Categories
Intercâmbio Cultural

Intercâmbio em Vancouver: realize o seu sonho

Quer realizar o sonho de fazer um Intercâmbio em Vancouver mas não sabe como? Não se preocupe, neste post nós vamos ilustrar tudo o que você precisa saber.

Fazer um intercâmbio, conhecer uma nova cultura, aprender uma nova língua são o sonho de muitos jovens. Mas, enquanto viajar ainda não é uma opção, que tal começar a se planejar e ter mais tempo para realizar o sonho do Intercâmbio em Vancouver, no Canadá?

Jovem viajando por Vancouver
Jovem realizando o sonho de fazer um intercâmbio em Vancouver.

Vancouver é uma excelente opção para intercâmbio, senão a melhor, já que a cidade foi eleita campeã várias vezes em qualidade de vida no planeta. Ela fica bem próxima a Seattle, possui excelentes outlets e tem a grande vantagem de ter temperaturas mais amenas que outras cidades do Canadá.

Curtiu a ideia? Então vem ler esse post com a gente.

Winter Camp 2022 Intercâmbio em Vancouver

Intercambistas na última edião de um Winter Camp
Jovens intercambistas na última edição do Winter Camp.

Em parceria com a World Tour, a  Dreams Intercâmbio está lançando o programa Winter Camp 2022, que acontece durante todo o mês de janeiro, em Vancouver, no Canadá. E a também parceira, ILAC, que é considerada a melhor escola de inglês da América do Norte.

É possível fazer o intercâmbio sozinho, mas também em grupos de amigos. E você deve estar se perguntando o que inclui o programa, não é? O curso tem duração de 4 semanas e  grupo se hospeda em casa de família com as três refeições diárias, além de outras vantagens exclusivas.

O Winter Camp  foi pensado para adolescentes entre 14 a 17 anos que desejam viver uma experiência diferente em um país nativo, onde irá aprimorar seu inglês. As edições passadas foram um sucesso e geraram feedbacks muito positivos.


Quer conferir um pouco? Então aperta no play e veja mais do programa.

Um pouco sobre Vancouver, a cidade dos sonhos.

Imagem do Vancouver Science World
Imagem do Vancouver Science World.

Se você fizer uma busca, com certeza encontrará Vancouver como uma das melhores cidades do mundo para viver. Montanhas, praias e florestas fazem dela o cenário perfeito. É, sem dúvidas, uma cidade cosmopolita, moderna, com influências asiáticas e uma peculiar mistura de sotaques que prova como ela é a opção número 1 para estrangeiros.

Apesar de estar voltada para o Pacífico e ser uma movimentada cidade portuária, Vancouver respira cultura. Então, onde encontro arte e história em Vancouver? Uma opção é sua famosa Galeria de Arte, conhecida pelas obras de artistas locais. Já o Museu de Antropologia possui coleções muito importantes das Primeiras Nações.

Vancouver é majestosa e intimista, sofisticada e descontraída, agitada e próspera. Realizar o sonho do Intercâmbio em Vancouver é experienciar uma nova realidade. Então, uma escolha certa para viver ótimos momentos ao lado dos amigos.

Se interessou? Entre em contato com a Dreams e continue acompanhando o nosso blog.

Categories
Higher Education

Por que ingressar numa universidade na Nova Zelândia?

Praias, lagos, vulcões… se você quer cursar uma universidade na Nova Zelândia, então pode ir se acostumando com as belezas neozelandesas, que já foram palco de filmes como O Senhor dos Anéis. 

A Nova Zelândia tem encantado os brasileiros não só apenas por seu cenário deslumbrante, mas suas universidades figuram entre as 450 melhores no mundo. Além do mais, estudar em outro país é também uma oportunidade para construir sua vida nele. 

Montanhas e lago ao sul da Nova Zelândia
Montanhas e lago ao sul da Nova Zelândia

Confira abaixo como ingressar em uma universidade na Nova Zelândia

Como é o ingresso em Universidade na Nova Zelândia

Estudantes em frente à Universidade
Estudantes em frente à Universidade

Estudar em uma universidade na Nova Zelândia não é algo difícil como se pensa e, diferentemente do Brasil, para entrar em uma faculdade neozelandesa não é necessário prestar vestibular ou fazer uma prova. Mas, sim, analisar os pré-requisitos do curso escolhido e fazer sua matrícula. 

