vida tem a oferecer, você também estará vivendo em um país com alto índice de segurança e saúde, fazendo com que a sua qualidade de vida triplique!

Já pensou no poder de compra que você terá dentro e fora da Irlanda? E o melhor de tudo, enquanto estuda e trabalha por lá? Não perca tempo e realize esse sonho, clique aqui e vamos facilitar o seu sonho de morar na Ilha Esmeralda!