Categories
Higher Education

Conheça a universidade mais antiga do mundo

A Universidade de Bolonha é reconhecida por uma série de fatores importantes para quem se importa com alto nível educacional e oportunidades em diversas áreas de conhecimento. Porém, nem todo mundo conhece a universidade ou sabe do que ela é capaz, principalmente pela sua história e por sua evolução como uma universidade que está espalhada por uma certa região da Europa.

Abaixo, saiba tudo sobre a universidade de Bolonha:

A história da Universidade de Bolonha

O nome Alma Mater Studiorum: Università di Bologna é muito mais do que uma simples nomenclatura bonita, escrita em latim. A expressão em latim “Alma Mater Studiorum” significa “Mãe que nutre os estudos”. E assim tem sido a missão da Universidade de Bolonha, que desde 1088, educa alunos não só da Itália, mas do mundo.

A história da Universidade de Bolonha se inicia no começo do século 11, mas não pelas mãos do governo ou pela iniciativa de um grande conglomerado, mas sim quando um grupo informal de alunos começou a se reunir de forma espontânea, com alunos ricos vindo de outras regiões da Itália, trazendo livros e também empregados, fazendo com que rapidamente Bolonha ficasse conhecida como La Dotta (os eruditos) e também La Grassa (a gorda), por conta do seu crescimento acelerado.

Universidade de Bolonha

Assim, os alunos se tornaram uma parte importante da Comuna de Bolonha, que passou a apoiar os seus estudantes.

Agora que você já sabe o início de tudo, vamos fazer um resumo dos séculos que vêm pela frente para que você entenda tudo de forma rápida, completa e sem muitas voltas temporais. Abaixo, confira um resumo do que veio ao longo dos séculos:

  • No século 13, os alunos que frequentavam a Faculdade de Direito começaram a se agrupar, fundando as Universitates.
  • No século 14, os alunos perdem a sua autonomia, quando as autoridades locais e papais, começam a interferir no funcionamento da universidade. Até mesmo os professores sofreram com as imposições destas autoridades.
  • Século 15 – Por meio da fama, a instituição começa a atrair alunos de todo o mundo, tendo até mesmo papas e cardeais entre os seus alunos.
  • Século 16 – Com o objetivo de unificar o ensino e facilitar a fiscalização da igreja sobre o que acontecia na universidade, a igreja constrói as primeiras instalações unificadas da Alma Mater Studiorum, que antes disso, precisava das casas dos professores e ou em espaços alugados pela cidade para que pudesse ter aulas.
  • Século 17 ao 18 – Com a fiscalização rígida da igreja, a Universidade de Bolonha começa a perder alunos que não seguiam a religião imposta, fazendo com que ela caia em uma grande recessão, que durou dois séculos, tendo uma nova chance de crescer quando a Academia de Ciências do Instituto de Bolonha permite uma reação às restrições da igreja, fazendo com que a universidade volte a se reconectar com o ritmo da Europa daquele tempo.
Universidade de Bolonha
  • Século 19 – Desde o seu início, a Universidade de Bolonha era privada, se tornando pública após a chegada da República e posteriormente o reino da Itália, que transferiu a universidade para o Palazzo Poggi. Com a unificação italiana, Bolonha e a sua universidade conquistam novamente o seu valor histórico.
  • Século 20 – Em 18 de setembro de 1988, é criada a Magna Charta Universitarum, um documento assinado por 388 reitores e chefes de universidade de toda a Europa, contendo os princípios de liberdade acadêmica e autonomia institucional visando a evolução das universidades do futuro.
  • Século 21 – A universidade se deslocaliza e se torna o primeiro multicampus da Itália, estando presente por toda a região da Romagna, no norte da Itália. Assim, a universidade segue evoluindo com novas tecnologias e respeito pelo meio ambiente.

É muita história, né? Por isso decidimos deixá-la bem exposta através dos séculos, pois a universidade mais antiga do mundo tem tudo isso para contar e muito mais.