Em geral, os requisitos são histórico escolar e proficiência em Inglês, comprovada através de certificados, como IELTS ou TOEFL, porque a nota mínima varia de acordo com a universidade e o curso escolhidos.

Melhores universidades do País: Victoria University of Wellington, The University of Auckland, The University of Otago, The University of Waikato,

Bolsa de Estudos

Jovem estudando para concorrer a bolsa de estudos
Jovem estudando para concorrer a bolsa de estudos

Todas as faculdades da Nova Zelândia são públicas e pagas. O governo pode ainda pagar 50% dos estudos, mas o restante fica sob responsabilidade do estudante. É possível pedir um empréstimo e, então, ir pagando quando encontrar um emprego, porém apenas estudantes neozelandeses estão aptos.

Em sites de algumas universidades, é possível encontrar bolsas parciais, na sessão Scholarships. Já em outras há descontos para estudantes internacionais, que podem ser encontrados no site da instituição na sessão International Students. 

Há também uma terceira possibilidade de concorrer a uma bolsa que é ofertada pelo próprio governo e chamada New Zealand Scholarchips. Proficiência em Inglês e residir no país de origem são os requisitos, já que a bolsa (integral) deve solicitada à distância. Ela garante uma mesada de NZ$ 400 semanais para despesas, mas também permite que o estudante trabalhe até 20 horas por semana

Para essa última modalidade, o processo total pode levar até um ano e é importante lembrar que ela não dá direito a moradia no país após conclusão do curso, pois ela consiste em proporcionar experiência ao estudante para ser aplicada no seu país natal.

Sistema de Níveis

Jovens estudando com livros à mão
Jovens estudando com livros à mão

O sistema de níveis foi baseado na complexidade de cada curso, ou seja, cada nível possui requisitos únicos que indicam o grau de conhecimento e a habilidade do estudante alcançados ao final da graduação. Funciona assim:

Bachelor/Degree (Nível 7):
Graduação de 4 anos. É necessário apresentar comprovação ensino médio.

Graduate Diploma and Certificate (Nível 7):
Especialização entre a graduação e a pós-graduação que dá ênfase à graduação. É preciso apresentar comprovação da faculdade.

Postgraduate Diploma and Certificates/ Bachelor Honours Degree (Nível 8):
Pós graduação. Necessita comprovação da faculdade.

Master’s Degree (Nível 9 ):
Mestrado. É preciso comprovação da faculdade entre outros.

Doctoral Degree (Nível 10):
Doutorado. Exige comprovação de mestrado entre outros.

Quando você consulta um programa de estudos na Nova Zelândia, ele deve informar qual nível você alcançaria ao se formar, assim como o tipo de qualificação, como um certificado ou diploma.

Você encontra a explicação completa de cada nível clicando aqui.


E aí, curtiu o conteúdo sobre faculdades na Nova Zelândia? Leia mais em nosso blog Dreams Intercâmbio.

Categories
Intercâmbio Estudo e Trabalho

Confira 5 países que permitem estudar e trabalhar

Estudar, experimentar uma nova cultura, aprender uma língua estrangeira e ainda ter permissão para trabalhar em outro país. Além disso, esta realidade é o objetivo de vida de muitas pessoas, mas está longe de ser um sonho impossível.

Existem diversos países, de continentes distintos, onde é possível estudar e trabalhar ao mesmo tempo e de forma legal. 

Abaixo você confere 5 países onde é possível estudar e trabalhar!

Alemanha

Além de contar com universidades renomadas gratuitas ou que cobram pequenas taxas para graduação ou mestrados integrados, a Alemanha é um país que autoriza os universitários a exercerem um ofício. 

Lá, é possível trabalhar 120 dias por ano em tempo integral ou 240 dias por meio período.  Os setores mais aquecidos da economia industrial são o automotivo, o farmacêutico e a mecânica. Ou seja, dá para aproveitar o que o país tem de melhor, como museus, monumentos históricos e arquitetura, e ir em busca de um emprego.

Mas, calma! Antes de pensar em se mudar pra Alemanha, é importante aprender o básico do idioma. Nem todos os alemães falam inglês, fica a dica!

