Categories
Higher Education

Brasileiro pode fazer faculdade nos Estados Unidos?

Você quer estudar em uma faculdade nos Estados Unidos mas não sabe se pode estudar em uma, ou como ela funciona? Bom, você veio ao lugar certo, pois nós temos a resposta certa para você, basta ler este post completo e chegar até o final, pois só assim você terá a resposta que precisa. Abaixo, confira como funciona uma faculdade nos Estados Unidos e se você pode estudar por lá. Espero por você no final!

Entendendo o ensino superior nos Estados Unidos

Se você está aqui, provavelmente já sonhou em viver o sonho americano, de estudar em uma boa faculdade, ter um diploma e desfrutar da ótima qualidade de vida que os Estados Unidos tem a oferecer como um país que tem evoluído cada vez mais ao longo dos anos.

E essa evolução se deve ao grande investimento que o país coloca em seu setor educacional, e não à toa, as suas universidades figuram entre as posições mais altas dos rankings mundiais.

Porém, o ensino superior estadunidense não é feito apenas de universidades, as suas faculdades também são uma grande referência, tendo diferenciais e ótimas qualidades para quem deseja conquistar um diploma nos EUA.

Para saber como funciona uma faculdade nos Estados Unidos, você precisa saber que o ensino superior se divide entre 2 tipos distintos de instituições, os Community Colleges e as Universidades.

A diferença entre faculdade e universidade nos Estados Unidos

Saiba agora, de maneira rápida e definitiva, quais são as diferenças entre uma faculdade (Community College) e uma universidade nos Estados Unidos, entendendo o tempo de duração e os seus benefícios.

Community College

Procurada geralmente por quem deseja entrar no mercado de trabalho, a faculdade estadunidense, ou Community College, é responsável pela educação superior de fácil acesso nos Estados Unidos, oferecendo cursos de até 2 anos, o que acelera o processo da acessibilidade ao mercado de trabalho dos EUA.

Dentre a vantagens de se fazer um Community College, estão:

Economia – Um Community College pode ser até 60% mais barato do que uma universidade estadunidense.

Fácil acesso – O processo de admissão é muito mais acessível, o que facilita o ingresso dos alunos.

Multiculturalidade – Diversos imigrantes costumam priorizar o Community College, o que resulta em uma diversidade muito maior de culturas e possibilidades sociais.

Faculdade nos Estados Unidos

Universidade

As universidades são, não apenas o complemento do ótimo ensino básico que os EUA busca promover, mas também uma grande fonte de investimento, sejam elas particulares ou públicas. Nas universidades americanas, você pode conseguir um diploma de graduação, mestrado, doutorado ou aquele tão sonhado PhD. 

As universidades nos Estados Unidos se dividem entre as privadas e públicas. Nas privadas, temos as famosas: Universidade de Princeton, Universidade Georgetown, Universidade de Notre Dame, assim como as gigantes já conhecidas: Harvard, MIT, Yale e muitas outras. 

Nas públicas, temos a Universidade da Califórnia – Berkeley, Universidade de Michigan – Ann Arbor, Universidade da Flórida – Gainesville e também muitas outras, que melhor se adequam ao que o aluno deseja alcançar academicamente.

Dentre os benefícios de se fazer uma universidade estão:

Maior aceitação do mercado – Como já dito, as universidades dos Estados Unidos são muito respeitadas, por isso, ter uma delas no seu currículo, costuma pesar na decisão das empresas.

Maior variedade de graduações – Ao contrário de um Community College, as universidades permitem que você vá além de uma graduação comum, podendo chegar até um PhD.

Incentivo a pesquisa – As universidades recebem investimentos constantemente, o que reflete nos programas de pesquisa, que costumam ser bem mais robustos.

Faculdade nos Estados Unidos

Brasileiro pode fazer faculdade nos Estados Unidos?

Sim, o cidadão brasileiro pode fazer faculdade nos Estados Unidos e isso é algo bem comum para quem sai do Brasil em direção aos EUA, com o sonho de conquistar um diploma estadunidense de graduação.

Popularmente, os alunos estrangeiros, sendo eles brasileiros ou não, costumam ingressar nos Community Colleges, por uma série de fatores que contribuem muito mais para a sua estadia, economia e qualidade de vida.

Além disso, como já foi dito acima, um Community College é muito mais barato do que uma universidade americana, o que resulta em cada vez mais alunos que ingressam nesse tipo de instituição com o objetivo de ter economia ao mesmo tempo que conseguem prosseguir com os seus estudos no ensino superior do Estados Unidos.