A estrutura educacional da Universidade de Bolonha

Agora que você já sabe sobre a história da universidade mais antiga do mundo, é hora de saber do que ela é capaz como uma instituição de ensino, pois afinal, ela é uma universidade e precisa alcançar ótimos níveis educacionais. Atualmente, a Universidade de Bologna ocupa a 166ª posição no ranking mundial de universidades.

Os programas da universidade

A universidade conta com 243 programas de graduação, sendo 97 internacionais, com 80 lecionados em inglês, 5 Erasmus Mundus e 46 desses programas sendo responsáveis por graduações duplas ou até mesmo múltiplas.

A universidade também conta com 48 programas de PhD, sendo 43 deles ensinados em inglês.

Quando o assunto é mestrado, a universidade também não fica atrás, já que são 122 cursos de mestrado, sendo 24 deles internacionais.

Além de tudo isso, existem 55 escolas de especialização, sendo 43 delas, escolas de especialização médica e 11 não-médicas.

Sendo assim, nem se preocupe em saber se pode estudar na universidade ou não, pois ela tem um compromisso com o futuro e com os estudantes que quiserem adentrar nela, sendo eles italianos ou não.

Os cursos

Os cursos oferecidos pela Alma Mater, podem variar de acordo com o que você deseja, sendo divididos por área e de acordo com os 243 programas que a universidade possui. Confira abaixo os cursos que são ofertados pela Universidade de Bolonha em 2022:

  • Agricultura e ciências do alimento
  • Economia e gestão
  • Educação
  • Engenharia e arquitetura
  • Humanas
  • Linguagens e literaturas, interpretação e tradução
  • Lei
  • Medicina
  • Farmácia e biotecnologia
  • Ciências políticas
  • Psicologia
  • Ciências
  • Sociologia
  • Ciências dos esportes
  • Estatísticas
  • Medicina veterinária

Dando um exemplo do que você poderá encontrar em uma área de medicina, por exemplo, existem os cursos de dietética, higiene dental, medicina e cirurgia, biotecnologia medicinal, enfermagem e muitos outros.

Os multicampus

Como dissemos acima, na história da Universidade de Bolonha, houve uma grande expansão pela região do norte da Itália, onde a instituição se tornou a primeira a realizar esta prática. Atualmente, a universidade já se divide entre Bolonha, Cesena, Forlí, Ravenna, Rimni e cruzando os mares, em Buenos Aires.

Universidade de Bolonha

A infraestrutura

A universidade de Bolonha se divide em partes importantes, que fazem dela a gigante histórica que se mantém até hoje, como: salas de aula, departamentos específicos para auxílio dos cursos, centros de pesquisa industrial, bibliotecas e até mesmo museus.

Universidade de Bolonha

Curtiu a Universidade de Bolonha? É muita história e benefício em um único lugar, né? Espero que agora você saiba tudo sobre a universidade.

Até a próxima!

Categories
Intercâmbio Cultural

O que nunca te contaram sobre como é morar na Itália

Tá querendo morar na Itália mas não sabe como é por lá? Não se preocupe, as suas dúvidas estão bem perto de serem extintas, mas para isso, você precisa ler este post até o final, certo? Então vamos deixar de papo e vamos direto ao nosso objetivo: transformar você em um expert sobre a vida na Itália. 

Confira abaixo o post completo sobre a vida em um dos países mais históricos da Europa: 

A vida na Itália

Para morar na Itália, você precisa saber que os italianos amam comida, a família, arquitetura e a sua própria história, que se reflete, por consequência, na sua arquitetura e também na sua culinária. A pizza, por exemplo, que foi inventada para motivos específicos, é bem diferente daquela que consumimos aqui no Brasil, com uma massa bem diferenciada da nossa.

A população italiana é a mais velha da Europa, assim, é bem comum que as tradições sejam levadas a sério dentro da Itália, principalmente quando o assunto é encontro familiar. Por isso, é bem comum que você veja encontros familiares entre os italianos, com famílias bem grandes e que perpetuam esse costume.