Canadá

A segurança, a modernidade e a atmosfera multicultural fazem do Canadá uma ótima pedida para estudar e trabalhar. No país, o inglês e o francês são as línguas oficiais. Ou seja, a depender da cidade onde for morar, é preciso dominá-las bem.

O Canadá concede visto de estudo e trabalho para quem está matriculado em um curso de carreiras, ou seja, curso técnico, graduação ou pós. É possível realizar estágio remunerado na área ou trabalhar numa empresa parceira da instituição de ensino. 

Quando o assunto é ensino superior, o Canadá tem cinco de suas universidades entre as 100 melhores do mundo, de acordo com a prestigiada lista de 2019 da consultoria britânica Times High Education (THE). Universidade de Toronto, British Columbia, McGill, McMaster e Universidade de Montreal são as que aparece na relação. 

E por falar em college, neste artigo você entende a diferença entre college público e college privado. 

Espanha

Gaudí, Museu del Prado, Puerta del Sol, música flamenca… Imagina conhecer tantos aspectos de uma cultura rica, podendo aprender uma das línguas mais faladas nos mundo e ainda trabalhar na Espanha? Sem falar no clima, as paisagens, a história. Demais, não é mesmo?

Uma pesquisa realizada pelo site Educations https://br.educations.com/ com cerca de 20 mil jovens apontou a Espanha como o melhor país na Europa para estudar e trabalhar.

Não faz muito tempo, no entanto, a Espanha liberou um visto de estudante de idioma que dá direito a trabalho de até 20 horas semanais. Para conseguir o visto é necessário comprovar financeiramente que o estudante, que deve ter no mínimo 18 anos, pode ser manter no país mesmo que não consiga emprego. 

Inglaterra

Na terra da Queen Elizabeth, só é possível estudar e trabalhar legalmente com o visto Tier 4 (General). Esta modalidade é apenas concedida a estudantes que permanecerão no país por no mínimo seis meses. E vale para a condição de estudante de graduação, pós ou de idiomas.

O trabalho deve durar entre 10 e 20 horas semanais e só pode ser executado no período das aulas e nos feriados. E, diferente do Canadá, o Reino Unido permite estudo e trabalho para pessoas com idade a partir dos 16 anos. 

Para garantir o visto, dominar o inglês é essencial afinal, muitas vagas disponíveis são em restaurantes e na hotelaria! Portanto, foca na aprendizagem da língua se este for o destino escolhido, combinado?

Irlanda

A Irlanda é dos destinos mais procurados para quem quer estudar e trabalhar. O país facilita o visto de intercâmbio de inglês e libera trabalho de até 20 horas semanais durante o curso e de até 40 horas semanais durante as férias. Para tanto, é necessário ficar no mínimo 25 semanas no país.

As principais vagas de trabalho estão relacionadas a ciência e tecnologia, TI e área financeira. Mas é possível também encontrar ofertas nos segmentos de serviços, para trabalhar em restaurantes, supermercados e lojas de conveniência. 

Com um custo de vida mais baixo se comparado a outros países da Europa, a Irlanda é um ótima escolha para quem busca um novo destino para estudar e trabalhar!

Curtiu o conteúdo? Confira mais posts no blog da Dreams Intercâmbio

Categories
Notícias

Retorno das atividades aéreas internacionais no Brasil

As atividades aéreas no Brasil estavam suspensas devido a pandemia causada pelo Novo Coronavírus. Durante esse tempo, as viagens ficaram extremamente seletivas, voos cancelados, intercâmbios, viagens, ou seja, sonhos adiados. No entanto, foi divulgado as companhias internacionais que retornarão suas atividades aqui no Brasil. Se você tem o interesse em ir à algum país fica ligado nas medidas que as companhias aéreas adotaram de segurança a bordo.

Retorno das atividades em Julho

Não são todas as empresas que voltarão ainda esse mês. No entanto, as companhias que farão voo para o Brasil são: Aeromexico com o seu início no último sábado dia (11), Air Europa está com o planejamento para voltar amanhã dia (15) entre Madri e São Paulo com uma frequência de 03 vezes na semana, Air France não parou suas atividades durante a pandemia, apenas reduziu a quantidade de voos. Sendo assim, desde o dia 06 de Julho voltou a operar com mais frequência (08 vezes por semana), Qatar desde 04 de Julho a companhia aumentou sua frequência de viagens aéreas para o Brasil. A expectativa é que tenham voos diários a partir do dia 31 de Agosto. A companhia Swiss está ativa desde o dia 02 de Julho. Já Lufthansa deve voltar na próxima quinta-feira dia (16).