Mas, como isso funciona na prática?

Essa pergunta é bem fácil de se responder e agora você vai entender o porquê:

Em uma universidade, você tem a duração de 4 anos para conseguir o seu diploma, devido aos 2 primeiros anos de ensino, que se baseiam nos requisitos gerais de educação, como: matemática, história, inglês e outras matérias básicas, independente da sua área de atuação.

Assim, entram os Community Colleges, cumprindo essa carga de 2 anos de educação geral, com mensalidades muito mais acessíveis e que permitem ao estudante a criação de um atalho. Após o término do Community College, o aluno pode se transferir para uma universidade e concluir os 2 últimos anos específicos da sua área de atuação, economizando com os 2 anos iniciais.

Deu pra entender o quanto você pode economizar e o quão acessível pode ser fazer uma faculdade nos Estados Unidos?

Qual é o melhor caminho?

O seu sonho não precisa se limitar apenas ao que você pensa enquanto dorme. Se você já sabe em qual cidade quer estudar, o curso, os seus objetivos e quanto tempo deseja passar estudando naquela instituição, você já tem as respostas básicas para começar o seu planejamento.

Se você já tem as respostas, mas ainda não sabe qual caminho seguir, fala com a gente neste link, vai ser um prazer, realizar o seu grande sonho de conquistar um diploma internacional!

Esperamos por você, até a próxima!

Categories
Higher Education

Universidade de Sydney – Alto nível de ensino e empregabilidade

Quer saber como a universidade de Sydney funciona e se ela realmente vale a pena? Não precisa mais ter essa dúvida, pois além de trazermos a resposta, você saberá por que já deveria estar arrumando as suas malas para estudar em uma das melhores universidades do mundo!

Abaixo, conheça a universidade de Sydney e o que ela tem a oferecer para você:

A universidade de Sydney

Sendo fundada em 1850, a universidade de Sydney é considerada um exemplo em diversos fatores, sendo os mais importantes: a manutenção da sua tradição e a sua inovação como uma instituição que busca estar sempre à frente do seu tempo, assim como a sua permanência constante em ótimas colocações nos rankings mundiais.

E por falar em rankings, você com certeza deve querer saber como a universidade está colocada, não apenas na Austrália, mas também no mundo. E a universidade de Sydney também sabe disso, por isso, a própria instituição disponibiliza as suas colocações em diversos rankings ao longo do mundo. Confira abaixo as suas colocações:

Número 1 na Austrália e 4ª no ranking mundial de empregabilidade graduada no QS Rankings

3ª na Austrália e 38ª no ranking mundial geral, da QS Rankings para 2022

2ª colocada no ranking geral do Times Higher Education (THE) Impact Rankings 2021

Este último, lista faculdades que tenham melhor desempenho nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, reduzindo os índices de pobreza, fome e também outros mais específicos, como índices maiores da qualidade da educação, água limpa e diminuição do impacto ambiental. 

Universidade de Sydney

O seu instituto de pesquisa é considerado por muitas autoridades como o melhor do país, e isso nem de longe é uma coincidência. A pesquisa na Austrália é tratada de forma séria e bem remunerada para quem segue por esse caminho, sendo uma trilha profissional muito requisitada na instituição.

Pesquisa na universidade

Você já é um pesquisador ou um aluno interessado pelo universo da pesquisa e a sua importância para o mundo? Então, com certeza, você deveria estar pensando sobre estudar na universidade de Sydney, pois é nela que o governo Australiano tem investido ao longo dos anos para financiamento de pesquisas, investindo até mais do que em outras universidades do estado.

Além disso, esses investimentos não são por acaso, pois é por meio do Australian Research Council que a universidade de Sydney tem conseguido se destacar neste setor, conseguindo cada vez mais, evoluir o suporte à pesquisa dos alunos da universidade

“Mas, o que é o Australian Research Council?” 

O Australian Research Council (ARC), ou Conselho de Investigação Australiano, é uma das principais agências de financiamento de pesquisa do governo da Austrália, sendo responsável pelo capital educacional que as universidades recebem para que possam trabalhar em suas pesquisas continuamente, com objetivos de benefício global e também para a comunidade australiana em geral.

Se você prestou atenção em tudo que foi dito acima, ou quem sabe em uma parte, deve ter percebido que a palavra “investimento” apareceu diversas vezes. E isso não é por acaso, pois a Austrália realmente investe na educação do país, fazendo com que o seu nível educacional seja cada vez mais alto.