Além disso, a religião também é muito forte no país, pelo fato histórico de que a própria matriz do catolicismo romano se encontra no país, o Vaticano. A casa do papa exerce uma certa influência no país, que atualmente, conta com em média 80% da população adepta ao catolicismo.

Abaixo, entenda de forma rápida sobre o que você deve saber de mais importante na Itália:

A arte e a arquitetura

Falamos um pouco sobre como os italianos amam certos itens que estão dentro da composição geral da Itália, e nós com certeza não poderíamos deixar de falar da arte italiana, que reflete na sua arquitetura desde os tempos de hoje. Por lá, você pode dar de cara com o Coliseu, um dos pontos turísticos mais requisitados do mundo, assim como tirar uma foto clássica impedindo a torre inclinada de Pisa.

Mas não só isso, o conceito de uma basílica, também nasceu na Itália, para se referir aos prédios de tribunal público aberto, que posteriormente se tornou o significado de um local central para peregrinações católicas. 

Morar na Itália: arte e arquitetura

Além disso, a arquitetura italiana também é um cenário artístico, pois sendo o berço do movimento renascentista, os arquitetos também foram influenciados por ele, resultando no surgimento, também, do estilo barroco, que influenciou toda uma geração de arquitetura européia. Então se você quer conhecer uma cidade com prédios históricos e com uma boa razão para isso, pode começar a realizar a sonho de morar na Itália.

A culinária italiana

Você já parou pra pensar que a culinária italiana está dentro das coisas mais simples que consumimos diariamente? Como aquele macarrão ao molho de tomate que você consome diariamente ou aos finais de semana? Assim como aquela lasanha que você não deixa passar no almoço de família. 

Na Itália é bem comum o consumo de massas em restaurantes e bares, seja um penne, linguine, espaguete ou até mesmo uma pizza. Mesmo assim, nem todo mundo consome a mesma coisa, as regiões italianas costumam ter os seus próprios ingredientes típicos.

morar na Itália: culinária

As massas que conhecemos, por exemplo, são comuns no centro da Itália. Porém, ao norte, os peixes, batatas, arroz e outros ingredientes são as verdadeiras estrelas.

Por isso, se prepare para consumir a coisa certa na região certa, enquanto estiver morando na Itália, pois sendo um consumidor de massas, o centro é o seu lugar!

Quer morar na Itália, mas visitar outros países? Você pode!

Sinceramente, morar na Europa pede uma Eurotrip, uma viagem inesquecível por todos os países ou por aqueles selecionados pelo seu coração para criar lembranças inesquecíveis sobre experiências que apenas os países históricos da Europa podem oferecer, além da facilidade da qualidade de vida proposta por cada um deles, né?

Mapa da Europa

Na Itália, isso é um sonho possível, pois como sabemos, o país é um dos participantes da União Europeia, que conta com quase todos os países da Europa, que não oferecem resistência alguma para quem deseja transitar entre eles, sendo esses países atualmente: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Tcheca, Romênia, Suécia.

Para a sua sorte, se estiver realmente querendo morar na Itália, o país tem fronteiras internacionais com a Suíça, França, Alemanha e Eslovênia, sem contar com a Cidade do Vaticano e o enclave de San Marino, é claro. Assim, você pode fazer uma visita aos Alpes Suíços, assim como uma visita ao Bairro de Montmartre em Paris e até quem sabe uma mini-tour pela vida agitada nas baladas de Berlim. Legal, né?

Quer morar na Itália? Conheça o transporte público primeiro

Assim como fizemos com um post anterior sobre Paris, nós não vamos deixar você estudando na Itália sem saber como andar pelo país, certo? Então não comece a arrumar as suas malas sem ao menos saber qual o melhor transporte para o seu dia a dia e como ele funciona. Por isso, conheça agora o transporte público para quem deseja morar na Itália:

Ônibus

O ônibus é o queridinho de toda população de cidades que não têm sistemas de metrô tão efetivos ou que simplesmente não utilizam tanto a linha para os seus afazeres. Na Itália, ele funciona dentro dos centros urbanos, sendo limitado nos feriados e aos domingos.