Retorno das atividades aéreas entre Agosto e Setembro

Durante esses meses mais empresas retornarão à ativa. Começando com a companhia Amaszonas que está sem data confirmada, mas com expectativa que seja entre o final de agosto e início de setembro. A American Airlines anunciou o seu retorno com Miami-São Paulo para o dia  06 de agosto, porém as outras rotas ainda não estarão liberadas. Assim como ela, a British Airways, ao longo dos dias vai retomando completamente as suas conexões, mas anunciou que dia 01 de agosto está de volta ao Brasil. A companhia Delta Air Lines não tem data confirmada, mas a previsão é para o início de agosto. Sem ainda saber a quantidade de frequência de conexão para o Brasil a Emirates retorna dia 02 de agosto. Além disso, as companhias Alitalia, Cabo Verde Airlines, Gol, Iberia, só terão retorno em Setembro. Ainda assim, a  Turkish Airlines e Jetsmart voltam respectivamente em Setembro e Outubro sem datas confirmadas.

Companhias que continuaram as suas atividades

Apesar da pandemia reduzir drasticamente o número de voos eles não foram completamente cancelados. Algumas empresas trabalharam (de forma reduzida) e estão (aos poucos) progredindo com as rotas e conexões. Foram elas: Ethiopian Airways, KLM, Latam, e United (sendo a única a operar Brasil e Estados Unidos).

Dicas para fazer um excelente intercâmbio

De modo geral, sabemos que os voos podem sofrer alterações no horário sem aviso prévio e as datas podem ser alteradas conforme a reabertura de fronteiras, bem como a evolução da pandemia.

Categories
Vistos e documentações

Mudanças nos vistos de estudantes na Austrália

A Austrália visa mudanças em leis para ajudar estudantes internacionais que escolheram esse destino para os seus estudos. Sendo assim, o governo de Morrison está fazendo várias mudanças nos acordos de visto estudantil garantindo que os estudantes continuem optando pelo país. Com isso, as 05 mudanças previstas no visto farão com que os alunos possam ter a garantia dos seus estudos e intercâmbio. Essas são as 05 alterações programadas para esse novo tempo:

Vistos fora da Austrália

O governo abriu o pedido de vistos de estudantes em todos os locais alojados fora da Austrália. Ou seja, quando tudo normalizar e as fronteiras estiverem abertas novamente, os alunos que solicitaram o visto nesse período poderão ir à Austrália sem problema algum.

Pedido de visto gratuito

Os estudantes internacionais poderão solicitar um novo pedido de visto gratuitamente caso os estudos não forem concluídos dentro da validade do visto devido ao COVID-19. Sendo assim, o acesso permanece garantido.

Possibilidade de visto pós-estudo

Todos os estudantes matriculados na Austrália que estudam on-line fora do país poderão utilizar desse recurso para ter os requisitos de estudo australiano e assim receber o visto pós-estudo com grandes possibilidades de trabalhar no país.

Leia também: Chegando na Autrália

Elegibilidade de visto pós-estudo fora da Austrália

Os graduados que por algum motivo não puderem mais retornar ao país devido a pandemia causada pelo Novo Coronavírus serão concedidos a elegibilidade do visto pós-estudo fora da Austrália.

Tempo adicional para apresentar os resultados em inglês

Por fim, todos os alunos internacionais que desejam ingressar na Austrália será dado um tempo a mais na apresentação do desempenho em inglês caso o covid-19 tenha interrompido o complemento dessa etapa.

De forma geral, essas são as etapas iniciais do governo no combate à covid-19. As fronteiras permanecem fechadas, mas o trabalho para que tudo volte ao normal continua à todo vapor.

“Somos uma nação acolhedora, com um sistema educacional de classe mundial e algumas das taxas mais baixas de COVID-19 do mundo. Os alunos querem estudar aqui e queremos recebê-los de volta de uma maneira segura e medida quando for seguro fazê-lo, completou o ministro interino da Imigração, Cidadania, Serviços aos Migrantes e Assuntos Multiculturais, Alan Tudge.

Comunicado oficial do Governo Australiano