Já imaginou estudar em um país que investe na educação e pesquisa como coisa séria? A Austrália é o país certo!

A universidade de Sydney como núcleo de empregabilidade

Como já dissemos acima, a universidade de Sydney está como a melhor colocada para os estudantes graduados que buscam se colocar no mercado de trabalho, sendo um verdadeiro orgulho para a universidade, que adora exibir as suas colocações nos rankings mundiais.

A universidade trabalha com a imersão real de trabalho, tendo os seguintes programas para acesso, que nós traduzimos diretamente da instituição e disponibilizamos abaixo, confira:

  • Os alunos de graduação podem realizar um projeto de indústria  onde você irão colaborar com uma organização líder e trabalhar em projetos do mundo real.
  • O Centro de Carreiras oferece serviços de aconselhamento de carreira e outros recursos que permitirão que você esteja na melhor posição da carreira ao final de sua graduação.
  • Os alunos também podem acessar  programas de empreendedorismo estudantil  que o equipam com as habilidades necessárias para acelerar sua ideia, carreira ou pesquisa.
  • Os alunos podem desenvolver competência cultural colaborando em projetos do mundo real que foram identificados pelas comunidades aborígenes e das ilhas do Estreito de Torres por meio de nosso programa Aprendizado de Serviço em Comunidades Indígenas .
  • Nossos alunos de pesquisa podem colaborar com startups, organizações sem fins lucrativos e corporativas no Sydney Knowledge Hub.

Além disso, a universidade de Sydney também trabalha com programas específicos para alunos de determinadas áreas, sendo eles:

Negócios

Segundo a universidade de Sydney: “O Job Smart Edge é o programa premiado da Escola de Negócios que oferece aos alunos experiência na indústria e treinamento de carreira para prepará-lo para o trabalho.”

A universidade também fala sobre a  escola de negócios, onde você também terá um Escritório de Carreiras e Empregabilidade dedicado, que pode ajudá-lo a planejar sua carreira e se preparar para entrevistas de emprego.

Engenharia e Ciência da Computação

O Programa de Engajamento Profissional da Faculdade de Engenharia e Ciência da Computação tem como objetivo desenvolver as competências no local de trabalho e as habilidades de empregabilidade transferíveis que as empresas procuram nos graduados em engenharia.

“Mas, o que é e como funciona o Programa de Engajamento Profissional?”

É muito simples. Neste programa, o aluno terá a experiência completa da área de trabalho em que está inserido, então, ele começa a “colocar a mão na massa” para que consiga ter as suas habilidades afiadas para a realidade do mercado. Assim, ele precisa concluir no mínimo 600 horas de atividades específicas, sendo elas:

  • Visitas a lugares da indústria,
  • Conferências de engenharia e ciência da computação,
  • Atividades extracurriculares não relacionadas à engenharia, como voluntariado
  • Experiência de trabalho
  • Um estágio mínimo de seis semanas durante seu último ano.

Com apenas dois programas em áreas específicas, podemos entender o porquê dessa faculdade empregar tantos alunos graduados no mercado de trabalho, né? São estratégias diferentes, para diferentes tipos de mercado, com foco em preparar o aluno da melhor forma possível.

Neste ponto, entendemos que a universidade de Sydney é perfeita para quem deseja crescer, não apenas dentro da Austrália, mas internacionalmente. Poucas instituições entendem o mercado e como ele funciona, por isso, é importante escolher aquela que melhor caminha junto com a evolução do mercado de trabalho.]

Todos esses programas e benefícios podem ser encontrados diretamente no site oficial da universidade de Sydney.

Gostou do que a universidade de Sydney tem para oferecer? Eu aposto que sim.

Mas, se você ainda tiver alguma dúvida, basta clicar no botão abaixo e nós vamos tirar todas as suas dúvidas! 

Quer saber mais sobre como é estudar, trabalhar ou viver na Austrália? O blog da Dreams está cheio dos conteúdos mais variados para que você vá até o maior país da Oceania sabendo tudo! Corre lá! 

Categories
Higher Education

Como funciona o ensino superior na França

Quer fazer ensino superior na França mas não sabe como ele funciona? Não se preocupe, pois isso é bem comum, principalmente porque muitas pessoas costumam não saber como as coisas funcionam na prática em terras francesas. Sabendo disso, nós preparamos um conteúdo completo sobre como funciona o ensino superior na França e quais são as suas divisões, confira abaixo:

O ensino superior na França

Estudar na França é a vontade de muitas pessoas ao longo de todo o planeta, pois além de ser um país muito tradicional culturalmente, ter um currículo de graduação francesa significa colocar o seu currículo em evidência, no topo do mercado de trabalho mundial, por isso tantas pessoas têm se interessado por este tipo de intercâmbio.