Além disso, você também pode viajar utilizando o ônibus, que mesmo pecando um pouco na velocidade entre os pontos de destino, interliga todas as bordas da Itália, com passagens mais em conta e deixando você muito mais a vontade para aproveitar a passagem.

Trens

Os trens geralmente são utilizados para longas distâncias dentro da Itália, sendo mais viável para você que deseja conhecer a Itália de forma rápida e prática, podendo também facilitar a sua Eurotrip em várias horas.

O Frecciarossa, é um trem de alta velocidade que pode chegar até 300 km/h, interligando praticamente toda a Itália, podendo levar você de Milão à Reggio Di Calabria em uma única viagem de trem. Por isso, se você quiser sair de um ponto a outro de forma rápida, não se esqueça, os trens são a melhor resposta.

Metrô

Os primos subterrâneos dos trens são, sem dúvida, uma das melhores coisas já inventadas, principalmente para quem busca se locomover de forma mais rápida e fluida. Atualmente, apenas Roma, Milão, Nápoles e Turim têm sistemas de metrô.

O metrô de Roma, por exemplo, tem as linhas A,B e C, contando com 73 estações e tendo o seu bilhete no valor de €1,50.

Diferente do metrô de Roma, o metrô de Milão tem quatro linhas, que se dividem por cores e não por letras, sendo elas: vermelha, verde, amarela e roxa, contando também com 106 estações. Um bilhete único de viagem custa em média €2 e é válido por 90 minutos

O metrô de Nápoles tem três linhas, sendo elas: Linha 1, Linha 6 e o Metrô de Nápoles-Aversa, contando com 26 estações. Os preços podem variar entre €1,50 para 90 minutos, e €294,00, para 12 meses de duração.

E por último, o metrô de Turim, que tem uma linha e 23 estações da comuna italiana de Collegeno até Moncalieri. O bilhete único custa €1,70 e assim como em outros metrôs já citados acima, tem a duração de 90 minutos.

Bom, agora acho que você já sabe tudo sobre o que vai encontrar na Itália, né? Se tiver alguma dúvida ou um pedido especial de post, fala com a gente no nosso instagram ou por meio do botão do WhatsApp que está aqui à direita, certo?

Até a próxima!

Categories
Curiosidades

5 curiosidades sobre a Itália para você aprender e também visitar

As curiosidades sobre a Itália são bem peculiares e já fazem parte do imaginário de quem vive na Europa ou de quem cresceu querendo visitar o país, tendo muitas atrações e até mesmo localidades únicas. Por isso, decidimos elaborar este post, com 5 curiosidades sobre a Itália que são não apenas incríveis, mas que algumas delas podem até mesmo ser visitadas. Quer saber mais? Vem comigo até o final:

Uma fonte gratuita e infinita

Esta curiosidade sobre a Itália é perfeita para quem ama tudo que envolve uma das bebidas mais intrigantes da Itália: o vinho.

Uma fonte já é algo muito bom por si só, mas já parou pra pensar no quão incrível é uma fonte de algo que você pode beber, matar a sede e ainda conhecer uma vinícola? Bom, na cidade de Caldari de Ortona, que fica no município de de Ortona, na província de Chieti, você pode provar vinho de uma fonte gratuita e contínua.

Curiosidades sobre a Itália: Dora Sarchese
Créditos: Dora Sarchese

É isso mesmo que você leu, na vinícola Dora Sarchese, você pode desfrutar de uma fonte de vinho que funciona 24hrs por dia, onde qualquer pessoa pode beber. Mesmo assim, o maior objetivo da fonte o de matar a sede das pessoas que estiverem na peregrinação do “Cammino di San Tommaso”.

Curiosidade adicional: O Cammino di San Tommaso.