O ensino superior na França se divide entre partes fundamentais para que o aluno consiga alcançar os seus objetivos acadêmicos e também profissionais. Então, agora nós vamos ilustrar os níveis do ensino superior na França, para que você não tenha nenhuma dúvida sobre como ele funciona, já que em relação a outros países, a França pode ter um sistema considerado mais complexo.

Licence

A Licence, ou o bacharelado francês, é um diploma francês emitido em âmbito nacional, mas que também tem validade internacional, onde a sua duração alcança até 3 anos e representa a primeira etapa educacional do aluno francês no ensino superior, com cursos de graduação básica. 

Mestrado

O mestrado, ou Maîtrise, tem duração de 5 anos e foi adaptado ao sistema BMD, uma reforma criada para que todos os sistemas dos países europeus sigam um único sistema de ensino superior. O mestrado francês é o segundo ciclo de ensino superior na França.

Doutorado

O último, mas com certeza não menos importante ciclo educacional da França é marcado pelo doutorado, ou doctorat para os franceses, onde temos a duração de 8 anos e o título de doutorado para o aluno formado, que também terá adquirido o diploma nacional de doutorado.

ensino superior na França

Os tipos de instituições de ensino superior na França

Na França, existem pouco mais de 80 universidades estaduais, cerca de 5 católicas e muitos institutos privados, que também podem ser considerados universidades, principalmente por serem universidades em sua essência, mas não carregam este nome. Abaixo explicamos o porquê, entenda:

Grandes Ecoles

As Grandes Ecoles são consideradas pela França como um diamante muito valioso educacionalmente, pois são nelas que se concentram os esforços da educação nacional. Sendo assim, é exigido um esforço muito maior para que os alunos consigam ingressar nessas instituições.

As salas costumam ser pequenas, para concentrar o ensino e melhorar o direcionamento acadêmico, o que resulta em alunos cada vez mais qualificados e profissionais requisitados para o mercado de trabalho.

A Polytechnique é uma Grande Ecole muito conhecida entre os franceses, sendo também chamada de “X”. Para que você entenda a relevância dessa instituição, podemos dizer que ela é como um MIT da França, estando até mesmo no mesmo nível de ensino do próprio MIT e Harvard. Na Polytechnique, os estudantes são inseridos em um sistema multidisciplinar de ensino para a sua graduação.

Universidades estaduais

As universidades estaduais carregam os nomes das suas cidades de origem, então, é bem comum que você veja universidades com nomes de cidades famosas da França. Paris, por exemplo, tem 13 instituições estaduais e que carregam o nome da capital, tendo o diferencial de que todas elas são enumeradas de I até XIII.

Desde 2007, as universidades estaduais têm como foco a diversificação dos seus cursos e especializações, para que os seus calendários acadêmicos atendessem cada vez mais as demandas do mercado, com cursos cada vez mais específicos.

Uma curiosidade sobre as universidades estaduais francesas: 

As universidades estaduais sofreram um pouco mais do que as outras instituições ao longo do tempo, pois além de serem totalmente fiscalizadas e regidas pelo estado, as universidades tiveram diversos problemas com financiamento, o que acabou atrasando um pouco o desenvolvimento. 

Porém, devido à uma lei criada em 2007, as universidades estaduais alcançaram a autonomia que sempre quiseram, tendo a permissão para evoluir da maneira que achassem melhor, academicamente falando.

Universidades privadas

Talvez você sinta uma certa confusão quando estiver se matriculando em uma instituição de ensino superior na França, pois as universidades privadas não podem utilizar o nome de “universidade” em seus nomes. Por isso, é bem comum que você veja nomes como “Instituto de Lyon” ou derivados, pois mesmo sendo uma universidade, segundo uma lei antigai, elas não podem se chamar assim.

Mas,na prática as coisas são um pouco diferentes, pois universidades católicas como a Université Catholique de Lyon, utilizam a palavra universidade livremente, sem nenhum problema com a lei francesa.

universidade da França

Mas, qual a diferença de uma universidade privada para uma universidade católica?

Todos conhecemos uma universidade que carregue “católica” no nome, principalmente no sistema privado. Este tipo de instituição está presente em vários continentes ao longo do mundo. Mas, na França, a universidade católica tem um funcionamento diferente, pois apesar de serem privadas, têm o mesmo número de cursos e graduações que as universidades estaduais, com o diferencial de que os alunos podem transitar entre os sistemas privado e estaduais enquanto estiverem matriculados em uma instituição católica.

No final, todas as instituições de ensino superior na França são ótimas escolhas para quem deseja turbinar o currículo em escala internacional, pois além de ser um país que busca cada vez mais se adequar ao nível europeu de ensino, a França tem diversos tipos de instituições e grades acadêmicas para graduação.

Chegando até aqui, eu aposto que você se interessou por fazer o seu intercâmbio na França, melhor ainda se quiser viver uma experiência incrível no país para seguir o caminho dos seus sonhos. Se você ainda não sabe como seguir este caminho ou tem alguma dúvida, clica no botão abaixo e nós vamos retornar o mais rápido possível com as respostas que você precisa!

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!

Categories
Higher Education

Como é o Ensino Superior nos Estados Unidos?

Alunos na biblioteca da universidade
Aluno do Ensino Superior

Quando se trata de qualidade no Ensino Superior, os Estados Unidos sempre figuram nos rankings das melhores universidades do mundo. Não à toa, oito instituições do país estão entre as 10 mais conceituadas mundialmente, segundo a pesquisa 2021 da Times Higher Education (THE). Para chegar ao resultado, a THE considerou 13 indicadores relacionados a ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e internacionalização.

Então, se você já decidiu cursar o Ensino Superior nos Estados Unidos e agora está procurando a melhor instituição para se graduar, a gente te ajuda. Neste texto, listamos, ainda, as universidades com melhor custo-benefício, já que o investimento pode ser relativamente alto. Apesar disso, existem muitos planos de ajuda financeira, como empréstimos, subsídios e bolsas de estudo para concluir seus estudos.

Vamos juntos descobrir as melhores universidades e com melhor custo-benefício nos EUA? Então continue com a gente nessa leitura!

Ano letivo norte-americano

Alunos em ano letivo assistindo a aula na universidade

A experiência de estudar nos EUA é muito rica, não apenas socialmente, mas culturalmente. Em universidades como a de Cambridge e a de Chicago, por exemplo, o percentual de alunos internacionais é 38% e 31% respectivamente. Além disso, é também uma chance de vivenciar uma forma de ensino diferente da que conhecemos tradicionalmente, a começar pelo ano letivo. No país, os estudos iniciam no outono, geralmente no final de agosto, mas, apesar disso, alguns semestres podem começar mais cedo. 

Antes de mais nada, é necessário deixar tudo preparado e confirmar previamente com a faculdade o calendário acadêmico e os horários. Isso porque alguns anos letivos são divididos em dois semestres, outros em quatro quartos e alguns, ainda, em três trimestres. A duração do curso também pode variar de acordo com o grau e o diploma. Uma licença CNA, por exemplo, leva em média um ano e meio, já um grau preparatório em Direito pode levar de três a quatro anos. Então, não custa nada se organizar previamente para aproveitar tudo que o semestre pode oferecer.

Quer conferir nossa lista completa de instituições? Fala com a gente neste link.

As 10 universidades com melhor custo-benefício

Harvard, uma das universidades com melhor custo-benefício

Ser uma referência mundial em ensino impõe também alguns obstáculos, isso porque o investimento estudantil no Ensino Superior nos Estados Unidos é muito alto. Por isso, a Dreams fez questão de listar algumas universidades com bom custo-benefício.

Foram levados em consideração os seguintes fatores: qualidade, valor líquido, dívida líquida, ganhos de ex-alunos, tempo de graduação e acesso para estudantes de baixa renda. E o melhor é que com a Dreams você tem acesso mais fácil a essas universidades. Confira a lista:
1º. Universidade de Brigham Young
2º. Universidade de Princeton
3º. Universidade da Califórnia, Irvine
4º. Universidade da Califórnia, Los Angeles
5º. Universidade da Califórnia, Berkeley
6º. Universidade de Stanford
7º. Universidade de Harvard
8º. Amherst College
9º. CUNY Bernard M Baruch College
10º. Universidade de Washington – Seattle

Quer saber o que precisa para ser aceito em uma delas? Clica aqui e fala com a gente!