A gente não economiza quando o assunto é conteúdo pra você, então segura mais essa curiosidade sobre a Itália para você aprender e também visitar:

Cammino di San Tommaso ou Caminho de São Tomé, é uma experiência natural, cultural e também espiritual, onde além de estar em completo contato com a natureza, os viajantes têm a oportunidade de visitar antigas igrejas, abadias e mosteiros.

A peregrinação começa em Roma e percorre os municípios de Albano Laziale, Lariano, Artena, Genazzano, Subiaco, Cappadocia, Tagliacozzo, Massa d’Albe, Rocca di Mezzo, Fontecchio, Capestrano, Pescosansonesco, Manoppello, Pretoro, San Martino sulla Marrucina, Orsogna, Crecchio e finalmente chegando em Ortona, onde está a lápide da Santa Brígida da Suécia.

A população mais velha da Europa

A população de um país fala muito sobre a sua história e até mesmo sobre os seus costumes, principalmente aqueles países que costumam ter uma longevidade muito maior do que a comum encontrada em outros do mesmo continente. O Canadá, por exemplo, tem uma população bastante reduzida em relação às suas demandas de mercado, por isso o governo contrata tantos estrangeiros.

Na Europa, a Itália marca presença não apenas por ser um país histórico desde os tempos mais remotos, mas também pelo incrível fato de que a sua população é a mais velha da Europa, ficando na frente de países como Grécia, Portugal, Finlândia e Alemanha. 

Homem italiano velho

E sabe o que essa curiosidade sobre a Itália tem de tão interessante? Ela pode beneficiar você, assim como todos os estudantes que estão no Canadá hoje em dia. Com uma população mais velha, a Itália precisará cada vez mais de profissionais que possam ocupar cargos deixados por essas pessoas. Quanto mais cedo você se planejar, vai poder fazer bom proveito dessa “curiodica”!

Qual é o menor país do mundo?

Essa aqui pode ser um pouco já conhecida, mas nós não podemos simplesmente deixar de fora uma coisa tão única, principalmente pelo fato desta curiosidade sobre a Itália complementar uma outra curiosidade sobre a própria Europa.

O Vaticano, ou Cidade do Vaticano, além de ser a sede da igreja católica, é uma cidade-estado soberana, fundada em 1929 e que conta com aproximadamente 440 mil metros quadrados, sendo o menor país, não apenas da Europa, mas do mundo, tendo um contraste bem interessante com a Rússia, que com 17.130.000 km², é o maior país do mundo e que também está na Europa.

Curiosidades sobre a Itália: Vaticano

Você pode visitar o Vaticano de graça no último domingo de cada mês. Fora disso, você precisará desembolsar 16 euros de forma online ou presencialmente no museu do Vaticano.

Você sabe onde a pizza foi inventada?

“Mas eu sei onde ela foi inventada, isso é muito óbvio e é claro que foi na Itália!”. Calma, a gente sabe que a pizza vem da Itália, mas você já parou pra pensar de onde ela realmente vem? E por quê? Pois é, nós sabemos onde e como e agora você vai saber também.

A pizza nasceu em Nápoles antes do ano de 1700, daquele jeito bem achatado que a gente já conhece, mas livre de molhos e sabores que hoje nós amamos degustar. Só no final do século XVIII, com os exploradores do Peru trazendo tomates, foi quando os camponeses começaram a cobrir os supostos venenos vermelhos com a massa de pão.

Mas foi só em 1889, quando o Rei Umberto I e a Rainha Margarida de Sabóia estiveram em Nápoles, que a pizza Margherita, criada por Raffaele Esposito foi apresentada ao grande público, representando as cores da bandeira italiana, utilizando o vermelho (tomate), branco (mussarela) e verde (folhas de manjericão).

A universidade mais antiga da Europa

As universidades costumam ser o berço da história de vários países, seja pelo seu destaque educacional, pelo seu grande número de formandos que entraram pela história ou por revoluções. De qualquer forma, as universidades têm um grande valor, até mesmo para você, que busca apenas se qualificar como um profissional de alto nível. Mas, e se eu te disser que você pode estudar na universidade mais antiga do mundo?