Ensino Superior nos EUA é com a Dreams

Ensino Superior é com a Dreams Intercâmbio

A gente tá sempre buscando novas opções para tornar o seu sonho de estudar no exterior ser possível. Já indicamos aqui as melhores universidades nos cursos de Humanas, Saúde, Exatas e sempre surge algum conteúdo sobre trabalho e estudo por aqui. Caso você tenha interesse em universidades nos Estados Unidos, mas também em outros países, fala com a gente. Basta clicar aqui que te retornaremos com todas as informações.

Não perca os próximos posts do blog da Dreams Intercâmbios. Sempre às terças e quintas conteúdos exclusivos para quem quer estudar no exterior. Até lá!

Categories
Higher Education

Por que ingressar numa universidade na Nova Zelândia?

Praias, lagos, vulcões… se você quer cursar uma universidade na Nova Zelândia, então pode ir se acostumando com as belezas neozelandesas, que já foram palco de filmes como O Senhor dos Anéis. 

A Nova Zelândia tem encantado os brasileiros não só apenas por seu cenário deslumbrante, mas suas universidades figuram entre as 450 melhores no mundo. Além do mais, estudar em outro país é também uma oportunidade para construir sua vida nele. 

Montanhas e lago ao sul da Nova Zelândia
Montanhas e lago ao sul da Nova Zelândia

Confira abaixo como ingressar em uma universidade na Nova Zelândia

Como é o ingresso em Universidade na Nova Zelândia

Estudantes em frente à Universidade
Estudantes em frente à Universidade

Estudar em uma universidade na Nova Zelândia não é algo difícil como se pensa e, diferentemente do Brasil, para entrar em uma faculdade neozelandesa não é necessário prestar vestibular ou fazer uma prova. Mas, sim, analisar os pré-requisitos do curso escolhido e fazer sua matrícula. 

Em geral, os requisitos são histórico escolar e proficiência em Inglês, comprovada através de certificados, como IELTS ou TOEFL, porque a nota mínima varia de acordo com a universidade e o curso escolhidos.

Melhores universidades do País: Victoria University of Wellington, The University of Auckland, The University of Otago, The University of Waikato,

Bolsa de Estudos

Jovem estudando para concorrer a bolsa de estudos
Jovem estudando para concorrer a bolsa de estudos

Todas as faculdades da Nova Zelândia são públicas e pagas. O governo pode ainda pagar 50% dos estudos, mas o restante fica sob responsabilidade do estudante. É possível pedir um empréstimo e, então, ir pagando quando encontrar um emprego, porém apenas estudantes neozelandeses estão aptos.

Em sites de algumas universidades, é possível encontrar bolsas parciais, na sessão Scholarships. Já em outras há descontos para estudantes internacionais, que podem ser encontrados no site da instituição na sessão International Students. 

Há também uma terceira possibilidade de concorrer a uma bolsa que é ofertada pelo próprio governo e chamada New Zealand Scholarchips. Proficiência em Inglês e residir no país de origem são os requisitos, já que a bolsa (integral) deve solicitada à distância. Ela garante uma mesada de NZ$ 400 semanais para despesas, mas também permite que o estudante trabalhe até 20 horas por semana

Para essa última modalidade, o processo total pode levar até um ano e é importante lembrar que ela não dá direito a moradia no país após conclusão do curso, pois ela consiste em proporcionar experiência ao estudante para ser aplicada no seu país natal.

Sistema de Níveis

Jovens estudando com livros à mão
Jovens estudando com livros à mão

O sistema de níveis foi baseado na complexidade de cada curso, ou seja, cada nível possui requisitos únicos que indicam o grau de conhecimento e a habilidade do estudante alcançados ao final da graduação. Funciona assim:

Bachelor/Degree (Nível 7):
Graduação de 4 anos. É necessário apresentar comprovação ensino médio.

Graduate Diploma and Certificate (Nível 7):
Especialização entre a graduação e a pós-graduação que dá ênfase à graduação. É preciso apresentar comprovação da faculdade.

Postgraduate Diploma and Certificates/ Bachelor Honours Degree (Nível 8):
Pós graduação. Necessita comprovação da faculdade.

Master’s Degree (Nível 9 ):
Mestrado. É preciso comprovação da faculdade entre outros.

Doctoral Degree (Nível 10):
Doutorado. Exige comprovação de mestrado entre outros.

Quando você consulta um programa de estudos na Nova Zelândia, ele deve informar qual nível você alcançaria ao se formar, assim como o tipo de qualificação, como um certificado ou diploma.

Você encontra a explicação completa de cada nível clicando aqui.


E aí, curtiu o conteúdo sobre faculdades na Nova Zelândia? Leia mais em nosso blog Dreams Intercâmbio.