Universidade de Bologna
Créditos: EasyUni

A universidade mais antiga do mundo é a Universidade de Bologna, que conta com 9 séculos de história e data o começo das suas práticas educacionais desde 1088. Sendo fundada na Idade Média e resistindo aos tempos modernos, a Universidade de Bologna teve como alunos e professores, diversas personalidades importantes para o desenvolvimento da Itália, como: Accursius, Ulisse Aldrovandi, Laura Bassi, Achille Bocchi e Giovanni Capellini.

O ensino superior na Itália é algo extremamente importante não apenas para os italianos, mas também para você, que busca crescer internacionalmente, estudando em uma instituição que consiga alavancar os seus sonhos, então aproveite essas curiosidades sobre a Itália para fazer da sua experiência a melhor possível.

Se você tem vontade de estudar na Universidade de Bologna ou em qualquer outra instituição de ensino superior da Itália, fala com a gente neste link, nós temos o caminho perfeito para você!

Categories
Dicas

As melhores dicas para estudar na Itália

Estudar na Itália não é nenhum mistério, mas mesmo assim, muitas pessoas costumam ter dúvidas sobre como é o processo para estudar no país, assim como também se questionam sobre como é o seu sistema de ensino e também a sua qualidade.

Por isso, decidimos elaborar um post sobre como é o sistema de ensino na Itália, como você pode estudar no país e um benefício que você pode ter se estudar no país. Confira abaixo:

O sistema de ensino da Itália

Aqui no Brasil, nós costumamos pensar que o sistema de ensino só começa a ficar um pouco mais intensificado apenas no Ensino Médio, onde nos preparamos para um exame nacional que pode decidir os nossos caminhos e carreiras. Indo depois para o ensino superior, onde as coisas realmente se intensificam.

Mas na Itália, as coisas são bem diferentes, pois a educação é tratada como coisa séria desde os níveis mais baixos, onde as crianças recebem uma educação de qualidade, independente da classificação da escola em que ela estiver estudando, seja ela pública ou privada. Além disso, as crianças são obrigadas a estar matriculadas em uma instituição de ensino.

Para que tudo fique claro, vamos começar do ensino mais básico até o superior, para que você entenda como a educação da Itália funciona desde a sua base. Agora vamos direto ao sistema de ensino e como ele funciona nas suas divisões:

O ensino infantil

O ensino infantil ou Istruzione Prescolastica é o começo da trajetória do aluno italiano, sendo responsável pela criação das funções cognitivas da criança. Este nível de educação é dividido entre duas etapas específicas, que nós aqui no Brasil, também já conhecemos:

Creche – Crianças dos 3 meses aos 3 anos

Jardim de infância ou Scuola dell’infanzia – Para crianças entre 2 e 5 anos

Ensino fundamental

Lembra que nós falamos acima que a educação na Itália é levada a sério? Pois é, é nesta etapa que o ensino começa a ficar obrigatório, o que é algo que se explica pelas próprias competências que o aluno adquire ao longo do tempo que estiver nessa fase de educação.

O ensino também se divide nessa etapa, sendo eles:

Scuola primaria ou Scuola Elementare

São 5 séries no ensino primário, onde as salas são preenchidas com até 25 alunos e nada mais que isso. Para que os alunos passem para o próximo nível de ensino, acontece uma prova escrita e também oral.

Scuola secondaria di primo grado ou Scuola Media

O ensino secundário fundamental tem 3 séries e os alunos geralmente estão entre 11 e 14 anos. Ao término do ensino secundário, os alunos realizam um teste para que possam ingressar no ensino médio.

Ensino médio

O ensino médio ou Scuola secondaria di secondo grado, funciona de uma forma um pouco diferente do que temos aqui no Brasil, pois ao contrário do nosso sistema com 3 anos, a Itália utiliza 5, tendo ao final dessa etapa o Esame d`Estato, que é basicamente o ENEM aqui do Brasil.

Estudar na Itália: biblioteca

Ensino Superior

Agora chegamos ao ensino superior ou Istruzione superiore (Universitá), onde a obrigatoriedade termina, mas as responsabilidades crescem. No sistema universitário da Itália existem ciclos que determinam as graduações e o nível de ensino.

O primeiro ciclo é responsável pelas graduações normais, como bacharelado e licenciatura. Que duram 3 anos.

O segundo ciclo tem a duração de 2 anos e é composto pelas pós-graduações e mestrado.

O terceiro ciclo corresponde às graduações mais altas, como o doutorado e também diplomas relacionados a pesquisas mais avançadas e específicas.

Estudar na Itália: tabela do ensino superior
Foto: https://www.lescuolestatali.it/

Como estudar na Itália

Atualmente, a Itália figura na 23ª posição do PISA, um ranking mundial de educação, onde todos os países são submetidos a testes de leitura, ciências e matemática. Neste ranking, a Itália está à frente de países como Hungria, Brasil, Islândia, Malta e o Chipre, que atualmente, é uma das maiores economias da Europa.

Para estudar na Itália é necessário que você, primeiramente, consiga um visto de estudante, que para muitas pessoas, é a porta de entrada não apenas para o mercado de trabalho, mas também para uma vida com maior qualidade em um país de primeiro mundo. Com o seu visto em mãos, você já terá a permissão necessária para se matricular em uma instituição de ensino.

Ruas de Veneza

Mas lembre-se: o visto de estudo na Itália é diferente do visto da Austrália ou Nova Zelândia, por exemplo, que já vêm com a permissão de estudo e trabalho. Mas não se preocupe, pois abaixo, vamos explicar melhor sobre isso.

Na Itália, o mais comum para alunos estrangeiros, é que desembarquem no país para que comecem os seus estudos em uma escola de idioma, pois o que seria melhor para aprender italiano do que viver na própria cultura italiana?

Com a prática direta com os cidadãos e a vivência dos seus costumes, o aluno aprende a língua italiana na mesma medida que consegue ter uma ótima experiência de intercâmbio, refletindo também na qualidade de vida que ele terá no país. Pois a partir do momento que você aprende italiano, também consegue desfrutar o melhor da Itália.

Trabalhe enquanto estuda na Itália

E tem mais: você sabia que é possível trabalhar enquanto estuda na Itália? Pois é. Estando matriculado em um curso de idioma de longa duração (6 meses), o intercambista pode solicitar o Permesso de Soggiorno, um documento que permite a residência temporária no país, que consequentemente também permite o trabalho nas terras italianas. 

Entendeu a diferença do visto da Itália para o da Austrália, por exemplo? Com o visto de estudante italiano você consegue estudar no país, mas basta o Permesso de Soggiorno para que consiga a permissão de trabalho.

Scooter italiana

Os países da Europa valorizam a educação e acreditam que ela é o grande trunfo para que uma nação cresça forte e muito próspera. Por isso, países como Irlanda, Alemanha, Inglaterra e a própria Itália, costumam receber estudantes estrangeiros de braços abertos, pois além de se tornarem ótimos profissionais, se tornam cidadãos que podem investir na economia do país.

Chegando até aqui, eu aposto que você se interessou por fazer o seu intercâmbio na Itália, melhor ainda se quiser viver uma experiência incrível no país para seguir o caminho dos seus sonhos. Se você ainda não sabe como seguir este caminho ou tem alguma dúvida, clica no botão abaixo e nós vamos retornar o mais rápido possível com as respostas que você precisa!

Gostou deste post? A Dreams sabe que você tem muita vontade de aprender sobre o destino dos seus sonhos, por isso temos um blog cheio de conteúdos sobre a cultura, custo de vida, curiosidades e notícias sobre diversos países. Acesse o nosso blog e fique a vontade para consumir mais conteúdos como esse!